ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Axé da Bahia, desencanta Pato e da vitória ao Timão.

Os ares baiano, fizeram bem ao atacante corinthiano que fez dois gols na partida.

Por Paulo Edson Delazari
Pato fez os dois gols da Vitória corinthiana. (Foto: Getty)

Pato fez os dois gols da Vitória corinthiana. (Foto: Getty)

Neste domingo em duelo válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro o Corinthians venceu o Bahia por 2 a 0. Alexandre Pato acabou o jejum de gols, o atacante desencantou, balançou a rede duas vezes e garantiu o triunfo na Arena Fonte Nova, em Salvador.  Antes da partida, Alexandre Pato amargava um jejum de dez jogos sem marcar. Além disso, a última vez que Pato tinha marcado dois gols em um duelo foi no dia 15 de agosto de 2012, na vitória do Brasil por 3 a 0 sobre a Suécia.

Com a vitória fora de casa, o Corinthians dá um pulo na tabela de classificação. A equipe do técnico Tite chegou aos nove pontos, mais perto dos primeiros colocados. Já o Bahia, que só tinha perdido na estreia do Brasileirão, permanece com oito pontos. Na próxima rodada da competição nacional, o Corinthians recebe o Atlético-MG, no domingo, no Pacaembu. O Bahia, por sua vez, vai duelar com a Ponte Preta, no sábado, em Campinas.

Os dois gols da partida deste domingo aconteceram na primeira etapa. Aos 32 minutos, Guilherme lançou para Pato, que dominou nas costas de Madson e finalizou na saída de Marcelo Lomba. A bola bateu na trave e sobrou para o atacante colocar na rede. Já aos 42 minutos, Romarinho cruzou, Madson cortou errado e deixou a bola limpa para Alexandre Pato chutar no ângulo esquerdo de Marcelo Lomba. Belo gol: 2 a 0.

O segundo tempo serviu só para o Corinthians trocar passes e mostrar sua capacidade de controlar a partida. A única preocupação foi com Renato Augusto, que deixou o confronto com suspeita de fratura no rosto e pode ser desfalque no jogo de volta da final da Recopa Sul-americana, contra o São Paulo, no dia 17 – os também meias Danilo e Douglas estão machucados.

O jogo

Tite mandou a campo o seu esquema mais tradicional, com Romarinho pela direita e Pato aberto pela esquerda, mais próximo de Guerrero, mas com todos em movimentação à espera dos passes de Renato Augusto e até trocando de posição com o meia. Mas a preocupação inicial era com a velocidade do Bahia.

A equipe de Cristóvão Borges soube aproveitar bem a correria do meia Anderson Talisca, que se mexia e buscava os laterais Madson e Raul em busca de cruzamentos para Fernandão. E o Corinthians demorou a conseguir bloquear as pontas do ataque baiano, que ainda contava com cinco jogadores do meio-campo para trás com o intuito de coibir a troca de passes do time paulista e evitar perigos para Marcelo Lomba.

Entre os 12 e os 14 minutos, Fernandão não abriu o placar duas vezes porque não alcançou os cruzamentos rasteiros de Madson e Raul, em lances quase idênticos. O ritmo veloz ainda gerava faltas ao Bahia, que chegou a balançar a rede com Titi, aos 28 minutos, após cobrança da lateral, mas o zagueiro estava impedido.

Até que o Bahia se empolgou tanto que se esqueceu da firme marcação que imprimia em seu campo de defesa. E Renato Augusto teve espaço e tranquilidade no meio-campo para lançar com precisão para Pato. O atacante dominou na grande área e seu chute desviou na zaga, batendo na trave, mas voltando ao seu pé direito e dando-lhe apenas o trabalho de desviar para o gol vazio, aos 32 minutos.

Em busca de retomada, o Bahia foi perdendo sua solidez tática e também não teve mais seu centroavante, já que Fernandão, ex-jogador do Palmeiras, saiu machucado e foi trocado por Souza, ex-Corinthians. Mas as jogadas de ataque eram raras.

O Corinthians, por outro lado, não precisava de tantas chances para ser eficiente. E o Bahia, além de espaço, também deu um presente para o adversário. Aos 42 minutos, Madson, da marca do pênalti, tentou afastar cruzamento de Romarinho, mas ajeitou para Pato bater de primeira, no ângulo esquerdo de Marcelo Lomba.

A reação imediata do Bahia foi ficar cabisbaixo, como se manteve até o intervalo e também depois de a bola rolar. Com 2 a 0 no placar, o Corinthians se preocupou em manter a bola nos pés, reduzindo ainda mais o ritmo de um jogo já bastante trucando pelo número de faltas e passes errados no primeiro tempo. A conversa com Tite nos vestiários também serviu para ajustar a marcação aos velozes do Bahia.

Com a partida completamente controlada, o Corinthians só teve a lamentar a lesão de Renato Augusto, que deixou o estádio com suspeita de fratura no rosto. Em campo, foram pouco mais de 45 minutos de troca de passes do Corinthians e tarefa facilitada por seguidos erros de passes da defesa baiana, principalmente de Lucas Fonseca.

Lances de perigo só ocorreram com Guerrero, que obrigou Marcelo Lomba a fazer boa defesa e ainda tirou um tento de Ibson ao se antecipar ao colega. Mas nada que atrapalhasse a tranquila conquista dos três pontos neste domingo na Fonte Nova.

FICHA TÉCNICA:
BAHIA 0 X 2 CORINTHIANS

Local: Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data: 7 de julho de 2013, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés e Luiz Antonio Muniz de Oliveira (ambos do RJ)
Cartões amarelos: Anderson Talisca e Fabrício Lusa (Bahia)
Gols:
CORINTHIANS: Alexandre Pato, aos 32 e aos 42 minutos do primeiro tempo

BAHIA: Marcelo Lomba; Madson, Titi, Lucas Fonseca e Raul (Jussandro); Fahel, Rafael Miranda, Fabrício Lusa e Anderson Talisca; Marquinhos e Fernandão (Souza)
Técnico: Cristóvão Borges

CORINTHIANS: Cássio; Edenílson, Chicão, Gil e Fábio Santos; Ralf e Guilherme; Romarinho (Maldonado), Renato Augusto (Ibson) e Alexandre Pato (Léo); Guerrero
Técnico: Tite