ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Brasil confirma supremacia contra a Itália

Em partida épica, Seleção Brasileira derrota a Azzurra e garante a liderança

Por Anderson Marinho

Brasil e Itália se enfrentaram na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela última rodada do grupo A da Copa das Confederações. Em campo nove títulos mundiais e a disputa pela liderança da chave, em um dos maiores clássicos do futebol mundial, e a equipe canarinho confirmou a sua hegemonia diante do rival, mantendo um tabu de quase 31 anos sem perder para o adversário, com uma vitória por 4 a 2, com gols marcados por Dante, Neymar, e Fred (2). Chiaccherini e Chielini descontaram.

Com o resultado a Seleção Brasileira terminou a primeira fase da competição na liderança do grupo, com nove pontos ganhos e 100% de aproveitamento, já a Itália também está classifica com seis pontos em segundo lugar.

O jogo

Neymar e Fred tiveram participação decisiva no confronto. Foto: UOL

Neymar e Fred tiveram participação decisiva no confronto. (Foto: UOL)

Com a bola rolando a Seleção Brasileira partiu pra cima dos italianos nos momentos iniciais da partida, marcando sobre pressão no campo de ataque, a blitz canarinho sufocou a saída de bola dos rivais, que erravam muitos passes, e com menos de um minuto de jogo Hulk, em chute cruzado da esquerda, obrigou Buffon a fazer uma grande defesa.

O Brasil teve pelo menos mais duas oportunidades em seguida, em arremate de Oscar, de fora da área, e depois em chute cruzado de Neymar que saiu à esquerda da meta defendida por Buffon.

Aos poucos a Itália conteve o ímpeto inicial da equipe brasileira, equilibrando as ações e teve a sua primeira chance aos 16 minutos, após boa jogada pela esquerda, Marchisio fez o cruzamento rasteiro e Balotelli apareceu com liberdade, mas pegou mal na bola.

Parecia um jogo de Xadrez, onde qualquer movimento errado de uma das peças poderia decidir o duelo, com as duas equipes marcando muito a saída de bola adversária, a disputa ficou acirrada no meio de campo, com muitas faltas e jogadas ríspidas, aos poucos os atletas começaram a sentir o ritmo e ainda no primeiro tempo foram três substituições por contusão.

Pelo lado italiano, saíram Abate e Montolivo  para as entradas de Maggio e Giaccherini, enquanto David Luiz deu lugar à Dante na no time verde e amarelo.

Apesar de manter uma posse de bola maior o Brasil encontrava dificuldades para furar o bloqueio do adversário, que pouco criou na etapa inicial.

E quando o zero a zero parecia certo para o primeiro tempo, aos 46 minutos de jogo, Neymar sofreu falta dura de Candreva na esquerda.

"Jogando em casa", Dante saiu do banco para abrir o placar na Arena Fonte Nova. Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

“Jogando em casa”, Dante saiu do banco para abrir o placar na Arena Fonte Nova. Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

 Na cobrança, o próprio Neymar fez o levantamento, Fred desviou de cabeça para linda defesa de Buffon, e no rebote Dante apareceu livre, em posição de impedimento, para desviar com o pé esquerdo, sem chances para ao arqueiro italiano, abrindo o placar.

Etapa Complementar

O segundo tempo começou da mesma forma para a Seleção Brasileira, partindo para cima, e logo no primeiro lance, Oscar tabelou com Fred e finalizou para boa defesa de Buffon.

A Itália por sua vez mudou a postura e conseguiu surpreender aos cinco minutos de jogo, após uma bola longa ao ataque, Balotelli desviou de calcanhar lançando Giaccherini nas costas de Marcelo, o meia avançou com liberdade e chutou cruzado contra a meta de Julio Cesar para deixar tudo igual.

Neymar comemora golaço de falta. Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Neymar comemora golaço de falta. Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

O Brasil recolocou a bola em jogo e Marcelo tratou de se redimir, o lateral partiu com a bola dominada pela meia esquerda, em grande jogada individual,  passou por dois marcadores e acionou Neymar, que só parou quando foi derrubado por Maggio, praticamente na linha da grande área.

Neymar foi para cobrança novamente, mas dessa vez o camisa 10 resolveu bater direito, e demonstrou toda a sua categoria colocando a bola no ângulo esquerdo de Buffon, que nada pode fazer, um golaço.

A torcida presente na Arena Fonte Nova foi ao delírio, com o uma partida de futebol espetacular, mas não acabara por aí. Os italianos não sentiram o golpe, permaneceram bem no jogo e se lançaram ao ataque em busca do empate, impondo muitas dificuldades ao Brasil.

Aos 16 minutos, Mario Balotelli, em cobrança de falta na meia direita, bateu com efeito no ângulo esquerdo de Julio Cesar que consegui evitar o gol de empate.  No lance seguinte, De Sciglio avançou pela esquerda e rolou para Balotelli, o atacante caiu pedindo pênalti, mas o árbitro não viu nenhuma irregularidade na jogada.

A postura italiana abriu espaços para o contra-ataque brasileiro, e aos 20 minutos, após lindo lançamento de Marcelo, Fred dominou no peito, ganhou na disputa com Chiellini, e mesmo desequilibrado, invadiu a área e chutou firme de canhota, na saída de Buffon, para marcar o terceiro gol do Brasil.Três minutos depois, Neymar, que já tinha o cartão amarelo, deixou o campo ovacionado para a entrada de Bernard.

Chielini_Ricardo Matsukawa_Terra

Chielini, em lance polêmico anotou o segundo gol italiano. (Foto: Ricardo Matsukawa / Terra)

A Azzurra não desistia do jogo e aos 25 minutos, após cobrança de escanteio, o árbitro assinalou pênalti de Luiz Gustavo em Balotelli, mas a bola ficou viva na área e Aquilani rolou para Chielini finalizar no canto esquerdo de Julio Cesar.  O lance gerou muitas reclamações dos atletas brasileiros, já que não existe essa de gol em pênalti é gol, mas o árbitro Ravshan Irmatov, do Uzbequistão,  validou o tento da Itália.

Com o segundo gol a Itália cresceu no jogo e aos 27 minutos o técnico Cesare Parndelli promoveu a entrada de El Sharaawi na vaga de Diamanti dando mais poder ofensivo a sua equipe.Logo em sua primeira participação o “Faraó” aproveitou um cruzamento de Maggio, antecipou a marcação no primeiro pau e cabeceou com perigo, por cima do travessão.Tentando conter o ímpeto italiano e garantir o resultado positivo, Felipão reforçou o meio de campo canarinho com a entrada de Fernando no lugar de Hulk.

O momento era melhor para os tetracampeões , e aos 34 minutos Candreva cobrou escanteio, Maggio subiu livre e cabeceou no travessão, quase o gol e empate.

Dois minutos depois, em cobrança de falta ensaiada, Candreva rolou a bola para Balotelli e o atacante soltou a bomba, a bola saiu com perigo à esquerda do gol.

A pressão da Itália durou cerca de 15 minutos, mas como diz o velho jargão do futebol, quem não faz leva.

Fred comemora, o artilheiro deixou sua marca duas vezes na partida. Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Fred comemora, o artilheiro deixou sua marca duas vezes na partida. (Foto: Ricardo Matsukawa / Terra)

 Aos 43 minutos, Fernando recuperou a posse de bola na intermediaria italiana e acionou Bernard, o garoto partiu pra cima da marcação e encontrou Marcelo, livre, na entrada da área o lateral chegou batendo de primeira, Buffon não conseguiu segurar e na sobra Fred ampliou a vantagem brasileira.

A Itália ainda tentou diminuir nos minutos finais, mas a Seleção Brasileira conseguiu segurar a bola e resultado positivo diante da fanática torcida baiana. Com o resultado o Brasil segue sem perder para a Itália há praticamente 31 anos, desde o dia 05/07/1982, quando a Seleção foi eliminada da Copa do Mundo da Espanha, após derrota por  3 a 2 diante os italianos, naquela partida que ficou conhecida como  a “Tragédia do Sarriá”. De La para cá foram sete partidas, com a de hoje, entre as duas maiores campeãs do mundo, com quatro triunfos canarinhos e três empates.

Fred toca na saída de Buffon e corre para a galera. Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Fred toca na saída de Buffon e corre para a galera. Foto: Ricardo Matsukawa / Terra

Brasil e Itália aguardam agora a definição do Grupo B da Copa das Confederações para saberem quem serão os seus adversários nas semifinais da competição.

Neste domingo Espanha e Nigéria se enfrentam às 16h00 na Arena Castelão, em Fortaleza, enquanto Uruguai e Taiti jogam no mesmo horário na Arena Pernambuco.

Os espanhóis lideram a chave com seis pontos ganhos e são favoritos para conquistar o primeiro lugar do grupo. Caso confirme o favoritismo a Fúria encara a Itália na próxima fase.

Já a Nigéria, adversária da seleção espanhola, precisa vencer os campeões mundiais e torcer por um tropeço do Uruguai.

A celeste tem o jogo teoricamente mais fácil, contra o Taiti, e uma vitória com um bom saldo de gols contra o representante da Oceania pode garantir o segundo lugar aos vizinhos de fronteira provocando um clássico sul-americano na semifinal.

FICHA TÉCNICA
ITÁLIA 2 X 4 BRASIL

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)
Data/Hora: 22/06/2013
Árbitro: Ravshan Irmatov (UZB)
Auxiliares: Abdukhamidullo Rasulov (UZB) e Bakhadyr Kochakarov (KGZ)
Público: 48.874
Cartões amarelos: Machisio (ITA); David Luiz, Neymar, Luiz Gustavo (BRA)
Cartões vermelhos: – nenhum

GOLS: Dante, 45’/2ºT (0-1); Giaccherini, 6’/2ºT (1-1); Neymar, 9’/2ºT (1-2); Fred, 20’/2ºT (1-3); Chiellini, 25’/2ºT (2-3); Fred, 42’/2ºT (2-4)

ITALIA: Buffon, Abate (Maggio – 29’/1ºT), Bonucci, Chellini, Sciglio; Montolivo (Giaccherini – 26’/1ºT), Aquilani, Machisio, Candreva, Diamanti (El Shaarawy – 27’/2ºT); Balotelli. Técnico: Cesare Prandelli.

BRASIL:  Julio Cesar, Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz (David Luiz – 33’/1ºT), Marcelo; Luiz Gustavo, Hernanes, Oscar; Hulk (Fernando – 30’/2ºT), Neymar (Bernard – 23’/2ºT) e Fred. Técnico: Luiz Felipe Scolari.