ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Amarelou! Palmeiras toma seis e sai de campo humilhado

Goleada expõe novamente a fragilidade do verdão e deixa Kleina em situação delicada.

Por Anderson Marinho

O Palmeiras visitou o Mirassol, no estádio José Maria de Campos Maia, em partida válida pela 15ª rodada do Campeonato Paulista 2013 e foi surpreendido pelos donos da casa, em jogo marcado por um primeiro tempo alucinante, passando por um dos maiores vexames de sua história ao ser goleado por 6 a 2, com todos os gols marcados ainda na etapa inicial.

E a noite, ou melhor o primeiro tempo foi digno de entrar na galeria dos tristezas que o time do Palestra Itália insiste em colecionar. O revés do Verdão em Mirassol entra para um grupo de vexames históricos que inclui dois rebaixamentos no Campeonato Brasileiro e derrotas antes inconcebíveis, como os 7 a 2 para o Vitória, na Copa do Brasil de 2003.

Com o resultado o Palmeiras segue no G8, ainda com 25 pontos, mas vê a crise se firmar de vez, às vésperas de duelos decisivos contra Tigre e Libertad pela Libertdaores da América. Já o Mirassol ocupa agora a 13ª posição, com 15 pontos ganhos, e ganha um fôlego na luta contra o rebaixamento.

O jogo

Medina comemora o seu gol diante do verdão. (Foto: Celio Messias / Gazeta Press)

O técnico Gilson Kleina preparou o Palmeiras com a mesma formação que iniciou os dois últimos jogos pelo Paulistão, mas de ultima hora sofreu uma baixa, o zagueiro Maurício Ramos sentiu uma indisposição estomacal minutos antes da partida, no vestiário, e foi cortado, em seu lugar entrou o garoto Marcos Vinícius. Tendo a oportunidade de estrear como titular na zaga do verdão, o zagueiro de apenas 21 anos foi um dos personagens da emblemática derrota em Mirassol.

Com apenas 40 segundos de jogo, André luis fez boa jogada pela direita e cruzou, Marcos Vinícius tentou fazer o corte no primeiro pau e cabeceou contra o patrimônio, firme, sem chance para Fernando Prass. Mirassol 1 x 0 Palmeiras.

O gol com menos de um minuto desmontou o esquema de jogo do alviverde que sofreu um verdadeiro “apagão”.

Aos nove minutos, depois de uma bola rebatida pela zaga palmeirense, Leomir com um lindo passe de calcanhar serviu Caion que saiu cara a cara com Fernando Prass, Marcos Vinícius dava condição, e bateu com categoria, no canto direito do goleiro, marcando o segundo dos donos da casa. Mirassol 2 x 0 Palmeiras.

O pesadelo alviverde aumentou dois minutos depois, em contra-ataque rápido Camilo lançou Caion, o atacante ganhou de Márcio Araújo na corrida e bateu por cobertura na saída de Prass, ampliando a vantagem. Mirassol 3 x 0 Palmeiras.

Afobado em campo o Palmeiras tentava colocar a bola no chão para recomeçar, mas faltava qualidade. Aos 19 minutos Gilson Kleina modificou a formação inicial sacando o volante Charles para a entrada do meia-atacante Ronny, que passou a atuar ao lado de Wesley na armação das jogadas.

A substituição trouxe resultado, em sua primeira participação, aos 22 minutos, Ronny descolou um bom cruzamento pela esquerda e encontrou Caio, livre no meio da zaga adversária, o atacante desviou de cabeça e marcou o seu primeiro gol pelo time profissional do verdão. Mirassol 3 x 1 Palmeiras.

Aos 25 minutos o Mirassol perdeu André Luis, contundido, em seu lugar entrou Medina.

Mais tranquilo em campo o Palmeiras passou a pressionar o adversário, que já não tinha mais a mesma velocidade do inicio da partida, e chegou ao segundo gol aos 30 minutos, Léo Gago fez um bom lançamento para Ronny, o meia dominou de costas para a marcação, fez o giro, e bateu de pé direito, no canto esquerdo do goleiro Gustavo, sem chances para o arqueiro. Mirassol 3 x 2 Palmeiras.

O Palmeiras crescia no jogo, e teve pelo menos mais duas oportunidade para empatar, em lances do atacante Caio que obrigaram Gustavo a fazer boas defesas.

Entretanto, aos 39 minutos o Mirassol tratou de conter a reação alviverde. Medina fez boa jogada pela meia direita e foi derrubado por Márcio Araújo. Na cobrança da falta, Leomir bateu com categoria, por cima da barreira, a bola colocada morreu no canto esquerdo de Prass. Mirassol 4 x 2 Palmeiras.

Jogadores do Mirassol comemoram goleada histórica contra o Palmeiras. (Foto: Celio Messias / Gazeta Press)

Dessa vez o Mirassol não deu tempo para o Palmeiras reagir novamente, aos 43 minutos, Medina recebeu lançamento na entrada da área, ganhou a disputa no corpo a corpo com Juninho, e tocou por cobertura. Mirassol 5 x 2 Palmeiras.

Quando o árbitro assinalou três minutos de acréscimos nem o mais pessimista dos torcedores palmeirenses imaginou o ainda poderia acontecer.

Aos 45 minutos, Caion avançou pela esquerda, invadiu a área e chutou forte, mas Fernando Prass fez boa defesa. Entretanto, no minuto seguinte, o arqueiro nada pode fazer, quando Camilo recebeu lançamento pelo meio, invadiu a área limpou a marcação e bateu forte para marcar o sexto gol dos donos da casa. Mirassol 6 x 2 Palmeiras

Aos gritos de “mais um, mais um, mais um”, da torcida local, o primeiro tempo terminou como começou para o Palmeiras, de forma vexatória, com alviverde perdido em campo e aparentemente sem gás para buscar uma nova reação.

Já o Mirassol soube aproveitar as falhas do rival, corrigiu as suas a tempo quando o Palmeiras esboçou uma reação, e com toques rápidos, lançamentos precisos, e boa finalização construiu uma excelente vantagem para o decorrer da partida.

No Palmeiras Gilson Kleina até tentou, mas apesar de uma melhora após a entrada de Ronny o time voltou a falhar muito depois do quarto gol, marcado por Leomir, e perdeu a oportunidade de sair de campo com um resultado melhor.

Etapa Complementar

O Palmeiras voltou para o segundo tempo com João Denoni na vaga de Léo Gago, procurando equilibrar o meio de campo para evitar mais gols do rival.

Claramente abatido o verdão ainda teve duas oportunidades para diminuir, aos sete minutos em voleio de Wesley, defendido por Gustavo e aos 11, quando Caio aproveitou um cruzamento, em lance de bola parada, e marcou de cabeça, mas o gol foi anulado pela arbitragem que viu falta do centroavante na disputa com o zagueiro. O desânimo tomou conta do alviverde e o ritmo do jogo caiu, com o Mirassol valorizando o resultado e o Palmeiras sem forças para buscar qualquer reação.

Aos 18 minutos, Kleina promoveu a entrada de Ayrton no lugar de Weldinho. Ivan Baitello respondeu aos 23 minutos com Mineiro na vaga de Pio .

Entrada de Ronny melhorou setor ofensivo, mas não evitou o vexame. (Foto: Celio Messias / Gazeta Press)

Em sua primeira participação Mineiro recebeu um belo passe de Camilo, após jogada de linha de fundo, mas furou na hora da finalização desperdiçando o sétimo gol.

E quando a torcida do Mirassol fazia a festa, aos gritos de freguês, Baitello ainda colocou Felipe Lima na vaga de Thiago Luis. E ficou nisso, Mirassol 6 x 2 Palmeiras

Em jogo atípico o Palmeiras voltou a decepcionar a sua torcida, demonstrando claramente a falta de equilíbrio e as limitações do seu elenco.

O resultado aumenta a crise nos bastidores do Palestra Itália e coloca em xeque a permanência do técnico Gilson Kleina, que convenhamos não teve muito o que fazer no duelo, deixando o torcedor palmeirense preocupado para a sequência da temporada.

O Palmeiras volta à campo agora no próximo sábado, às 18h30, no estádio do Pacaembu contra o Linense. No mesmo horário o Mirassol recebe o Penapolense em casa.