ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Grandes brasileiros podem ficar fora da Libertadores 2015.

Com o anuncio de nova regulamento da Libertadores, times tradicionais brasileiros não poderiam disputar torneio Sulamericano.

Por Paulo Edson Delazari
Ananias lamenta chance desperdiçada. Foto: Célio Messias

Ananias lamenta chance desperdiçada. Foto: Célio Messias

A Copa Libertadores da América pode ter mudanças radicais em seu novo estatuto para 2015, que será divulgado em breve. De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira, a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) incluiu, em seu novo regulamento, a exigência de que clubes apresentem balanços financeiros e não acumulem dívidas para participar da competição.

Segundo a publicação, as condições serão divididas em cinco áreas: financeira, administrativa, jurídica, de infraestrutura e esportiva. Os clubes terão que cumprir vários requisitos para obter uma licença anual para jogar qualquer torneio da Conmebol. Tal modelo é utilizado pela Uefa (União Europeia de Futebol) desde 2003 e também pela Fifa, desde 2007, após a criação de seu Regulamento de Licenciamento de Clubes. A entidade deve dar um prazo para os clubes se adaptarem. Portanto, as competições de 2014 não devem exigir a licença.

Ainda de acordo com o diário, o principal pilar do novo estatuto será a questão econômica. O chamado “fair play financeiro”, que visa evitar que os clubes gastem mais do que arrecadam, e garante um maior equilíbrio entre as receitas dos clubes, será adotado e diminuirá a disparidade financeira das equipes. Tal medida, por exemplo, estava entre os desejos do grupo “Bom Senso F.C”, formado por atletas do futebol brasileiro para contestar a CBF, em reunião que foi realizada essa semana, onde mais de 300 jogadores manifestaram suas divergências em relação ao calendário de 2014.

Seguindo o modelo da Uefa, a Conmebol também criará outros tipos de punições, além da exclusão, caso o descumprimento não seja tão grave. Há multas, bloqueio de premiações e advertências. Caso já vigorasse, o estatuto impediria que clubes como Bahia, Coritiba, Flamengo, Fluminense, Palmeiras, Portuguesa e Vasco, por exemplo, participassem da Libertadores. Todos eles têm pendências salariais com jogadores, justamente um dos itens que preveem exclusão das competições.

Só existe uma dúvida com relação a essa medida, será que de fato ela será adotada e respeitada? Ou veremos episódios de punição a clubes tradicionais e com interesses de televisão sendo revertidos nos bastidores como ocorrido no ano de 2013?