ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Holanda consegue virada espetacular e supera México.

Após sair atrás no placar o time comandado por Van Gaal conseguiu virada nos últimos cincos minutos de jogo.

Por Paulo Edson Delazari
Giovanni dos Santos abriu o marcador para o México. (Foto: Getty)

Giovanni dos Santos abriu o marcador para o México. (Foto: Getty)

Sabe uma daquelas viradas espetaculares que só o futebol pode proporcionar? Pois é a Holanda conseguiu este feito hoje sobre o México na Copa do Mundo 2014. Jogando em Recife a laranja mecânica jogou abaixo das expectativas e foi dominado pelo México até sofrer o gol, dai em diante, necessitando da vitória o técnico Louis van Gaal, da Holanda, entrou em ação, abriu mão do seu cauteloso 5-3-2 e montou um 4-3-3 para lá de ofensivo, vencendo de virada por 2 a 1.

As chances de gol, então, passaram a aparecer constantemente para os holandeses, que até tiveram dificuldades para superar mais uma partida milagreira do goleiro mexicano Ochoa – o mesmo que parara o Brasil no segundo jogo da fase de grupos.

Depois de tanto tentar, a seleção laranja foi presenteada pelo esforço. Primeiro com Sneijder, em ótima jogada ensaiada em cobrança de escanteio, e depois com Huntelaar, em pênalti sofrido por Robben, que rente à linha de fundo puxou para a esquerda, como sempre faz, driblou e tomou o rapa de Rafa Márquez.

A Holanda agora espera pelo duelo entre Costa Rica e Grécia, ainda na tarde deste domingo, para conhecer seu rival nas quartas de final. O jogo da próxima fase acontece em Salvador, no próximo sábado, dia 5 de julho.

Já o México volta para a casa lamentando. Agora são seis Copas do Mundo seguidas em que a seleção mexicana é eliminada nas oitavas de final.

O jogo 

Sob um sol exuberante, com calor de  30º C e dos 70% de umidade do ar desde o início da partida, a Holanda mostrou logo de cara que vinha com uma proposta de manter a posse de bola com troca de passes e nunca com correria. Do outro lado, o México mostrou que estava disposto a agredir bastante a defesa rival. Sempre pelo lado esquerdo, os mexicanos criaram chances para dois chutes e um cruzamento muito perigoso de Layun.

A primeira grande chance veio aos 16 minutos. Após cruzamento para área, Giovani dos Santos ajeitou de cabeça para Peralta, que não achou o espaço para o chute e ajeitou de novo, desta vez para Herrera. O meio-campista chegou batendo para o gol, mas não pegou muito bem e a bola acabou saindo à direita, tirando tinta da trave de Cillessen.

Miguel Herrera lamenta eliminação mexicana nos acréscimos. (Getty)

Miguel Herrera lamenta eliminação mexicana nos acréscimos. (Getty)

Aos 23, foi a vez de Salcido levar perigo à Holanda, com uma ajudinha de Cillessen. O volante mexicano arriscou de longe, e o goleiro holandês foi mal para a bola, tentou agarrar, mas acabou mandando-a para escanteio.

Com o freio de mão puxado, a Holanda só conseguia criar quando os rivais vacilavam. A primeira chance veio só aos 26. Após chutão de De Vrij, a defesa mexicana ficou olhando a bola, e Van Persie conseguiu invadir a área. O atacante, porém, errou a finalização e mandou para longe do gol de Ochoa.

O México respondeu em um dos poucos contra-ataques que teve. Aos 38, Guardado puxou pela direita, se atrapalhou com o domínio e acabou dando um passe sem querer para Giovani dos Santos, que invadiu a área e, quase sem ângulo, arriscou o chute. Cillessen apareceu para mandar para longe com as pernas.

O veneno do oportunismo holandês quase apareceu mais uma vez no fim do primeiro tempo e só não se transformou em gol por causa de uma ajuda do árbitro. Maza Rodriguez vacilou no passe, Rafa Marquez não achou a bola e viu Van Persie ficar com ela. O camisa 9 disparou em direção à área e tocou para Robben, que já dentro da área teve a perna tocada pelo próprio Márquez e depois ainda foi derrubado em um carrinho de Moreno, mas o juiz português Pedro Proença não marcou nada.

O México aproveitou como ninguém o vacilo do juiz. Logo aos 2 minutos do segundo tempo, a zaga holandesa afastou mal o perigo, Giovani dos Santos dominou a bola no peito e criou o espaço para finalizar da entrada da área, sem chances para o goleiro Cillessen.

A desvantagem fez a Holanda partir com tudo para cima. Imediatamente, Van Gaal mandou o tacante Depay a campo, sacando o lateral-direito Verhaegh (que fora titular na vaga de Janmaat) e transformando o cauteloso 5-3-2 em um 4-3-3 muito ofensivo.

O problema é que do outro lado do campo havia um goleiro milagreiro. Aos 13 minutos, Robben cobrou escanteio pela direira e De Vrij subiu sozinho de dentro da pequena área para cabecear. A bola tinha endereço certo, mas Ochoa apareceu no puro reflexo para desviar com as mãos e com a cabeça. A bola a ainda pegou na trave, mas não entrou.

Huntellar entrou no segundo tempo no lugar de Van Persie e fez o gol da classificação holandesa. (Foto: Getty)

Huntellar entrou no segundo tempo no lugar de Van Persie e fez o gol da classificação holandesa. (Foto: Getty)

Quando não defendeu, Ochoa contou com a sorte para salvar o México com os olhos. Aos 15, Sneijder recebeu a bola na entrada da área após boa jogada de Robben e arriscou o chute. Maza Rodriguez apareceu de carrinho para fazer o desvio, e a bola saiu caprichosamente, muito perto do travessão de Ochoa.

Completamente atirada ao ataque, a Holanda não parava de criar, mas tinha problemas para passar pelo paredão mexicano. Aos 28, Robben invadiu a área pela direita e teve espaço para finalizar, mas Ochoa fechou o ângulo com perfeição e mandou para escanteio.

Aos 40, foi a vez de Huntelaar ser parado. Após cruzamento da direita, o centroavante apareceu sozinho dentro da área, mas Ochoa, de novo, saiu do gol com perfeição e mandou para escanteio.

Mas de tanto criar, a Holanda finalmente achou o seu gol de empate. Após cobrança de escanteio pela direita, Huntelaar ajeitou de cabeça, e Sneijder apareceu da entrada da área, livre, para encher o pé e estufar as redes de Ochoa.

Era apenas o começo do filme de terror vivido pelo torcedor mexicano. Depois de ter a vaga tão perto, ‘El Tri’, como é conhecida a seleção da América do Norte, mais uma vez provaria da maldição que o persegue.

Aos 48, Robben invadiu a área pela direita, driblou e acabou derrubado por Rafa Marquez. Desta vez, o juiz marcou o pênalti. E a Holanda não vacilou. Huntelaar bateu rasteiro, no canto direito de Ochoa, que pulou para o outro lado. Holanda classificada para as quartas de final.

FICHA TÉCNICA
HOLANDA 2 X 1 MÉXICO

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 29 de junho de 2014, domingo
Horário: 13 horas (de Brasília)
Árbitro: Pedro Proença (Portugal)
Assistentes: Bertino Miranda e José Trigo (ambos de Portugal)
Público: 58.817
Cartões amarelos: Aguilar, Rafa Márquez e Guardado (México)
Gols:
MÉXICO: Giovani dos Santos, aos três minutos do segundo tempo
HOLANDA: Sneijder, aos 42, e Huntelaar (pênalti), aos 48 minutos do segundo tempo

HOLANDA: Cillessen; Vlaar, De Vrij e Blind; Verhaegh (Depay), De Jong (Indi), Wijnaldum, Sneijder e Kuyt; Robben e Van Persie (Huntelaar)
Técnico: Louis Van Gaal

MÉXICO: Ochoa; Rodríguez, Rafa Márquez e Moreno (Reyes); Aguilar, Salcido, Herrera, Guardado e Layún; Giovani dos Santos (Aquino) e Peralta (Chicharito Hernández)
Técnico: Miguel Herrera