ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Barcos perde pênalti e Palmeiras só empata.

Verdão não saiu do zero contra o Bragantino no Pacaembu.

Por: Mauro Ribeiro

 

Barcos lamenta penalti perdido. (Foto: Marcos Ribolli/ Globoesporte.com)

Para o Palmeiras, a temporada 2013 começou da mesma forma que havia encerrado a de 2012. Se sobrou vontade aos comandados de Gilson Kleina, o mesmo não se pode dizer da qualidade. Sem criatividade no meio-campo e com poucas jogadas pelas laterais, o Alviverde não passou de um empate por 0 a 0 com o Bragantino, na tarde deste domingo, no estádio do Pacaembu.

 

Desde o primeiro minuto da partida, ficou claro que a equipe de Bragança Paulista veio à capital apenas para se defender. E o cenário do primeiro tempo foi esse, com o Palmeiras tomando a iniciativas das jogadas e o time do interior com os 11 atletas atrás do meio-campo.

 

Sem Marcos Assunção, coube ao reestreante Souza arriscar as cobranças de bola parada. E de seus pés saíram duas boas chances – as únicas em todo o primeiro tempo. Na primeira, aos 15 minutos, viu sua bola raspar o travessão; já na segunda, aos 17, o goleiro Rafael Defendi precisou fazer a defesa em dois tempos.

 

O início da etapa complementar repetiu os 45 minutos iniciais. O Palmeiras, com muita raça e disposição, via algumas de suas peças sumir em campo. Era o caso dos laterais Ayrton e Juninho, do volante Wesley e do meia-atacante Patrick Vieira.

 

Em meio ao desânimo que pairava nas arquibancas do Pacaembu, um sinal de esperança. Aos 12 minutos, o volante Souza foi derrubado por Rodrigo Defendi dentro da área. Pênalti assinalado pelo árbitro Vinícius Furlan. Na cobrança, Barcos poderia fazer o primeiro dos 28 gols prometidos para 2013. Mas também não era o dia do Pirata. O goleiro caiu no canto direito, mas a bola teimou em não entrar e parou na trave esquerda, para desespero dos mais de 10 mil torcedores presentes no estádio.

 

Quando as primeiras vaias começaram a ecoar, Gilson Kleina decidiu agir. Sacou Patrick Vieira e colocou Maikon Leite. Minutos depois, tirou Luan – muito xingado na saída do gramado – para a entrada de Mazinho. Apesar da falta de criatividade, o time passou a contar com mais velocidade no ataque e lampejos de jogadas individuais.

 

Ainda teve tempo para mais uma jogada de perigo. Aos 30, após cruzamento na área, o zagueiro Kadu afastou errado e Mazinho, no rebote, acertou a trave direita do gol adversário. E foi só isso. Nem a ousada substituição de Ayrton pelo atacante Caio surtiu efeito.

 

Apesar do tropeço, o Palmeiras manteve uma escrita. Faz 18 anos que a equipe não perde na estreia do Campeonato Paulista. O último revés aconteceu em 1995, em derrota de 2×1 para a Portuguesa.

 

O próximo confronto do Palmeiras será na quarta-feira, às 22 horas, contra o Oeste, em Itápolis. Já o time de Bragança recebe o Linense em casa, também na quarta-feira, só que às 17 horas.