ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Goiás vence Palmeiras na Allianz com erro de arbitro.

Arbitragem deixa de marcar penalidade para o alviverde paulista e time conhece derrota em casa.

Por Paulo Edson Delazari

622_1454fbd4-809b-31ab-a580-c66bdbffab3eCom gramado péssimo no Allianz Parque Arena, devido aos frequentes shows de música e a plantação de uma grama de inverno, o Palmeiras recebeu o Goiás no jogo das 11 da manhã pela 3ª rodada do Brasileirão e foi derrotado por 1 a 0 com gol de Pericles para os esmeraldinos.

A nota negativa da partida foi a violência dos jogadores em ambas as partes e a aparição negativa da arbitragem, que se disciplinarmente agiu bem aos expulsar Bruno Henrique do Goiás e Vitor Ramos do Palmeiras, deixou a desejar no aspecto técnico, deixando de marcar penalti aos 49 minutos sobre Alan Patrick do alviverde paulista, assinalando falta, mas fora da área.

Com a vitória o Goiás chegou a liderança do campeonato com 7 pontos, enquanto o Palmeiras estagnou na 15ª posição com 2 pontos e sem vencer ainda na competição.

O jogo

Pericles

Pericles ao centro foi o autor do gol esmeraldino. (Foto: Uol)

Precisando vencer para se aproximar dos líderes e jogando em casa o Palmeiras obteve sua primeira chance aos dez minutos quando Zé Roberto cruzou na área e Vitor Hugo cabeceou para boa defesa de Renan. Dois minutos depois a resposta esmeraldina, Rodrigo pegou sobra da zaga palmeirense da intermediária e chutou de canhota, Prass voou no canto esquerdo e espalmou para escanteio, impedindo o gol.

A outra oportunidade palestrina só voltou a acontecer aos 20 minutos, Alex Alves tentou sair jogando e perdeu a bola para Egídio, o lateral cruzou na área para Leandro Pereira, o atacante dominou com o braço e bateu para boa defesa de Renan.

O alviverde paulista não desistia e chegou mais uma vez com perigo aos 26 minutos, Kelvin avançou da intermediária, passou por três marcadores e bateu em diagonal para mais uma defesa de Renan.

Com a ausência do ataque palmeirense por um longo período quem se arriscou foram os Goianos e após bom passe de Artur para o centroavante Bruno Henrique chutar e  Prass fazer nova defesa aos 39 após chute mascado do atacante esmeraldino.

Com o susto o Palmeiras quase marcou aos 44, Lucas cruzou da direita, Landro Pereira furou, Zé Roberto raspou de cabeça para trás, a bola bateu no zagueiro do Goiás e passou raspando a trave direita de Renan.

Segunda Etapa

O segundo tempo começou e o Goiás buscava o contrataque, contudo foi numa bola parada que o Palmeiras sofreu o maior susto. Artur alçou a falta na área, a zaga palmeirense vacilou e Alex Alves apareceu nas costas da zaga e sozinho chutou por sobre o gol com Prass batido na jogada.

O time goiano levava mais perigo, aos 21 minutos Prass quase põe tudo a perder, o goleiro tentou jogar com pé, mas Bruno Henrique tomou a bola, depois o atacante driblou Vitor Ramos e bateu, mas Vitor Hugo providencial colocou o pé e desviou para escanteio.

O Palmeiras não estava morto e três minutos depois em cobrança de escanteio de Robinho pela direita viu Cristado cabecear e a bola bater na trave esquerda de Renan.

Aos 31 minutos não teve jeito o visitante Goiás marcou. Bruno Henrique levou pelo lado direito, se livrou de quatro marcadores, driblou Prass e rolou para Pericles só escorar para o gol. Goiás 1 a 0. Na comemoração Bruno Henrique subiu a escada para comemorar com a torcida e levou o segundo cartão amarelo, sendo expulso. Se sobrou inteligência na jogada, faltou na comemoração.

Um minuto depois Valdivia tocou para Cristaldo, o atacante argentino dominou na área e chutou para defesa de Renan. Aos 37 foi a vez de Robinho chutar de fora da área e Renan espalmou, na sobra Valdivia pegou em condição de impedimento e o lance foi parado.

Dois minutos depois foi a vez de Alan Patrick arriscar de fora da área e ver Renan fazer nova defesa para escanteio.

Desesperado para empatar o Palmeiras viu seu zagueiro Vitor Ramos perder a cabeça e agredir um adversário com um murro, sendo expulso. A arbitragem ainda deu cinco minutos, mas os mais de 37 mil torcedores que compareceram ao estádio tiveram que ver a mesma arbitragem deixar de marcar um pênalti sobre Alan Patrick aos 49 minutos, dando falta fora da área. Na cobrança a bola pegou na barreira.