ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Craques tem atuações discretas e partida acaba empatada

Partida equilibrada e empate justo no primeiro duelo da semifinal da Copa do Rei

Por Vladimir da Costa

No primeiro grande jogo do ano do futebol mundial, Real Madrid e Barcelona foram a campo para disputar uma das semifinais da Copa do Rei.

Ronaldo cumprimenta Puyol depois de fazer falta no capitão do Barça (Juan Carlos Hidalgo/EFE)

Jogando em casa o Real Madrid explorou uma de suas qualidades, o contra-ataque, já que o Barcelona quando tinha a bola, valorizava, tocando-a de pé em pé, esperando o melhor momento para atacar o adversário.

O volume de jogo do time visitante não foi concluído em gols, apensar de ter as melhores chances, a noite não era do Barcelona. O time criou ao menos três boas oportunidades, mas não conseguiu mandar pra dentro. Pedro teve a melhor delas, mas mandou pra fora. O Real cansou de ver o adversário jogar e desperdiçar e depois chegou ao empate que deixa tudo em aberto para a partida de volta, daqui a um mês, em Barcelona.

A partida

O Real começou a todo vapor a partida. Logo aos dois, em cobrança de falta, CR7 bateu bem na bola, por cima da barreira e Pinto teve de se esticar todo para fazer a defesa.

Os donos da casa, empurrados por um Bernabéu completamente tomado, continuou em cima, com pouco toque de bola e muita velocidade, o Real Madrid tentava hora com Ozil, hora com Cristiano Ronaldo furar a zaga adversária, mas não conseguia espaço para finalizar a gol.

Aos poucos o Barça ia colocando seu jeito de jogar em prática, tocando bem a bola com toques curtos, ia envolvendo o Real que parou de atacar e passou a correr atrás da bola e depois de uma falta na entrada da área pela esquerda, quase o Barcelona sai na frente.

Aos 20 minutos, Xavi cobrou falta por cima da barreira, mas a bola explodiu no travessão de Diego López, na sobra, ninguém aproveitou.

A equipe visitante continuou em cima. Aos 24 minutos, depois de uma fala grotesca de Ricardo Carvalho que recuou errado, a bola sobrou para Messi, que conseguiu driblar o goleiro Diego López e tocou para Xavi bater, mas Raphaël Varane salvou em cima da linha.

A pedido de José Mourinho, o Real passou a marcar mais firme, diminuindo os espaços e a pressão deu certo. Depois de roubada de bola no campo de ataque, Callejón tocou para Benzema dentro da grande área. O francês dominou com a esquerda e de primeira, bateu com a direita, acertando a rede pelo lado de fora. Quase um belo gol no Santiago Bernabéu.

 

Bem marcado, Messi não conseguiu jogar o que sabe diante do Real Madrid (Foto: Juan Carlos Hidalgo/EFE)

O Real Madrid melhorou depois do ataque, mas não era efetivo na hora da finalização. Apesar disso, teve mais uma boa chance, pela direita de seu ataque. Ozil recebeu, partiu pela linha de fundo e cruzou, a zaga tirou mal, mas Benzema não chegou na bola e Puyol conseguiu afastar o perigo de vez.

A partida se seguiu com algumas faltas mais duras, muita reclamação, mas nenhuma chance clara de gol até o árbitro Clos Gómez, apitar o final da primeira etapa.

Segundo tempo

Assim como no primeiro tempo, o Real Madrid começou com tudo. No primeiro minuto, Benzema perdeu uma ótima chance. Depois de receber na entrada da área, o francês passou por dois adversários até ficar de frente pra Pinto, o camisa nove bateu, mas a bola passou por sobre o gol.

E quem não faz….

Aos 5 minutos, depois que Callejón não conseguiu afastar, e a bola achou o pé de Messi, que de primeira, deu um passe para Fàbregas que, sozinho, esperou o goleiro sair para mandar no canto, sem chances para Diego Lópes. Barcelona na frente no Santiago Bernabéu.

Com o gol a partida ficou mais aberta, com mais espaço para ambos os ataques produzirem jogadas de gol. Em uma desses espaços, Xavi fez lindo lançamento para Fàbregas, mas Varane conseguiu vencer na corrida e tirar no momento exato.
O Real Madrid segue com dificuldade para encontrar os espaços ofensivos, o Barcelona continuava melhor. As chances só apareciam quando a bola caia nos pés de CR7. Depois que Essien jogou a bola na área, o português, dentro da pequena área tentou a cabeçada, mas não acertou o alvo.

Na frente do placar, o Barcelona fez o que sabe fazer de melhor. Tocar a bola e deixar o tempo passar. Sabendo que do outro lado tinha um gigante, o Barça diminuiu seu ritmo, vendo o relógio correr. Percebendo isso, Mourinho colocou gás novo em campo. Sacou Karim Benzema, colocando Higuaín em seu lugar.

Ronaldo também teve atuação discreta no clássico (Foto: Juan Carlos Hidalgo/EFE)

O Barcelona seguia tendo as melhores chances de gols, mas não conseguia botar pra dentro. Aos 24 minutos Xavi lançou Daniel Alves que demorou para chutar à gol e acabou rolando no meio para Fàbregas que acabou chutando por cima. Três minutos depois, novamente Xavi achou Pedro e lançou. Sozinho, o atacante avançou, entrou dentro da área e cara a cara com Diego López, mandou para fora, perdendo uma chance incrível.

Coincidência ou não, depois do lance o camisa 17 saiu para dar lugar a Alexis Sánchez.

O Barcelona continuava em cima do Real Madrid, que parou de jogar e passou a se defender. Muito mais pela direita, o time visitante chegava com perigo, mas não conseguia finalizar.

E o castigo não demorou. Aos Varane, de 1.91 empatou o jogo. Özil cruzou e o francês subiu mais que todo mundo testando firme para o chão. Sem chances para Pinto.
A partida voltou a ficar equilibrada. Agora, o Barcelona estava mais preocupado em não levar a virada nos cinco minutos finais do que fazer o segundo. Com o empate, a torcida inflou e o Real Madrid foi pra cima, muito mais na base da vontade e velocidade de seus jogadores de ataque.

O Barcelona ainda teve mais uma chance, mas a pontaria não estava calibrada. Alba recebeu em velocidade, invadiu a área e fuzilou no gol do Real. Diego López bem colocado fez excelente defesa.

E não tinha tempo para mais nada, final, empate em 1 a 1 em uma partida movimentada, com boas defesas dos goleiros, e ótimas chances perdidas de gols para os dois lados. A partida de volta será dia 26 de fevereiro, no Camp Nou.