ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Goleiros brilham e Sansão não sai do zero.

Vanderlei e especialmente Rogério Ceni brilham e clássico termina empatado.

Por Paulo Edson Delazari
Rogério Ceni voa e impede gol do Santos. (Foto: Rubens Chiri).

Rogério Ceni voa e impede gol do Santos. (Foto: Rubens Chiri).

Santos e São Paulo entraram na Vila Belmiro pela quarta rodada do Paulistão 2015 e fizeram uma bela partida, mas nem tudo podia ser perfeito e a partida terminou empatada em 0 a 0. Tal resultado só não foi diferente, pois Rogério Ceni e Vanderlei estavam inspirados.

Aproveitando o inicio de temporada, Muricy fez algumas alterações no time e colocou Ewandro no ataque no lugar de Pato e promoveu o retorno de Souza que vinha de contusão. Já o Santos de Enderson Moreira repetiu a formação que jogou contra o Red Bull.

Durante a partida o que se viu em campo foram duas equipes em busca da vitória, especialmente no primeiro tempo, onde o São Paulo dominava o campo santista com a posse de bola e arriscava chutes de meia distância para algumas aparições de Vanderlei.

Por outro lado o time da Vila se mostrou mais agudo quando o assunto era finalização e abusando dos contrataques levou perigo a meta tricolor e só não saiu em vantagem porque Rogério Ceni se encontrava em noite inspirada, impedindo todos os chutes que foram a meta.

Com o empate o São Paulo se manteve na ponta do grupo A com 10 pontos, três a mais que o vice Mogi Mirim e volta a jogar no sábado às 18h30 em Bragança Paulista contra o  Bragantino. Já o Santos chegou a oito pontos e também lidera seu grupo. O Peixe voltará a jogar no ABC paulista enfrentar o São Bernardo.

O jogo

Alison e Reinaldo disputam bola. (Foto: Ruibens Chiri)

Alison e Reinaldo disputam bola. (Foto: Ruibens Chiri)

O São Paulo começou melhor, mesmo com alguns dos principais jogadores no banco de reservas, como Pato e Kardec. O primeiro lance de perigo foi com Michel Bastos, que decidiu testar Vanderlei e arriscou uma bomba da intermediária, mas o goleiro foi nela e salvou.

Em seguida, foi a vez de Ganso começar a jogar. Xingado pelos santistas nas arquibancadas, o meio-campista dominou pelo meio e deu lindo passe para Luis Fabiano, dentro da área, bater para a boa defesa de Vanderlei.

O goleiro mostrou que ia mandar no primeiro tempo com mais uma defesa em nova investida do São Paulo. Ganso, de novo, tocou para Ewandro, que ajeitou de letra para Luis Fabiano finalizar de canhota, sem força, nas mãos de Vanderlei.

O Santos só acordou a partir da segunda metade da etapa inicial. Geuvânio chamou a responsabilidade e fez grande jogada ao driblar três defensores pelo caminho e arrematar com força, mas Rogério Ceni salvou a meta tricolor.

Rogério Ceni observa bola após operar dois milagres consecutivos. (Foto: Rubens Chiri)

Rogério Ceni observa bola após operar dois milagres consecutivos. (Foto: Rubens Chiri)

O são-paulino também mostrou que estava acordado nos dois lances seguintes. Primeiro, em chute forte de Chiquinho e rebote de Robinho, e depois em finalização de Ricardo Oliveira cruzada, que passou em frente ao arqueiro são-paulino.

Movimentado, o primeiro tempo ainda teve mais duas chances de perigo. O São Paulo tentou com Ganso, que quase fez o dele, mas viu Vanderlei pular no cantinho e espalmar. Rogério Ceni respondeu evitando o gol de Robinho dentro da área tricolor.

Na etapa final, o Santos começou melhor. Robinho avançou pelo meio e tocou para Geuvânio, que bateu cruzado e Rogério fez outra defesa. Depois, Denilson derrubou Ricardo Oliveira dentro da área, mas a arbitragem ignorou o lance suspeito.

O jogo ficou mais truncado. Pato entrou em campo, isolou um lance de ataque e foi vaiado. O Santos sacou Ricardo Oliveira e lançou Marquinhos Gabriel. No primeiro lance, ele recebeu de frente, bateu consciente no canto, mas Ceni fez defesa sensacional. No rebote, outro milagre em chute à queima-roupa de Renato decretando o fim da noite dos goleiros na Vila Belmiro.