ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Alemanha 100% com bebida, mulheres e liberdade

O técnico Joachim Löw liberou geral e jogadores estão correspondendo.

Por Paulo Edson Delazari

Sem os atacantes Mario Gomez, Lukas Podolski e Thomas Müller a Alemanha venceu a Grécia por 4 a 2, em Gdansk, na Polônia, e se classificou para as semifinais da Eurocopa 2012. O técnico Joachim Löw apostou suas fichas nos reservas e se deu bem. Os gols da vitória foram marcados por Lahm, Khedira, Klose e Reus. Para a Grécia Samaras e Salpingidis, de pênalti, descontaram.

Pela primeira vez na história, a Alemanha venceu quatro jogos consecutivos na Eurocopa. O time germânico agora vai esperar o vencedor do confronto entre Inglaterra e Itália, que se enfrentam no próximo domingo, em Kiev, na Ucrânia.  A semifinal será disputada na próxima quinta-feira, dia 28, em Varsóvia, na Polônia.

Alemanha sempre em busca da vitória

Alemanha só atacava, enquanto a Grécia só defendia, essa foi a tônica da primeira etapa do duelo desta sexta-feira. Enquanto a equipe de Joachim Löw buscava a posse de bola para chegar ao gol dos rivais, os gregos atuavam nos erros do adversário, sempre na expectativa de um contra-ataque para abrir o placar.

Klose, Reus, Özil. Todos tiveram oportunidades marcar e colocar a Alemanha em vantagem. A primeira delas foi anulada devido um impedimento de Klose. Aos 3, Khedira chutou de fora da área e a bola sobrou para o atacante empurrar para as redes. O árbitro esloveno Damir Skomina invalidou o lance.

O domínio da Alemanha era estilo Barcelona: 70% de posse de bola contra 30%. Em dois lances seguidos, os alemães quase abriram o marcador. Aos 22, Özil recebeu na entrada da área e finalizou para defesa de Sifakis. No minuto seguinte, Reus recebeu pela direita e chutou cruzado. Por pouco Klose, em posição legal, não marcou o primeiro tento da equipe germânica.

A Grécia assustava nos contra-ataques. Aos 31, Ninis foi lançado na entrada da área e bateu colocado. Neuer se esticou todo e fez a defesa em dois tempos. Sem conseguir penetrar na defesa grega, a Alemanha passou a arriscar de fora da área. E foi assim que a equipe abriu o marcador. Aos 38, Lahm passou por um adversário e soltou a bomba. O goleiro Sifakis ainda tocou na bola, mas não evitou a abertura do placar: 1 a 0 para Alemanha.

Alemanha passeia no segundo tempo

O panorama do jogo não mudou. A Alemanha tinha mais posse de bola, e os rivais buscavam os contra-ataques. E foi justamente em um lance rápido que o empate da Grécia surgiu. Aos 9, Salpingidis foi lançado pela direita e cruzou na medida para Samaras. O atacante escorou para o gol, a bola bateu em Neuer e morreu no fundo da rede.

A Alemanha não se assustou e aos 15 da etapa final, Boateng cruzou da direita e Khedira acertou um belo chute, de prima, para superar Sifakis e recolocar os germânicos à frente no marcador. Sete minutos depois, o terceiro tento alemão. Özil cobrou falta da direita na cabeça de Klose, que testou com força para fazer mais um e dar ainda mais tranquilidade aos alemães.

Aos 28, Klose recebeu ótimo lançamento e tentou bater na saída de Sifakis, que fez ótima defesa. Na sobra, Reus chutou de primeira e fez o quarto tento alemão. Na comemoração, ao lado de Boateng, o atacante fez movimentos de como se estivessesurfando no gramado do estádio polonês. Aos 35, Özil passou por dois adversários, entrou na área e soltou a bomba. Sifakis defendeu no meio do gol. Quase um golaço.

A Grécia descontou já no fim da partida. Aos 43, Boateng colocou a mão dentro da área e o árbitro assinalou a penalidade. Na cobrança, Salpingidis deslocou Neuer e deu números finais à partida. No fim, festa alemã, que manteve 100% de aproveitamento no torneio e chegou pela sétima vez a uma semifinal de Eurocopa.

A liberdade dada aos jogadores alemães por Joachim Löw, parece que está dando resultado, bebidas, mulheres e não concentração antes das partidas estão fazendo da Alemanha a seleção favorita ao título.