Ao estilo Libertadores, São Paulo sofre, mas derrota César Vallejo

Tricolor passa sufoco, mas vence e segue na libertadores 2016.

Por Vladimir da Costa

Os mais de 33 mil torcedores sabiam que seria difícil, talvez por isso, apoiaram do inicio ao fim, mas conhecedores de libertadores, tiveram paciência quando as coisas não saiam como o esperado. Pênalti perdido, bolas na trave e gol suado no fim, para coroar mais uma participação da equipe no principal torneio do continente. Pela 18ª vez, o São Paulo disputa uma Copa Libertadores.

Rogério comemora o gol da classificação na Libertadores. (Foto: Marcos Ribolli)

Rogério comemora o gol da classificação na Libertadores. (Foto: Marcos Ribolli)

Para passar a fase de grupos o São Paulo não precisava vencer, bastava não tomar gol. E foi isso que aconteceu no primeiro tempo. Apesar de amplo domínio, a posse de bola não foi convertida em oportunidades. Ambos goleiros, pouco participaram do jogo.

Bauza, parecia não gostar do que via a beira do campo. Cobrando calma de seus jogadores, o segundo tempo poderia ter começado melhor. Michel Bastos desperdiçou o pênalti.

Depois o jogo ficou morno. O São Paulo não conseguia permanecer com a bola perto da área. Com isso, o César Vallejo passou a acreditar e a rondar mais o gol de Denis.

Apenas aos 35 minutos, quando Calleri acertou o travessão, a torcida inflou e o tricolor mudou a postura em campo. Mais aguerrido, atacando pelos dois lados, o time pressionou o adversário e finalmente conseguiu tirar o grito de gol da garganta da torcida. Dois minutos em campo e Rogério marcou o gol da classificação são-paulina.

Agora, na fase de grupos, o São Paulo faz sua estreia já na próxima semana, contra o The Strongest, no mesmo Pacaembu, às 19h30m.

A partida

Jogando com casa cheia, o tricolor tratou de impor seu ritmo, no embalo da torcida. Com Calleri no lugar de Kardec, com amidalite, o São Paulo buscava nos primeiros minutos do jogo atacar pelos lados, principalmente com Centurión. A equipe peruana buscava impedir o avanço adversário na base das faltas.

Com o passar do tempo, assim como no primeiro jogo, o São Paulo, mesmo com dois atacantes abertos, o jogo seguia centralizado no meio, o que facilitava a defesa do César Vallejo. Que com muitos passes errados, passou a frequentar mais o campo adversário. Tanto é que o primeiro goleiro a tocar na bola foi o são-paulino. Falta cobrada direta para o gol, para fácil defesa de Denis.

A primeira chegada do São Paulo foi aos 22 minutos. Calleri avançou bem pela esquerda e cruzou para Centurión, pela direita, ele driblou um adversário e finalizou de esquerda, muito longe do gol.

A partir daí, o tricolor passou a finalizar mais. Centurion teve mais duas chances. Faltou capricho para o argentino. Minutos depois, foi a vez de Ganso bater e ver a bola desviar na defesa entes de sair pela linha de fundo.

O São Paulo tinha dificuldade de manter a bola perto do gol adversário. Afoito, a bola batia e voltava e assim foi até o final da primeira etapa.

Sem a empolgação da torcida do primeiro tempo e com mais “calma” ao trabalhar a bola, não demorou muito para ter a primeira grande chance. Uma senhora chance. Aos cinco minutos, Ganso foi derrubado na área por Riojas. Calleri pediu a bola, mas o capitão Michel Bastos preferiu ficar com ela. Na cobrança o meia deslocou o goleiro, mas acabou acertando a trave.

A partida estava tensa, com muitas faltas do César Vallejo, reclamações do lado do São Paulo, o resultado no final das contas era justo.

Michel Bastos comemora a clássificação tricolor para a próxima fase. (Foto: Marcos Ribolli)

Michel Bastos comemora a classificação tricolor para a próxima fase. (Foto: Marcos Ribolli)

A cada minuto que passava, a paciência da torcida ia diminuindo. Apesar de não vaiar, ficava apreensiva, já que qualquer ataque adversário era um sufoco, mesmo que esporádicos.

Apenas aos 35 minutos, o tricolor fez boas jogadas e se não fosse a trave, teria aberto o placar. Calleri recebeu cruzamento do lado direito e finalizou no travessão do goleiro Libman. Um minuto depois, do outro lado do ataque, Carlinhos cruzou, a bola ficou limpa para Hudson que soltou uma pancada, a bola novamente acertou a trave.

Aos 40 minutos, contrariado, Ganso saiu para entrada de Rogério. Dois minutos depois, o atacante botava a redonda para as redes. Escanteio pela esquerda, bola disputada dentro da área, e o camisa 17 mandou para as redes para garantir a classificação à fase de grupos da libertadores.