ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Em partida tensa, Santos perde gols, mas vence Palmeiras na Vila

Gabriel foi o autor do gol que dá a vantagem do empate para a partida decisiva da Copa do Brasil na próxima semana no Allianz Parque.

Por Vladimir da Costa

Como era de se esperar, as equipes que protagonizaram bons jogos em 2015, não deixaram a desejar na final da Copa do Brasil.

No primeiro confronto entre Santos e Palmeiras pela Copa do Brasil, na Vila Belmiro, o duelo começou eletrizante, digno do tamanho das equipes. Antes dos 10 minutos, as duas equipes já haviam perdido chance incríveis. A primeira foi do time visitante. Jackson pegou rebote do goleiro, na pequena área, mas cabeceou para fora. Dois minutos depois foi a vez do peixe perder ótima chance. Na verdade, desperdiçar um pênalti. Gabriel bateu e acertou a trave.

O jogo foi corrido na primeira etapa, com jogadores tensos, e velocidade o tempo todo, que é padrão das equipes.

Gabriel tira a camisa e comemora com raiva o único gol da partida diante do Palmeiras (Foto: Miguel Schincariol / Estadao)

Gabriel tira a camisa e comemora com raiva o único gol da partida diante do Palmeiras (Foto: Miguel Schincariol / Estadao)

Nos últimos 45 minutos, a marcação foi intensa, dos dois lados. Apesar dos 9 cartões amarelos, da expulsão do lateral Lucas e da confusão no final não tiraram o brilho do jogo.

O Santos impôs seu estilo de jogo, finalizou mais que o dobro que o Palmeiras e mereceu a vitória. Resultado que poderia ter sido mais elástico, caso não fosse o Pênalti desperdiçado e o gol bizarro que Nilson perdeu no último lance, sem goleiro, sem ninguém.

Com a vantagem mínima, o Palmeiras precisa ganhar de dois ou mais gols para ser campeão. O alviverde contará com a força de sua torcida que já esgotou todos os ingressos. O Santos, basta um empate para levantar a taça da Copa do Brasil, na próxima quarta-feira.

A partida

O jogo começou quente e no primeiro lance, o Palmeiras perdeu uma chance incrível. Falta cobrada na lateral da área por Robinho, Dudu tentou desviar, mas Vanderlei tirou parcialmente. No rebote, Jackson tem o gol livre para marcar, mas cabeceou para fora.

Jackson perdeu chance incrivel logo no inicio da partida. (Foto: Ricardo Nogueira  Folhapress)

Jackson perdeu chance incrível logo no inicio da partida. (Foto: Ricardo Nogueira Folhapress)

O Santos respondeu quase que imediatamente. Aos quatro minutos, pênalti para o peixe. Arouca puxou Ricardo Oliveira na área e o árbitro marcou a cal. Na cobrança, ao invés do artilheiro do brasileiro, que já perdeu quatro penalidades no ano, foi Gabriel. Por ironia ou não, ele também perdeu. A bola carimbou a trave esquerda de Fernando Prass.

O jogo era intenso. Aos 12 minutos, uma baixa importante para o Palmeiras. Gabriel Jesus sentiu dores no ombro, após cair de mal jeito e foi subistituido.

Aos 13 minutos, nova jogada ofensiva do peixe. Zeca fez linda jogada pela esquerda. Ele passou pelo marcador e bateu forte. Prass defendeu bem.

O jogo era equilibrado, apesar da equipe santista ficar mais tempo com a bola e ter mais chances, o Palmeiras quando tinha a bola era perigoso e saia também em velocidade. O peixe buscava jogadas pelo meio, com Lucas Lima, fazendo a triangulação, hora com Gabriel, hora com Marquinhos Gabriel. Já o Palmeiras, optava na velocidade de Kelvin, pela ponta esquerda para surpreender a defesa adversária.

Fernando Prass fez ao menos três ótimas defesas na partida. (Foto: Ricardo Nogueira / Folhapress)

Fernando Prass fez ao menos três ótimas defesas na partida. (Foto: Ricardo Nogueira / Folhapress)

Aos 39 minutos, outra ótima chance santista. Victor Ferraz faz linda jogada e tocou. Ricardo Oliveira completou cruzamento na pequena área e Fernando Prass fez um milagre para evitar o gol do Santos. No rebote, ela bate em Ricardo Oliveira e o goleiro espalmou.

Os minutos finais foi de jogo rápido, truncado, com muitas faltas. Vanderlei pouco trabalhou, apesar do alviverde chegar.

O segundo tempo começou com o Santos atuando da mesma forma que terminou o primeiro, no ataque. Renato experimentou de fora logo no primeiro minuto. Prass pegou bem. Na jogada seguinte, outra chance desperdiçada. Lucas Lima viu bem e deu lindo passe para Gabriel. Dentro da área sem marcação, o atacante dominou e bateu. Fernando Prass saiu e fez ótima defesa.

Aos cinco minutos, a primeira polêmica. Dudu lançou Barrios dentro da área. Ele saiu na cara de Vanderlei, mas David Braz chegou. O paraguaio caiu e pediu pênalti, o juiz não marcou, gerando a revolta dos jogadores de Palmeiras.

Percebendo o jogo ficar morno, sem o volume de jogo inicial, Dorival Junior mexeu na equipe. Colocou Geuvânio no lugar de Marquinhos Gabriel, pensando em resgatar a velocidade ofensiva da equipe.

Depois, houve mudança no comando da arbitragem. Luiz Flávio de Oliveira deixou o gramado, sentindo-se mal. Marcelo Aparecido de Souza entrou em seu lugar para apitar os últimos 25 minutos que restavam.

O ritmo inicial deu lugar para uma partida mais cadenciada, debaixo de chuva. Com o Santos em cima do adversário, mas sem conseguir finalizar para gol, como na primeira etapa.

O peixe seguia martelando, até que conseguiu abrir o placar. Aos 33 minutos, Gabriel recebeu de Ricardo Oliveira na ponta da área, deixou Amaral na saudade e ficou na cara de Fernando Prass. Com jeito, bateu no canto para abrir o placar na Vila e fazer a festa para sua torcida.

Depois do gol, o Santos diminuiu o ritmo e passou a controlar a bola no campo de ataque. Aos 42 minutos, ainda deu tempo para o lateral do Palmeiras perder a cabeça, reclamar e chutar a bola em Lucas Lima para ser expulso. O jogo, que foi truncado teve 9 amarelos no total, A maioria por faltas duras e reclamações.

Já nos acréscimos, um lance incrível. Daqueles que vão para a galeria e decidem campeonatos, aconteceu. Aos 49 minutos, Ricardo Oliveira recebeu longo lançamento, se livrou do marcador e passou por Prass. A bola sobrou no pé de Nilson, com o gol aberto, ele conseguiu perder e dar uma vantagem ótima para o Santos.