ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Corinthians vence rápido e vai as quartas da Copa do Brasil.

Rapidinho o timão tratou de espantar a zebra e despachou o Bragantino da competição nacional.

Por Paulo Edson Delazari
Renato Augusto "voa" para comemorar o primeiro gol do Timão na partida (Foto: Marcos Ribolli)

Renato Augusto “voa” para comemorar o primeiro gol do Timão na partida (Foto: Marcos Ribolli)

Foram necessários somente 20 minutos para que o Corinthians garantisse sua vaga às quartas de final da Copa do Brasil na Arena Corinthians contra o Bragantino.  Com gols de Renato algusto, Ralf e Anderson a equipe alvinegra fez três em menos de 20 minutos sobre o adversário logo no primeiro tempo e administrou o resultado sofrendo um no fim do segundo tempo.

A atuação até surpreendeu, após tropeçar no jogo de ida e contar com pelo menos cinco desfalques, o alvinegro paulista dominou as ações do jogo logo de cara e mostrou que tem elenco para disputar as duas competições nacionais, sem perder o bom futebol, mesmos com tantas adversidades.

O grande destaque do jogo foi o meia Renato Augusto. Com atuação inspirada, o meia abriu o placar com um belo chute de fora da área logo aos três minutos e ainda cobrou os escanteios para os gols de cabeça de Ralf e Felipe, que ocorreram aos 15 e 19. No fim da partida, Guilherme Mattis, também cabeceando, descontou, mas já não havia mais tempo para impedir a eliminação.

No fim do primeiro tempo e na volta do intervalo, os mandantes se acomodaram e diminuíram o ritmo. Precisando de dois gols, o Bragantino foi para cima e criou algumas chances, obrigando a Cássio a trabalhar, e trabalhar bem. A situação era tranquila para a equipe da casa, mas um gol do Bragantino na bola parada no fim deu uma leve preocupação ao torcedor. No entanto, não passou mesmo de um susto.

Agora, o time da capital espera pelo vencedor entre Palmeiras e Atlético-MG na próxima fase do torneio. No duelo de ida, os mineiros triunfaram por 1 a 0 em pleno Pacaembu. O duelo de volta ocorrerá na quinta-feira no Independência.

Pelo Brasileirão, o Corinthians voltará a ir a campo no domingo, quando enfrentará o Criciúma no Heriberto Hulse, às 16h (de Brasília). Um dia antes, o Bragantino visitará o Náutico na Arena Pernambuco, às 16h10, pela Série B.

O jogo

Jogadores do Corinthians festejam na vitória sobre o Bragantino (Foto: Marcos Ribolli/GloboEsporte.com)

Jogadores do Corinthians festejam na vitória sobre o Bragantino (Foto: Marcos Ribolli/GloboEsporte.com)

O Corinthians facilitou a própria vida com um ótimo início. Se a ideia era abrir o jogo pelos lados, isso foi bem feito em uma jogada pela direita entre Bruno Henrique e Romarinho, que achou Renato Augusto na entrada da área, aos três minutos. O meia pegou a bola no alto, de primeira, de chapa, e acertou o canto esquerdo.

O Bragantino até esboçou um bom lance com Bruno Recife na esquerda, mas os donos da casa seguiram na frente. Com articulação efetiva de Renato Augusto, a movimentação dos três homens de frente, geralmente com Luciano e Romarinho abertos, era mais do que podiam suportar os visitantes.

Luciano teve chute perigoso desviado. Pouco depois, esteve perto de concluir jogada em que Romero aproveitou vacilo de Leonardo. Aos 14, tramou com Fábio Santos investida que resultou em escanteio pela esquerda. Renato Augusto bateu no segundo pau, e Ralf ganhou pelo alto para dar ao Corinthians a vantagem necessária para a classificação.

Cinco minutos depois, a vaga nas quartas de final estava praticamente decidida. Em mais uma chegada pela ponta, Romero recebeu na linha de fundo e conseguiu escanteio da direita, outro bem batido por Renato Augusto. Felipe subiu muito, cabeceou com força e marcou o terceiro.

Paulo César Gusmão tentou corrigir o Bragantino com Romário no lugar de Marcos Paulo e escapou de levar o quarto em nova parceria de Luciano com Fábio Santos. Romarinho recebeu o cruzamento e foi bem no calcanhar, mas a bola não entrou, apesar da comemoração precipitada de alguns torcedores em Itaquera.

Segundo tempo

Depois de escapar de perder Romário, que levou só cartão amarelo por carrinho por trás em Ralf nos acréscimos do primeiro tempo, o Bragantino teve de buscar mais o ataque na etapa final. Léo Jaime voltou do intervalo no lugar de Luisinho, e os primeiros minutos não tiveram nada digno de nota.

Cássio trabalhou efetivamente pela primeira vez aos 11 minutos, em chute de longe de Geandro. Com um posicionamento de marcação bem mais recuado, o Corinthians apostava nos contra-golpes, como no lance em que Romero acabou sendo travado por Guilherme Mattis.

Bem no ataque, Felipe deu um de seus sustos na defesa, mas Cesinha, livre na pequena área, errou o desvio. Mota foi a última aposta de Gusmão, e Mano Menezes acionou Jadson. Aos 25, o técnico corintiano promoveu o retorno de Petros, que manteve distância do árbitro Vinícius Furlan.

Na sequência, o muito aplaudido Renato Augusto deu lugar a Danilo, chamado para manter um pouco a bola nos pés dos anfitriões. Os minutos finais transcorriam sem maiores sustos até os 44, quando Guilherme Mattis marcou de cabeça e deixou o Bragantino a um gol da vaga, contudo, era tarde demais para uma reação.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 3 X 1 BRAGANTINO

Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 3 de setembro de 2014, quarta-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Vinícius Furlan (SP)
Assistentes: Marcio Luiz Augusto (SP) e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)
Público: 27.817 pagantes
Renda: R$ 1.497.128,00
Cartões Amarelos: Fábio Santos (Corinthians), Romário, Mota, Geandro e Marcos Paulo (Bragantino)
Gols: CORINTHIANS: Renato Augusto, aos 3, Ralf, aos 15, e Felipe, aos 19 minutos do primeiro tempo
BRAGANTINO: Guilherme Mattis, aos 44 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Felipe, Anderson Martins e Fábio Santos; Ralf, Bruno Henrique (Petros) e Renato Augusto (Danilo); Romero (Jadson), Romarinho e Luciano
Técnico: Mano Menezes

BRAGANTINO: Marcelo; Samuel, Leonardo, Guilherme Mattis e Bruno Recife; Geandro, Marcos Paulo (Romário) e Sandro; Cesinha, Lincom (Mota) e Luisinho (Léo Jaime)
Técnico: Paulo César Gusmão