ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Em clássico eletrizante, Pato dá vitória ao tricolor no fim

Em duelo movimentado, São Paulo bateu o Santos no Morumbi por 2 a 1 e chegou de vez na briga pelo título do Brasileiro.

Por Vladimir da Costa

Uma partida para os amantes do futebol. Se muito se fala sobre a qualidade do futebol brasileiro atual, São Paulo e Santos trataram de diminuir as criticas. Com bom toque de bola, jogadas bem trabalhadas, hora pelo meio, hora pelas pontas, os jogadores foram protagonistas de uma bela partida de futebol. Com emoção o fim. Mostraram qualidade, técnica e vigor físico. Correram até o apito final para felicidade dos tricolores, vencedores, mas também para todos que apreciam o esporte e sua magia.

Um primeiro tempo bem movimentado onde prevaleceu a qualidade dos atacantes são-paulinos. Com toques envolventes e passagens rápidas, o São Paulo jogou mais no campo adversário e criou boas chances de gols, mas apenas uma entrou. Um chute de Paulo Henrique Ganso, que seguiu as orientações de Muricy para entrar na área e novamente deu certo. Jogava nos contra-ataques e teve por duas vezes, em bolas paradas a chance de empatar, mas ambas foram defendidas por Rogério.

Ganso e Kaká comemoram o primeiro gol do tricolor no clássico diante do Santos. (Foto: Friedemann Vogel/Getty Images)

Ganso e Kaká comemoram o primeiro gol do tricolor no clássico diante do Santos. (Foto: Friedemann Vogel/Getty Images)

O segundo tempo demorou a engrenar. Apesar da boa movimentação Santista, a equipe pouco assustava o gol de Rogério. O São Paulo mais recuado passou a jogar no contra-ataque. Teve a chance de matar a partida com Pato, que parou em Aranha.

Os últimos 10 minutos de jogo foram insanos. O Santos martelou até empatar a partida, de pênalti. Gabriel cobrou penalidade cometida por Álvaro Pereira e deixou tudo igual. O São Paulo não se abateu e aos 45 minutos, com Pato, marcou e fez a festa dos mais de 31 mil pagantes no Morumbi.

Com o resultado, a equipe do litoral paulista permanece com seus 23 pontos e ficando na nona posição. Já o São Paulo, com a vitória, chegou à segunda colocação, com 32. Quatro pontos a menos que joga ainda hoje, contra o Goiás.

 A partida

Jogando em casa diante de sua torcida, o São Paulo começou melhor a partida. Atacando principalmente pelo lado direito, com Alvaro Pereira, lateral de oficio, subia mais que Paulo Miranda, que do outro lado quebrava um galho na lateral esquerda. Apesar do controle no meio campo inicial, quase quem marcou foi o Santos. Aos quatro minutos, Paulo Miranda tocou na fogueira para Edson Silva, Thiago Ribeiro pegou do zagueiro, invadiu a área e toca fraco. Alvaro Pereira afastou o perigo.

Com Kaká em campo, o São Paulo chegou a quarta vitória seguida no Brasileiro. (Foto: Reinaldo Canato/UOL)

Com Kaká em campo, o São Paulo chegou a quarta vitória seguida no Brasileiro. (Foto: Reinaldo Canato/UOL)

Depois desse susto inicial o Santos parou. Com Ganso distribuindo a bola para Kaká e Alan Kardec na frente, com Pato se movimentando, o São Paulo chegava com certa facilidade perto do gol defendido por Aranha.

Aos 12 minutos, Kaká tabelou com Ganso, que enfiou para Alvaro Pereira. O uruguaio bateu cruzado e o goleiro santista pegou. O São Paulo seguia em cima, variando jogadas pelo meio e pela esquerda, sempre com passes rápidos para passar pela boa defesa santista. Aos 21 minutos, em mais uma bola jogada. Pato tocou para Paulo Miranda, que chutou para defesa de Aranha que pegou em dois tempos.

E não teve jeito, depois de martelar, o São Paulo chegou ao gol. Paulo Miranda cobrou lateral, Kardec escorou de cabeça e a bola chegou em Ganso que dominou com a direita, girou com a esquerda, sem deixar a bola cair, bateu no ângulo esquerdo de Aranha! Lindo gol do camisa 10 tricolor.

Alvaro Pereira foi implacável na marcação. (Foto: Reinaldo Canato/UOL)

Alvaro Pereira foi implacável na marcação. (Foto: Reinaldo Canato/UOL)

Com o gol o São Paulo se fechou e com isso, o Santos voltou a jogar no campo adversário. Aos 30 minutos, Lucas Lima bateu escanteio e David Braz subiu mais que todo mundo e cabeceou para defesa de Rogério.

Pato teve sua primeira chance aos 34 minutos. Mena cortou errado e o atacante tricolor bateu de fora da área, mas pegou mal na bola que saiu sem perigo para Aranha.

O ataque tricolor demonstrava bom toque de bola e movimentação a frente, o que dificultava para os homens defensivos santista. Porém, os são-paulinos jogavam muito fora da área, o que facilitava a marcação.

O Santos por sua vez era perigoso em bolas paradas. Nesse tipo de lance o São Paulo mostrava toda sua fragilidade. Aos 42 minutos, em nova cobrança de escanteio, Edu Dracena subiu bem e cabeceou com firmeza. Rogério Ceni caiu bem para pegar firme.

O São Paulo respondeu com velocidade. Dois minutos depois, Alan Kardec recebeu pela direita e cruzou para o meio da área. Kaká subiu livre mas não pegou bem na bola que saiu a esquerda do gol santista.

Precisando empatar, Oswaldo Oliveira mexeu no time. Sacou Damião e colocou Rildo. Mais veloz e com boa transição do meio para o ataque, a situação se inverteu. O Santos era quem ficava com a bola e o São Paulo explorava o contra-ataque. Aos quatro minutos, Kaká partiu em velocidade pela esquerda, invadiu a área cruzou fechado. Aranha estava ligado e colocou para escanteio.

A medida que o Santos ia atacando, principalmente pela direita, aparecia a garra do uruguaio. Em todas as disputa de bola, Álvaro Pereira demonstrava uma garra acima do normal. Sem desistir de uma bola, o jogador passava essa energia para os demais companheiros que era sentida pela torcida que vibrava a cada carrinho do lateral esquerdo.

Gabriel descontou para o Santos de pênalti. 9Foto: Reinaldo Canato/UOL)

Gabriel descontou para o Santos de pênalti. (Foto: Reinaldo Canato/UOL)

O jogo foi corrido. Na medida que o Santos ficava mais com a bola, o São Paulo era mais faltoso e com isso o jogo não corria, muito menos as chances de gols. Aranha que trabalhou muito no primeiro tempo, atuou sem muito trabalho no segundo. Ganso e Kaká pareciam ter cansados e isso prejudicou o bom volume visto na etapa inicial.

Aos 32 minutos, a grande chance do jogo aconteceu para o São Paulo. Em jogada rápida, Ganso lançou Pato. O atacante disparou sozinho com a bola dominada, entrou na área, e bateu rasteira. Aranha saiu bem e fez a defesa. Muricy, no banco ficou bravo, queria uma cavadinha no lance.

Final emocionante!

Depois de perder um gol feito, o São Paulo foi castigado. Aos 39 minutos, Álvaro Pereira foi imprudente dentro da área e derrubou Rildo. Pênalti. Gabriel, de apenas 17 anos deslocou Rogério. Empate no Morumbi.

jogadores do São Paulo comemoram o gol da vitória no clássico diante do Santos. (Foto: Ernesto Rodrigues/UOL)

jogadores do São Paulo comemoram o gol da vitória no clássico diante do Santos. (Foto: Ernesto Rodrigues/UOL)

O jogo caminhava para seu fim quando a qualidade técnica superou a força. O São Paulo trocou bola na entrada da área, Ganso para Denilson  que achou Pato sozinho. O atacante chutou e Aranha defendeu parcialmente. A bola ainda ficou com o atacante que estufou as redes no rebote. Gol da vitória do tricolor no Morumbi.