ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Brasil estreia novo Mineirão com empate e vaias

Seleção e seus principais jogadores não rendem o esperado e Brasil só empata com o Chile

Por Vladimir da Costa

Num Mineirão lotado e empolgado pela reestreia da seleção brasileira diante da seleção chilena, o Brasil não teve vida fácil e só conseguiu um empate.

Com vaias durante boa parte do jogo, novamente, o público brasileiro deixou o estádio insatisfeito com o que a seleção mostrou. Mal em quase todos os setores, a seleção não conseguiu envolver o time chileno que se mostrou bem a vontade e criou as melhores chances de gols durante todo o jogo.

A partida

Num começo de jogo morno, com os meias, Jadson e Ronaldinho Gaúcho muito centralizados, o Brasil deixou o Chile gostar do jogo e logo caiu em desagrado com a torcida brasileira que estava muito empolgada antes da partida.

Jogadores do Chile comemoram gol marcado por Marcos González (esq.) depois de uma bobeira da seleção (Foto: Vanderlei Almeida/AFP)

Antes mesmo do Brasil criar uma boa jogada de ataque, a equipe chilena chegou ao gol aos sete minutos. Depois da Cobrança de falta na área, Cortés errou o cabeceio e Marcos González, na sobra, empurrou de cabeça para o fundo do gol, num vacilo da zaga brasileira.

O gol motivou a equipe visitante que quase chegou ao segundo gol cinco minutos depois. No contra-ataque, Mena partiu em velocidade, entrou livre na área e chutou rasteiro na saída de Diego Cavalieri que bem colocado salvou o Brasil de levar o segundo gol da partida. E eles queriam mais. Outra vez pela direita, Meneses enfiou na área para Vargas e o atacante cruza para Rubio, que de bicicleta, mandou a bola rente à trave esquerda de Diego Cavalieri.

O jogo seguia com o Chile melhor, mais efetivo e perigoso quando tinha as bolas nos pés. Já o Brasil tinha na bola parada suas melhores chances de chegar ao gol adversário, e em uma delas, saiu o empate.

Após cobrança de escanteio de Neymar pela esquerda, Rever no seu melhor estilo centroavante, subiu mais que todo mundo, cabeceou pro chão, e empatou a partida no Mineirão, justamente no momento em que o Chile era mais perigoso. Neymar bateu escanteio da esquerda, Réver subiu na primeira trave e testou para o chão. A bola bateu no gramado e entrou no canto direito de Johnny Herrera, sem nada a fazer. Era o empate do Brasil no Mineirão.

Com o gol, o Brasil cresceu na partida e passou a marcar mais em cima, dificultando a saída de bola dos chilenos que passaram a dar chutão para a frente, o que facilitava a recuperação de bola da seleção brasileira. Junto com a disposição dentro de campo, o meio campo passou a distribuir melhor o jogo e passou a jogar mais pela direita, dando mais opções de ataque.

Jogadores comemoram gol de empate marcado por Réver depois de cobrança de escanteio (Foto: Wagner Carmo/VIPCOMM)

Em um desses ataques, Neymar perdeu uma chance clara de gol. Após boa jogada individual na entrada da área, Jean tocou na área para o atacante, que dominou livre, olhou para o goleiro, mas exagerou na força e a bola saiu sobre o gol de Herrera.

O jogo seguia equilibrado, com o Chile mais efetivo quando tinha a bola e o Brasil seguia sem meio campo. Jadson e Ronaldinho não estavam num bom dia e com isso, Leandro Damião pouco participava do jogo e foi assim foi até o final da primeira etapa.

Segundo tempo

Com duas alterações para o segundo tempo, Felipão mudou, mas não ousou. Colocou Pato no lugar de Damião e Henrique na vaga de Dedé.

Neymar comemora após marcar para o Brasil (Foto: Sergio Moraes/REUTERS)

As mudanças não causaram o efeito imediato como queria Felipão. O Chile seguia marcando forte e mostrava bom toque de bola. Era o Brasil quem isolava a bola nos primeiros minutos do segundo tempo. A primeira chegada foi dos chilenos aos seis. Mena tocou na meia esquerda para Rubio, que invadiu a área, mas finalizou mal e a bola passou longe do gol.

Aos poucos a seleção foi melhorando, muito em função de Pato que se movimentava em busca da bola e depois de uma boa jogada do atacante do Corinthians, o Brasil chegou ao segundo gol. Em boa troca de passes dos homens de frente, Alexandre Pato recebeu ótimo passe de Jadson, invadiu a área, e rolou a bola para Neymar, livre, que só teve o trabalho de empurrar para dentro do gol vazio.

Mesmo com o gol, a partida seguia equilibrada, e aos 18 minutos, o Chile chegou ao empate com um golaço. Vargas recebeu no meio campo, passou por Jadson e da intermediária soltou a bomba. A bola entrou no canto esquerdo de Diego Cavalieri, sem chances de defesa, marcando um belo gol na partida.

Com o empate, Felipão fez mais duas mudanças, colocou o veloz Osvaldo no lugar do Jadson, que rendeu muito pouco e Fernando, no lugar de Ralf, que fez uma partida discreta.

A partida seguia movimentada e equilibrada O Brasil com atacantes rápidos, buscava acelerar quando tinha a bola, assim como o Chile, que era perigoso quando a bola caia nos pés de Vargas.

Aos 41 minutos, Osvaldo recebeu de Fernando pela direita, driblou o zagueiro, invadiu a área e sofreu um tranco do zagueiro, por trás. O atacante pediu pênalti, mas o juiz nada deu.

Na jogada seguinte, Fuenzalida recebeu belo passe na entrada da área, mas o auxiliar marca impedimento. Os chilenos reclamam na jogada duvidosa.