ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Com Senna na cabeça, Corinthians vernce e avança

Ao melhor estilo acelera Ayrton, Corinthians goleia com direto a frango do adversário e elimina a partida de volta.

Por Vladimir da Costa

Jogando na Arena do Amazonas, no padrão Fifa, com estilo brasileiro, em reformas, o Corinthians mostrou sua força e diante de um belo público, impôs seu ritmo e não demorou para mostrar para os donos da casa que a vaga antecipada seria conquistada com méritos.

Antes mesmo da partida começar, o ritmo do timão já era frenético. Com capacetes em homenagem ao eterno Ayrton Senna, o Corinthians entrou em campo homenageando o aniversário de 20 anos sem o ex-piloto. Marcando em cima, sufocando e dificultando a saída de bola do adversário que não resistiu e tomou o primeiro gol logo aos sete minutos, com Cleber. O timão não diminuiu a pegada e seguiu em cima do Nacional que não conseguia chegar perto da intermediaria do Corinthians. Jadson com boa movimentação participava ativamente das jogadas de ataque. O segundou não demorou. Bruno Henrique avançou e bateu, o goleiro Jairo que não demonstrava muita segurança não segurou e de bico, Guerrero fez seu gol, depois 4 meses sem marcar, para felicidade de todos seus companheiros.

Corinthians homenageia senna usando capacetes parecidos com o que o tricampeão de F1 usava. (Foto: Rodrigo Coca/ Foto Arena)

Corinthians homenageia Senna usando capacetes parecidos com o que o tricampeão de F1 usava. (Foto: Rodrigo Coca/ Foto Arena)

Com a vantagem, o Nacional voltou para o intervalo disposto a diminuir o prejuízo. Com Carlinhos Bala em campo e chutes de todos os lados, a equipe do Amazonas seguiu pressionando até que o  goleiro Jairo resolveu dar uma força. Pro lado errado. Romarinho recebeu bola na entrada da área e bateu fraco, o suficiente para vencer Jairo. Um frango que abateu todo o time. A equipe murchou. O Corinthians cresceu e passou a administrar o placar de 3 a 0 que classificava a equipe, que de quebra, levou parte da renda do estádio que estava lotado.

A partida.

Com marcação no campo de ataque, o Corinthians começou a partida com uma postura mais ofensiva. Tanto que não demorou para o gol sair. Aos oito minutos o alvinegro abriu o placar. Cleber subiu  na grande área para desviar de cabeça a cobrança de Jadson para o fundo das redes para delirou da fiel que lotava a Arena da Amazônia . Um dos palcos para a Copa do Mundo.

 Apesar de ampla vantagem do Corinthians o Nacional conseguia chegar a frente. Após cobrança da falta, Índio antecipou-se ao goleiro Cássio e desviou de cabeça. O assistente marcou impedimento da equipe.

O Corinthians dominava as ações. Com Jadson mais participativo, o alvinegro conseguia atacar pelas duas laterais e pelo meio. E foi em uma dessas jogadas mais centralizadas que a equipe chegou ao segundo gol. Aos 21 minutos, Bruno Henrique recebeu a bola, passou dois marcadores e bateu, o goleiro rebateu e de primeira, de bico, Guerrero estudou as redes, para ampliar o placar.

Os comandados de Mano Menezes seguiam no campo de ataque, pressionando os donos da casa que sustentavam bem a pressão.  Aos 38 minutos, Jadson lançou a bola na área. Cleber e Petros tentam finalizar. Jairo desviou a bola que caiu nos pés de Guerrero que acertou a trave.

Guerrero comemora seu gol. O peruano voltou a marcar depois de 4 meses. (Foto: Rodrigo Coca / Foto Arena)

Guerrero comemora seu gol. O peruano voltou a marcar depois de 4 meses. (Foto: Rodrigo Coca / Foto Arena)

No retorno do intervalo, sem muitas opções, a equipe do Nacional resolveu se lançar o ataque. Com velocidade e o “grande” e rodado Carlinhos Bala, o Nacional passou a frequentar mais o campo de ataque. Principalmente Jefferson pela esquerda, o Nacional levantou sua torcida com a chance de diminuir o marcador.

Vendo sua equipe ser pressionada, Mano resolveu mexer. Colocou Romarinho no lugar de Luciano, mas pouca coisa mudou. Cassio era quem mais pegava na bola. Mesmo sem fazer grandes defesas o goleiro corinthiano era o mais exigido.

Aos 15 minutos do segundo tempo, os donos da casa era quem comandava a partida. De papeis invertidos, o Corinthians se defendia e tocava a bola, enquanto o Nacional, quando tinha a bola, acelerava e buscava o gol de Cássio.

Aos 18 minutos, o goleiro Jairo, que já havia falhado no primeiro tempo, voltou a falhar, mas desta vez feio.  Romarinho, que havia entrado a pouco, Recebeu na intermediária, ajeitou o corpo e bateu, fraca, rasteira. O goleiro foi todo “mole” pra bola, que passou por debaixo se suas luvas e entrou, lentamente para ampliar o placar. Levanto o terceiro gol, quando sua equipe era quem dominava a partida.

Petrus carrega a bola em contra-ataque. (Foto: Rodrigo Coca / Foto Arena)

Petrus carrega a bola em contra-ataque. (Foto: Rodrigo Coca / Foto Arena)

Com o terceiro gol, os donos da casa pareciam ter desanimado. Após o gol, automaticamente, o Corinthians restabeleceu seu domínio da partida. Aos 22 minutos, Jadson abriu na direita com Guerrero, que entrou na área e bateu no canto esquerdo de Jairo. O goleiro usou os pés para defender o gol certo do timão.

Aos 27 minutos, o melhor lance do Nacional. Em boa trama do ataque, Carlinhos Bala recebeu bom passe e bateu firme. Cassio, bem colocado, mandou para escanteio. Na sequência, Fabiano recebeu sozinho na frente, mas o bandeirinha assinalou erroneamente impedimento.

O desanimo de ter levado o terceiro gol passou.  Nos últimos 15 minutos o Nacional equilibrou novamente a partida. Aos 32 minutos, Felipe Capixaba recebeu boa bola de Fabiano e carimbou a junção da trave esquerda de Cássio que tirou com os olhos.

O Mesmo Felipe, que pega bem na bola tentou aos 39 minutos, mas novamente, parou em Cássio. O Nacional chegava bem, mas não conseguia chegar dentro da área. Com isso, o goleiro corinthiano levava vantagem em todas.

O Corinthians, tranquilo na partida, seguiu com o controle total do jogo.  Tocava a bola com tranquilidade, apenas esperando o final da partida. Que veio, junto com a classificação antecipada para a terceira faze da competição.