ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Em novo encontro contra equipe mineira, tricolor só empata

 

São Paulo empata em Minas, mas segue na Liderança do Brasileiro depois de três rodadas

Por Vladimir da Costa

Em partida válida para terceira rodada do Brasileirão, o São Paulo foi até Minas Gerais para encarar o Atlético, no Independência para tentar mostrar um futebol melhor do que apresentado nas últimas vezes que fez diante do galo, quando o tricolor foi goleado e eliminado nas oitavas de final da Libertadores.

Apesar se ter jogado quinta, uma partida dura diante do Tijuana e sem poder contar com Bernard e Rever, que estão com a seleção, o Atlético mostrou que tem força dentro de casa e não facilitou em nada a vida do São Paulo que concentra todas suas forças no brasileiro.

Lucio e jô disputam bola em Minas.

Lucio e Jô disputam bola em partida válida pela terceira rodada do Brasileiro. (Foto: Pedro Vilela/AGIF)

Apesar de jogar fora e boa parte do segundo tempo com um a menos, depois que Denílson foi expulso, o tricolor teve as melhores chances da partida. Uma no primeiro tempo na cabeçada de Lucio, que Marcos Rocha tirou em cima de linha e depois com Osvaldo, que sozinho, mandou por cima do gol do Vitor.

A partida

O São Paulo começou em cima do Atlético-MG, marcando forte, o tricolor não dava espaço para os donos da casa ficarem com a bola. Com um time mais veloz, já que Aloisio estava no lugar do Luis Fabiano, o tricolor pressionava o galo nos minutos iniciais em busca do primeiro gol.

Aos oito minutos, o São Paulo teve que fazer a primeira alteração. O lateral esquerdo Carleto, que sofreu uma torção no joelho, numa disputa de bola, tentou continuar em campo, mas deixou o campo chorando, em seu lugar, Ney Franco colocou Juan, que retornava a equipe depois de passar uma temporada no Santos. Aos poucos o Atlético foi melhorando na partida e passou a atacar mais, principalmente quando a bola passava pelos pés de Ronaldinho Gaúcho.

A partida seguia pegada, com muita marcação e velocidade. Os últimos confrontos neste ano contribuíram para o aumento da rivalidade entre as equipes. Disputas de bolas mais duras eram vista com frequência.

Ronaldinho

Ronaldinho jogou abaixo do esperado hoje (Foto:Pedro Vilela)

Aos poucos o ímpeto ofensivo do São Paulo foi diminuindo. As jogadas ofensivas eram centralizadas pelo meio, que estava congestionado e com isso a zaga atleticana levava vantagem sobre as investidas do tricolor.

Aos 35 minutos, quase o primeiro gol da partida. Depois de escanteio cobrando pela direita, Vitor saiu em falso e Lucio cabeceou para o gol, Marcos Rocha tirou em cima da linha, salvou o que seria gol certo do São Paulo.

O galo não demorou pra responder. Luan partiu livre pela esquerda, entrou na área, passou por Lucio, por Rogério, mas foi travado por Paulo Miranda que afastou o perigo. Aos 41 minutos, em jogada rápida do Atlético pela direita, Marcos Rocha cruzou pela direita, rasteira, para o meio da área, mas Luan pegou mal na bola e mandou pra fora.

Apesar de muita disputa e disposição dentro de campo, os goleiros seguiam sem participar muito jogo. Nos dois lances que foram exigidos, tiveram ajuda providencial de seus companheiros.

Segundo tempo

O São Paulo voltou para a segunda etapa melhor, mas sem a mesma velocidade do primeiro tempo. Tocando mais a bola, com boa movimentação de Denilson, Maicon e Lucas Evangelista o tricolor buscava uma brecha para deixar seus atacantes, Aloisio e Osvaldo em boas condições para finalizar.

O Atlético levava perigo apenas nas bolas paradas, cobradas por Ronaldinho que sempre levavam perigo para a zaga do São Paulo.

Aos nove minutos, quase o galo abre o placar. Ronaldinho cobrou falta rápida, enquanto o São Paulo se preparava para formar a barreira, Jô recebeu dentro da área e bateu forte, Rogério resvalou na bola que ainda tocou no travessão.

Dois minutos depois Osvaldo perdeu gol incrível. Aloisio fez fila na zaga, passou por dois zagueiros, chegou na linha de fundo, dentro da área e tocou para Osvaldo, livre, marcar, mas o atacante tricolor pegou mal na bola que saiu por cima do gol do Vitor.

E o São Paulo conseguiu complicar ainda mais sua missão. Aos 16 minutos, num lance tolo, na intermediária, Denilson colocou a mão na bola e foi expulso da partida.

Com um a mais, Cuca resolveu ir pra cima e colocou Rosinei no lugar de Pierre. Já Ney Franco, recompôs o meio campo, sacou o estreante Lucas Evangelista para entrada de Wellington.

Rogério Ceni observa posicionamento dos jogadores em campo para repor a bola

Rogério Ceni observa posicionamento dos jogadores em campo para repor a bola (Foto: Pedro Vilela/Agif)

Aos 26 minutos, Douglas recebeu bola na entrada da área, passou pelo marcador e bateu, Vitor bem colocado fez a defesa. O Atlético parecia cansado e não conseguia aproveitar o homem a mais.

A partida caiu em qualidade, O São Paulo não conseguia chegar e o Atlético não pressionava, apesar de ter três atacantes em campo. Aloisio seguiu brigando no ataque tricolor, sofrendo muitas faltas, mas as pancadas foram piorando e o atacante foi substituído sentindo muitas dores. Em seu lugar entrou Rhodolfo.

O Atlético-MG chegava apenas quando a bola saia dos pés de Ronaldinho Gaúcho.  Aos 40 o camisa 10 do galo achou Tardelli dentro da área, mas o atacante não chegou inteiro na bola e facilitou a defesa de Rogério Ceni. Minutos depois, foi a vez de Jô aproveitar cruzamento de Ronaldinho e cabecear para nova defesa de Ceni.

Os minutos finais foram de ataque contra defesa, mas o Atlético não conseguiu ultrapassar a barreira defensiva do São Paulo e a partida ficou no empate sem gols em Minas.