ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Jô brilha e São Paulo se despede da Libertadores goleado

Em noite inspirada, atacante aplica uma tripleta e comanda a classificação do Galo

Por Anderson Marinho

O Atlético-MG confirmou a sua força dentro do estádio Independência, em Belo Horizonte, e garantiu nesta quarta-feira a classificação para as quartas de final da Taça Libertadores da América, após vencer o São Paulo por 4 a 1, com três gols do centroavante Jô e um de Diego Tardelli, chegando a 33 jogos de invencibilidade na arena, e agora aguarda o vencedor do duelo entre Palmeiras x Tijuana (MEX) para saber quem será o adversário na próxima fase da competição.

Jô foi o nome do jogo em Belo Horizonte. Foto: Divulgação

Com muitos desfalques e um futebol apático o tricolor paulista não conseguiu quebrar o “tabu” do rival, como esperava o técnico Ney Franco, amargou a sua segunda eliminação na mesma semana e agora terá 18 dias para se preparar para a estréia no Campeonato Brasileiro, dia 28/05/2013, contra a Ponte Preta em Campinas.

O jogo

O Atlético-MG começou a partida em ritmo acelerado, pressionando a saída de bola do São Paulo, e chegou com perigo nos momentos iniciais. Com menos de um minuto em chute de Jô, da entrada da área, que passou por cima da meta defendida por Rogério Ceni e logo depois em cobrança de falta de Ronaldinho Gaucho que explodiu no travessão, deixando o time paulista aflito.

A pressão atleticana prevaleceu nos primeiros 15 minutos e o São Paulo quase não conseguiu sair do campo de defesa, esbarrando na linha ofensiva do Galo. Aos 17 minutos, Diego Tardelli recebeu com liberdade pela direita e encontrou Bernard na entrada da área, o meia fez o pivô e Jô chegou batendo colocado, de canhota, no canto superior esquerdo do arqueiro para abrir a contagem.

Jô comemora o primeiro gol com Ronaldinho Gaucho. Foto: Yuri Edmundo / Gazeta Press

O São Paulo só chegou ao ataque aos 25 minutos, após lançamento de Carleto, Ganso apareceu em boa condição para finalizar, mas Victor saiu do gol e fez o corte evitando a chagada do meia.

O Atlético-MG respondeu no lance seguinte, em cobrança de falta de Ronaldinho Gaucho, Jô apareceu dentro da pequena área e desviou em cima de Rogério Ceni que fez boa defesa no reflexo.

Os donos da casa seguiam em busca do segundo gol, quatro minutos depois, Leandro Donizete descolou bom cruzamento para Diego Tardelli, livre, o camisa nove desviou de cabeça, com perigo, mas a bola saiu pela linha de fundo.

O Atlético-MG ainda teve mais um oportunidade para ampliar ainda no primeiro tempo, em boa jogada de Jô, Bernard invadiu a área em velocidade e chutou rasteiro, sem chance para Ceni, mas Rafael Toloi tirou em cima da linha salvando o tricolor.

Etapa complementar

Precisando pelo menos da virada para poder levar a decisão para os pênaltis, o técnico Ney Franco promoveu a entrada do atacante Silvinho, contratado recentemente junto ao Penapolense, no lugar do lateral direito Paulo Miranda, mas a substituição não surtiu o efeito esperado, muito pela grande atuação do rival, e o segundo tempo foi sofrido para o São Paulo.

Assim como na etapa inicial o Galo manteve uma postura ofensiva, apostando na velocidade de Diego Tardelli e Bernard, no talento de Ronaldinho Gaucho e no oportunismo de Jô para construir um resultado histórico.

Aos 5 minutos, Jô recebeu bom passe de Tardelli e bateu colocado, de direita, no travessão de Rogério Ceni, explodindo a torcida presente no Independência.

O São Paulo ainda teve uma oportunidade para empatar, aos 8 minutos, Luis Fabiano apareceu com liberdade na ponta direita e fez o cruzamento, Victor cortou e na sobra Ganso acionou Silvinho no meio da pequena área, mas a finalização saiu pela linha de fundo

Dois minutos depois veio a resposta do Atlético, em cobrança de falta de Ronaldinho Gaucho, o craque bateu colocado, buscando o canto direito de Rogério Ceni, e a bola saiu com perigo rente à trave.

A boa marcação mineira no setor de ataque dificultava as ações do São Paulo e o segundo gol era questão de tempo para os donos da casa.

Aos 17 minutos, após boa assistência de Marcos Rocha em cobrança de lateral, Leandro Donizete desviou de cabeça e Jô apareceu livre, por trás da zaga tricolor, e finalizou rasteiro, com frieza, entre as pernas de Rogério Ceni.

O segundo gol atleticano desestabilizou de vez a equipe de Ney Franco, que não suportou o golpe.

Rogério Ceni pode ter feito o seu último jogo pela Libertadores. Foto: Ramon Bitencourt / Agência Lance

Assim que o São Paulo recolocou a bola em jogo a zaga adversária fez o corte e Réver arriscou um lançamento longo procurando Diego Tardeli, a bola quicou na entrada da grande área são-paulina e Rafael Toloi tentou recuar de cabeça para Rogério Ceni, mas o camisa nove do Galo se antecipou e tocou por cobertura para ampliar o resultado.

Precisando de quatro gols para reverter a vantagem do adversário e conquistar a classificação, o treinador são-paulino sacou o volante Denílson para a entrada de Ademilson.

Mas o nome do jogo era Jô. Aos 24 minutos, Ronaldinho avançou em velocidade, ganhou na disputa com Wellington, e em uma jogada com a sua marca tradicional olhou para um lado e tocou para o outro, Jô chegou batendo firme, sem chances para Rogério Ceni, para fazer o seu terceiro gol na partida e o sexto no torneio.

Com o “hat trick” Jô chegou a seis gols no torneio. Foto: EFE

O São Paulo ainda diminuiu, aos 30 minutos, após um chute de Carleto de fora da área, Victor rebateu a bola e Luis Fabiano chegou dividindo com Réver para fazer o gol de honra.

Aos 35 minutos, Diego Tardelli tabelou com Ronaldinho Gaucho, saiu cara a cara com Rogério Ceni, mas chutou em cima do goleiro, desperdiçando o quinto gol.

Ronaldinho ainda teve tempo para mostrar o seu repertório de dribles. O craque passou por dois marcadores na ponta esquerda, junto à linha lateral, invadiu a área, driblou mais um e arriscou o chute colocado, a bola saiu à esquerda da meta tricolor.

No final da partida Carleto e Rosinei, que havia entrado a vaga de Diego Tardelli, se desentenderam, trocaram agressões, e foram expulsos pelo árbitro Roberto Silvera.

O São Paulo não suportou o avassalador Atlético-MG, que justificou a melhor campanha na primeira fase, e se despediu da Libertadores com uma derrota vexatória diante do adversário que já poderia tê-lo eliminado na última rodada da fase de grupos, mas perdeu o jogo que podia perder.

Ficha técnica

ATLÉTICO-MG 4 x 1 SÃO PAULO

Gols
ATLÉTICO-MG:
Jô, aos 17min do 1º tempo e aos 17min do 2º tempo, Diego Tardelli, aos 19min, e Jô, aos 24min
SÃO PAULO:
Luís Fabiano, aos 30min do 2º tempo

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Gilberto Silva, Réver e Richarlyson; Pierre e Leandro Donizete (Josué); Diego Tardelli (Rosinei), Ronaldinho e Bernard (Luan); Jô
Treinador: Cuca

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda (Silvinho), Rafael Tolói, Edson Silva e Carleto; Wellington e Denílson (Ademílson); Jadson (Maicon), PH Ganso e Douglas; Luís Fabiano
Treinador: Ney Franco

Cartões amarelos
ATLÉTICO-MG: Ronaldinho, Leandro Donizete e Diego Tardelli
SÃO PAULO: Maicon, Denílson e Jadson

Cartões vermelhos
ATLÉTICO-MG: Rosinei
SÃO PAULO: Carleto

Árbitro
Roberto Carlos Silvera (URU)

Local
Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)