ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Mesmo sem brilho, São Paulo vence fora

São Paulo faz três gols em 11 minutos e vence Botafogo em partida com três expulsões.

Por Vladimir da Costa

Sem compromisso importante no meio de semana Ney Franco resolveu poupar seus principais jogadores, entre eles Ganso, Rogério Ceni e sem Osvaldo e Jadson que estavam com a seleção brasileira, o tricolor foi até Ribeirão Preto para encarar o Botafogo que se vencesse ficaria muito perto da classificação para as quartas de finais.

A partida foi tumultuada, com muita reclamação, principalmente  por parte dos donos da casa. O São Paulo que não tinha nada com isso não conseguia jogar. Errando passes e sem nenhuma criatividade na frente sofria para criar uma chance de gol. O primeiro tempo foi de sofrimento para quem estava presente. O

Apenas na etapa final, com três expulsões, duas da equipe do Botafogo, e Rodrigo Caio pelo São Paulo, todas justas, o tricolor resolveu jogar e nos últimos 15 minutos, com os muitos espaços dentro de campo, o tricolor fez três gols e venceu o Botafogo mesmo sem apresentar um belo futebol.

O jogo

A partida começou equilibrada, com o São Paulo com maior posse de bola, mas sem efetividade no ataque. O Botafogo por sua vez, marcava em cima, pressionando o adversário que rifava a bola. Cañete bem marcado não conseguia abastecer os atacantes.

Com marcação homem a homem, os dois goleiros pouco participavam da partida, assim como os atacantes das duas equipes. A primeira boa chance de gol veio com o São Paulo, Wallyson recebeu em velocidade pela direita e cruzou para Cañete, mas o camisa 20 chegou atrasado e não conseguiu bater para o gol.

Douglas passa por zagueiro durante a partida contra o Botafogo (Foto: Rubens Chiri / saopaulofc.net )

Aos 22 minutos a partida mudou de figura. Zé Antônio deu carrinho forte em Douglas, por trás, e foi expulso de campo.

Apesar de um homem a mais o São Paulo seguia tocando de mais a bola, mas arriscando de menos. Wallyson e Ademilson pouco participavam do jogo, que seguia truncado no meio.

O São Paulo não conseguia aproveitar a vantagem numérica e não pressionava o adversário. Fabricio e Cañete estavam sumidos em campo e com isso os atacantes continuavam isolados na frente. Assim foi até o final do primeiro tempo, com muitos erros de passes e pouquíssimas chances criadas. Rafael Santos saiu “ileso” do primeiro tempo. O goleiro do Botafogo não fez uma defesa sequer, assim como Denis que pouco participou do jogo.

Assim como no primeiro tempo, o Tricolor seguia lento, sem criatividade e muito lento do meio para frente. Parecia que o time não tinha motivação para atuar.

Motivação e vontade que sobrava para o Botafogo, tanto é que o excesso resultou em nova expulsão aos 16 minutos. Ademilson foi derrubado por André, por trás, na entrada da área, levou o segundo amarelo e foi pro chuveiro. Com dois a mais o São Paulo seguia seu futebol burocrático até que Rodrigo Caio fez falta besta na lateral, levou o segundo amarelo e também foi expulso.

Apenas aos 28 minutos, o tricolor conseguiu finalizar a gol e abrir o placar com Lúcio. O zagueiro soltou a bomba da intermediária em cobrança de falta. A bola quicou no gramado e Rafael foi mal na bola e acabou espalmando para dentro de seu gol.

Em vantagem, o São Paulo passou a tocar a bola com mais calma. Nas arquibancadas, a torcida tricolor ia fazendo a festa nas arquibancadas.

Com dois a mais o São Paulo achava os espaços e acabou ampliando com Aloisio. Aos 34 minutos, Wellington arrancou pelo meio e achou o atacante que girou sobre o zagueiro e, de frente para o gol, soltou a bomba para superar Rafael Santos.

No minuto seguinte, Maicon com um estiramento na coxa esquerda saiu do campo. Como o tricolor já havia feito as três substituições, o jogo ficou com nove jogadores para cada lado.

Fabricio foi um dos que ficaram devendo no duelo desta domingo contra o Botafogo (Rubens Chiri / saopaulofc.net)

Com muito espaço no grande campo do Santa Cruz, o São Paulo chegou ao terceiro. Ademilson roubou a bola no meio campo, partiu em velocidade, quando tentou tocar de calcanhar, a bola bateu no pé do zagueiro e voltou para o atacante, que passou por mais um ficando cara a cara com o goleiro. Com calma, bateu no contrapé de Rafael Santos marcando o terceiro gol da partida.

Já nos acréscimo, o Botafogo diminuiu com Dimba, aproveitando rebote de Denis, mas não dava tempo para mais nada.

O resultado fez o São Paulo se distanciar ainda mais na liderança do Campeonato Paulista, com 38 pontos, quatro a mais que a Ponte Preta, vice-líder e com um jogo a mais. Já o Botafogo fica com 29 pontos e ainda precisa de mais uma vitória para confirmar a vaga na fase de mata-mata do Paulistão.