ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Na base da raça Palmeiras garante empate com sabor de vitória

Palmeiras suporta a pressão e garante empate por 0 a 0 no México

Por Vladimir da Costa

Na abertura das oitavas de finais para clubes brasileiros, o Palmeiras foi até a longínqua Tijuana para enfrentar a equipe homônima da cidade e conseguiu um bom resultado.

Mostrando muita raça e disposição o Palmeiras poderia ter melhor sorte na partida. O Verdão dominou boa parte do primeiro tempo. Wesley ainda sofreu um pênalti não dado pelo árbitro o que poderia mudar a história do jogo, que do final do primeiro tempo e o segundo tempo inteiro, ficou a cargo do goleiro Bruno salvar a equipe em pelo menos quatro chances de ataque do time adversário.

A Partida

Muito mais dedicado e focado na partida, o Palmeiras começou a mil pra cima do adversário. Com mais disposição e velocidade, com Wesley armando a equipe, o verdão criou boas chances de gol nos minutos iniciais da partida.

Saucedo, goleiro do Tijuana, se antecipa ao atacante palmeirense Kleber e fica com a bola

Em duas chegadas com Kleber, o Palmeiras mostrou o cartão de visita. Na primeira o tiro saiu sobre o gol, depois de rápido troca de passe. Na outra roubada de bola do verdão, Kléber arriscou o chute de fora da área, mas o chute saiu fraco e Saucedo defendeu sem dificuldades. Aos 8 minutos, Wesley foi tocado por trás dentro da área, caiu, mas o juiz mandou seguir, para irritação de todo time palmeirense.

A partida seguia com o time visitante melhor, mas as jogadas de ataque não levavam perigo para o gol do Tijuana.

Com a grama sintética, a partida seguia corrida, e ambas equipes apostavam em lançamentos longos, o que facilitava a vida para a defesa adversária.

Aos poucos o ímpeto do verdão ia diminuindo e com isso os donos casa começaram a gostar da partida e passaram a levar perigo para o gol de Bruno. Na primeira chegada, depois de um passe errado de Tiago Real no meio campo, Moreno tentou o cruzamento na área para Riascos e Henrique cortou para frente, a bola sobrou livre para Martínez, que na frente do gol, pegou muito mal na bola, desperdiçando boa chance de abrir o placar.

Na jogada seguinte, em outra bola cruzada na área palmeirense, Ayrton se antecipou a Martínez para fazer o corte por cima do travessão.

Tiago Real disputa a bola com Joe Corona (Foto: AFP)

Da metade do segundo tempo pra frente, o Tijuana passou a dominar a partida. Melhor postado do meio pra frente, restou ao Palmeiras se defender. Atuando com Riascos e Martinez pelas pontas, os donos da casa levavam perigo em quase todo cruzamento alçado a área.

O Palmeiras parou de jogar nos minutos finais e quase levou o gol. O Tijuana teve a oportunidade de abrir o placar em duas oportunidade. Aos 37 minutos, Arce cobrou falta na entrada da área e Bruno fez ótima defesa. Na segunda, cinco minutos depois, depois de rápido ataque do Tijuana, Moreno recebeu bom passe na área ficando na cara do goleiro palmeirense, mas na hora de finalizar, isolou a bola que sumiu muito.

E não dava tempo para mais nada. Primeiro tempo sem gols, com dois momentos distintos, o Palmeiras começou melhor na partida, mas acabou levando sufoco nos minutos finais.

Segundo tempo

Assim como no primeiro, o Palmeiras começou marcando em cima, obrigando os donos da casa a rifarem a bola a todo instante por não terem opções para saírem jogando. Aos quatro minutos, Kleber recebeu pela direita, fora da área, livre, o atacante dominou, mas bateu mal na bola que saiu sem perigo.

Apesar de veloz, a partida caiu de rendimento e os goleiros pouco ou nada apareceram nos primeiros 15 minutos da etapa complementar. Apenas 17′ o primeiro lance mais agudo. aos Riascos carregou a bola até a entrada da área, quando passou para Ruiz. O atacante dominou e bateu de canhota, mas Bruno bem colocado espalmou para fora da área.

O Palmeiras parecia ter cansado, passou apenas a se defender, chamando o adversário para dentro do seu campo e com isso, quem passou a aparecer foi o goleiro palmeirense. Em outra boa jogada no ataque, Riascos achou espaço para o chute e bateu forme. Bruno saltou bonito para jogar a bola para escanteio.

Moreno lamenta ótima chance perdida (Foto: AP)

O Palmeiras seguia sendo sufocado. A equipe de Gilson Kleina começou a errar muitos passes, não conseguia ficar com a bola. Riascos era o mais perigoso. Toda jogada de ataque do Tijuana passava pelos pés do colombiano que recebia a bola sempre com certa libertade.

O tempo passava e o Palmeiras passou a valorizar mais a bola, ao contrário que vinha fazendo, quando tentava partir sempre em velocidade. A equipe assimilou que o empate não era de todo mal, já que a partida de volta seria em São Paulo.

Nos minutos finais o Palmeiras conseguiu equilibrar a partida e diminuiu o ímpeto do adversário, que passou a atacar de qualquer jeito, dando oportunidade para o verdão armar um contra-ataque.

A partida seguiu disputada até o final, com o Tijuana pressionando, mas as boas defesas do Bruno, principalmente no segundo tempo, garantiram o empate sem gols para o Palmeiras que precisará apenas de uma vitória simples, no dia 14 de maio, no Pacaembu para avançar para a próxima fase da competição.