Arbitragem decide partida no Majestoso.

Arbitro decide jogo a favor do Corinthians contra o São Paulo.

Por Paulo Edson Delazari

Luis Fabiano reclama de pênalti mal marcado.

Mais uma vez a arbitragem é destaque num clássico paulista, desta vez o “artista” foi o árbitro Leandro Bizzio Marinho. Utilizando-se do artifício de parar a partida constantemente Leandro Bizzio, picava o jogo e marcava faltas inexistentes para os dois lados, afim de controlar a partida, até então, esses pequenos erros não estavam interferindo no resultado da partida, mas o mediador da partida, a uma distância de aproximadamente 50 metros de distância, pois estava no meio campo, conseguiu enxergar um pênalti de Rogério Ceni sobre Pato, após recuo Bizarro de Toloi para o goleiro.

Certo que Pato toca a bola, mas para alcançá-la, utiliza-se de uma solada que acerta Rogério Ceni ao tentar afastar a bola, assim o contato torna-se inevitável, os dois jogadores caem e a bola sai, nada mais, nada menos que falta sobre o goleiro ou tiro de meta, mas o juíz simplesmente da pênalti.

E a lambança continuava, se ele achou que foi pênalti, como Rogério Ceni era o último jogador teria que expulsá-lo, mas o arbitro apresenta amarelo.

Para um campeonato cansativo com 19 rodadas para se definir oito times que vão a próxima fase, somados a essas péssimas arbitragens, será inevitável a falta de presença dos torcedores nos estádio, para se ter uma ideia, compareceram ao estádio apenas 20 mil torcedores.

Depois fica difícil pedir controle dos jogadores que deveriam ser os protagonistas, pois um cidadão como Leandro Bizzio parece entrar em campo pré-disposto a aparecer mais que os próprios artistas da bola.