A emoção de um craque

Ronaldinho jogando como Ronaldinho. Show!

Por Anderson Marinho

 

 

Ronaldinho Gaúcho se emocionou e encantou a todos no Independência. Foto: Bruno Cantini / Divulgação / Atlético-MG

Olha o que ele fez, olha o que ele fez, olha o que ele fez, olha o que ele fez…
Assim Galvão Bueno narrou o primeiro gol do garoto Ronaldo de Assis Moreira, o Ronaldinho Gaúcho, com a camisa da Seleção Brasileira principal, em uma competição oficial, no dia 30/06/1999, na vitória do Brasil diante da Venezuela por 7 x 0 na Copa America de 99 no Paraguai.
O garoto, na época com apenas 19 anos, já se mostrava com um grande talento, em um time repleto de estrelas, e aquele era só o começo de uma tragetória que encantaria os amantes do futebol.
Treze anos se pasaram e Ronaldinho conquistou o mundo, se tornado um dos maiores jogadores da sua geração.
Foi titular da Seleção pentacampeã do mundo, na Alemanha em 2002, contribuindo muito para a conquista da equipe comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari.
No Barcelona o garoto franzino de Porto Alegre alcançou o auge de sua carreira, jogando um futebol mágico, e recolocou o time catalão no cenário internacional do futebol, em uma época em que Lionel Messi era só uma promessa, com a conquista do bicampeonato espanhol e o titulo da Liga dos Campeões na tempoarada 2005-2006. Atuando pelo Barça o craque foi eleito o melhor jogador do mundo nas temporadas 2005 e 2006.
Entretanto a vida badalada fora dos gramados em muitos momentos colou em xeque a carreira do atleta, que após deixar o time espanhol acumulou fracassos com a Seleção Brasileira e não empolgou em sua passagem pelo Milan.
O até então R10 voltou ao Brasil em 2011, após ser disputado por grandes clubes do país, para defender o Flamengo gerando uma grande expectativa quanto a retomada de sua carreira.
No clube carioca Ronaldinho teve alguns lampejos do futebol demonstrado no passado, mas não obteve regularidade, conquistando apenas um Campeonato Carioca em 2011, e após se envolver em grandes polêmicas e deixou o rubru-negro em meio a uma guerra.
A sua saída do Flamengo para muitos era o fim da carreira do ex-melhor do mundo, mas Ronaldinho acertou com o Atlético-MG e para a felicidade dos admiradores do seu talento, parace que se acertou também fora dos gramados.
Pelo Galo mineiro, o agora R49, tem se demosntrado como um grande líder, em uma equipe jovem, e vem fazendo um belo Campeonato Brasileiro, muito regular, sendo o principal jogador da equipe que briga pela conquista do título nacional.
E na semana que foi elogiado pelo treinador Mano Menezes ,que disse – “De grandes jogadores sempre é possível esperar grandes coisas.” – Ronaldinho Gaúcho fez uma de suas melhores exibições no período pós Barcelona e relembrou o gênio que um dia encantou os gramados mundiais.
O palco foi o estádio Independência, em Belo Horizonte, onde os torcedores presentes para a partida entre Atlético-MG x Figueirense, no último sábado dia 06/10/2012, assistiram a um verdadeiro show do craque e o reverenciaram como nos velhos tempos. Em campo o “Showman” marcou três gols e deus mais duas assistências, para Réver e Bernard.
Em seu primeiro tento o meia simplesmente marcou um golaço, colocando a bola por cobertura no ângulo do goleiro Wilson. Na comemoração o craque chorou, pela perda recente do seu padrasto e pela doença da mãe, emocionado aos mais de 16 mil torcedores presentes.
Depois de cobrar falta para a área e servir Réver, que marcou o segundo gol atleticano, R49 teve mais um lance livre para cobrar e usou toda sua inspiração para surpreender a todos. Na cobrança o gênio bateu rasteiro, lembrando gols marcados por Barcelona e Flamengo, por de baixo da barreira, sem chances para o pobre Wilson, provocando delírio nas arquibancadas.
O segundo tempo poderia ser morno com a grande vantagem que o Galo construiu na primeira etapa, mas Ronaldinho estava inspirado. O seu terceiro gol veio em cobrança de pênalti, sofrido por Jô, batido com muita categoria, goleiro de um lado e bola do outro.
Mas não parou por aí, o “tio” Ronaldinho continuava corredo muito, arrancando da intermediaria, e criando as principais jogadas de ataque da equipe mineira. Em uma dessas jogadas encontrou o pupilo Bernard, livre, para fazer o quinto gol dos donos da casa.
Carlos Cersar, que havia acabado de entrar, fechou o placar ao melhor estilo Ronaldinho, aplicando um belo chapéu em Sandro, decretando a vitória do Atlético-MG por 6 x 0.
A partida foi marcada pela exibição espetacular de Ronaldinho Gaúcho, que voltou a encantar com o seu futebol arte, lembrando a melhor fase de sua carreira e enchendo de esperanças o torcedor atleticano, que sonha com a conquista do Brasileirão depois de 31 anos, e a todos os brasileiros que ainda esperam ver o craque com a camisa canarinho.
Confirmando a sua boa fase dentro de campo e se comportando de forma madura fora deles, Ronaldinho desmostrou que ainda pode oferecer muito ao futebol brasileiro.