ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Barcos comanda vitória e Palmeiras ganha sobrevida

Atuação de gala do camisa nove faz Verdão diminuir distância para o Bahia em quatro pontos.

Por: Mauro Ribeiro

Barcos marca e sai pra galera, justificando convocações. (Foto: Eduardo Viana)

Os cerca de dez mil palmeirenses que compareceram ao Fonte Luminosa neste sábado fizeram ecoar o nome de Barcos pela cidade de Araraquara/SP. E não foi à toa. O Pirata anotou os dois gols da partida contra o Cruzeiro e ajudou a equipe palestrina a encostar ainda mais no Bahia – que apenas empatou com o Corinthians, também, nesta noite.

Quem se postou melhor no início do jogo foi o Cruzeiro. Nos primeiros minutos do duelo, a equipe visitante chegou à meta palmeirense em chutes de longa distância e cruzamentos em bolas paradas – todas sem sucesso.

O Verdão só foi aparecer aos 16 minutos, por meio de sua principal arma: a bola parada. Marcos Assunção cobrou falta da direita e Barcos desviou levemente de cabeça; Fábio não conseguiu agarrar e Luan, dentro da pequena área – e impedido –, desperdiçou a chance.

Apoiado pela torcida, o Palmeiras pressionava a saída de bola cruzeirense e chegava à área adversária graças aos precisos passes de Marcos Assunção e penetrações de Luan e Patrick Vieira. A estratégia quase surtiu efeito em dois lances. Aos 22 minutos, Luan chuta de fora da área, a bola desvia no zagueiro e obriga o goleiro Fábio a ceder o escanteio. Já aos 33, Assunção encontra Artur dentro da área, que se esforça, mas não consegue alcançar a bola.

O contragolpe veio logo no minuto seguinte. Em contra-ataque veloz, Martinuccio escapa pela esquerda, invade a área e cruza rasteiro para Anselmo. O atacante aparece atrás da zaga palmeirense e, de carrinho, manda a bola perto do pé da trave esquerda de Bruno.

O árbitro Marcelo de Lima Henrique encerra o primeiro tempo sob protestos da torcida palmeirense diante da atuação da equipe, principalmente com a noite apagada de Betinho, em que exigiam a entrada de Obina.

Gilson Kleina até que insistiu com o talismã, mas teve que ceder aos pedidos dos palmeirenses logo aos 10 minutos da segunda etapa. Só que ao invés de Obina, o técnico promoveu o retorno de Wesley aos gramados, após quase oito meses parado.

Cerca de cinco minutos depois, o volante de R$ 21 milhões já levava perigo ao gol cruzeirense. Em tabela com Luan, Wesley entrou livre dentro da área e chutou forte, de esquerda, no alto, obrigando o goleiro Fábio a se esticar para praticar a defesa. Logo após o lance, Kleina sacou Luan e colocou Obina em campo, levando os torcedores ao delírio.

Na bola para Cruzeiro levava perigo. (Foto: Globo.com)

Não demorou muito tempo para que a proposta ofensiva desse resultado. Aos 21 minutos, Patrick Vieira sofreu falta na intermediária direita e Assunção se posicionou para a cobrança. Na bola levantada na área, Obina tentou, mas não alcançou. Entretanto, o Pirata raramente falha e de cabeça, emendou a bola para o fundo das redes: 1 a 0 Palmeiras.

O gol deu ânimo e confiança ao Verdão, e colocou o Cruzeiro postado no campo ofensivo. Já com Tinga em campo, a equipe celeste procurou reter mais a bola no ataque em busca do gol de empate. Só que as investidas da Raposa encontravam grande resistência no posicionamento da defesa palmeirense, que se fechou e marcava com até oito homens atrás da linha da bola.

Desesperado, o técnico Celso Roth não hesitou em mandar a campo o atacante Borges e o meia Elber, nos lugares de Souza, muito mal na partida, e do exausto Martinuccio, aos 30 minutos do segundo tempo.

Os dois jogadores mal haviam se posicionado em campo e o golpe de misericórdia veio um minuto e meio depois. Obina recebeu a bola na entrada da área, se livrou do zagueiro e tocou para Barcos. Sem dominar, o argentino tirou o zagueiro adversário, entrou na área e esperou o goleiro Fábio sair para tocar a bola por cobertura. Golaço do Pirata! O seu 25º na temporada e o segundo do Palmeiras na partida.

Aos 42 minutos do segundo tempo, o astro da noite deixou o campo ovacionado para a entrada de Tiago Real. Na saída do campo, o Pirata beijou o escudo palmeirense e fechou com chave de ouro a noite do torcedor palestrino. Fim de jogo. Com 32 pontos, o Palmeiras encosta um pouco mais no pelotão do meio da tabela e fica apenas quatro pontos atrás do Bahia. O Cruzeiro perde uma posição e dorme este sábado em 9º lugar.

Na próxima rodada, o Verdão tem parada dura contra o Internacional, no sábado, fora de casa. Já a Raposa estica sua estádia no estado de São Paulo e vai até Campinas, na próxima quinta-feira, enfrentar a Ponte Preta.