ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Na raça Tricolor supera Huachipato na Sulamericana.

Após ficar com 10 homens em campo devido a expulsão de Luis Fabiano, São Paulo se supera e vence.

Por Paulo Edson Delazari
Luis Fabiano pediu chance como titular, mas em lance isolado foi expulso. (Foto: Rubens Chiri)

Luis Fabiano pediu chance como titular, mas em lance isolado foi expulso. (Foto: Rubens Chiri)

Foi difícil, na base da raça, mas o Tricolor conseguiu a vitória! Na noite desta terça-feira (30), no Morumbi, com apenas dez homens em campo desde o primeiro tempo após a expulsão de Luis Fabiano, o São Paulo venceu o Huachipato-CHI por 1 a 0 e largou na frente na busca por uma vaga das quartas de final da Copa Sul-Americana de 2014.

O gol da partida válida pelas oitavas de final, foi marcado pelo polivalente Michel Bastos. O tento do camisa 7, aliás, merece um capítulo a parte. Inspirado, o jogador acertou um lindo chute de fora da área após grande jogada individual, e garantiu a importante vantagem aos brasileiros.

De quebra, no confronto que também contou mais uma vez com inúmeras defesas difíceis do goleiro Rogério Ceni, o Tricolor retomou o caminho dos triunfos após quatro jogos consecutivos de jejum na temporada. Com o resultado, a equipe ganhou o direito de atuar pelo empate na volta, agendada para o dia 15 de outubro, para seguir adiante na competição internacional.

O técnico Muricy Ramalho, que se recupera de uma arritmia cardíaca sofrida na última semana, não pôde dirigir a equipe mais uma vez. Assim, novamente o interino Milton Cruz foi o responsável por conduzir o guerreiro time são-paulino, que chegou até aqui após eliminar o Criciúma na fase nacional do torneio.

Os meias Paulo Henrique Ganso e Kaká foram preservados pela comissão técnica e não encararam os chilenos. Já o atacante Alan Kardec, figura constante nos últimos jogos, foi poupado e ficou no banco de reservas, entrando na segunda etapa.

Antes mesmo de a bola rolar na capital paulista, Milton Cruz justificou as necessárias alterações. “Vamos preservar o Kardec. Ele vinha jogando várias partidas, com um desgaste muito grande. Optamos por usar o Osvaldo. Por isso, vamos descansar o Kardec para ele estar 100% contra o Grêmio (pelo Brasileiro, no final de semana)”, revelou o interino.

O jogo

Após o apito inicial, o jogo começou muito disputado, mas sem lances de perigo. Pato aberto pela direita, Osvaldo pela esquerda e Luis Fabiano centralizado tentavam abrir espaços na defesa adversária, porém, enfrentavam dificuldades. O Huachipato não foi ao Morumbi com a proposta de se defender apenas e, assim, tentava jogar, marcar por pressão e anular o time brasileiro.

Com muitas dificuldades para furar a marcação chilena, a saída foi apostar nas saídas em velocidade de Osvaldo e na habilidade de Michel Bastos. Com toques refinados, o camisa 7 conseguiu movimentar o meio de campo e acionar os atacantes.

Aos 25 minutos o tricolor tomou um belo susto, Auro recuou na fogueira para Rogério Ceni e o atacante chileno dividiu com o goleiro e a bola passou raspando o gol, por muito pouco os chilenos não abriram o placar.

Ainda assim, a melhor tentativa de furar o bloqueio rival foi em cobrança de falta, aos 24 minutos, com Rogério. No entanto, o goleiro Miguel Jiménez praticou grande defesa e impediu que as redes balançassem. Os visitantes também levavam certo perigo, mas paravam nas grandes intervenções de Ceni.

Miclel Bastos comemora gol  da vitória Tricolor. (Foto: Rubens Chiri).

Miclel Bastos comemora gol da vitória Tricolor. (Foto: Rubens Chiri).

Aos 30 minutos, o jovem Auro deixou o gramado lesionado e deu lugar ao zagueiro Lucão. Com a mudança, o versátil Paulo Miranda foi para a lateral direita e assumiu o setor. Quando o duelo era equilibrado e com um cenário até mais favorável ao São Paulo, a arbitragem expulsou o centroavante Luis Fabiano aos 32 minutos e brecou a reação são-paulina antes do intervalo.

Aos 41 novo susto, numa trama do ataque chileno na grande área tricolor Zunaga chutou forte e Rogério Ceni defendeu com o pé direito evitando que adversário abrisse o placar.

Segunda etapa

Na volta para a segunda, com apenas dez homens em campo, os anfitriões adotaram uma postura mais recuada e adotaram o contragolpe como arma para surpreender. Quando atacado, o Tricolor contava com as belas e difíceis defesas de Rogério, que se esticava todo para conter as investidas chilenas.

E se a equipe levava desvantagem numérica em campo, a alternativa foi apostar na individualidade. Em noite inspirada, Michel Bastos tratou de abrir o placar e garantir a festa da torcida. Aos 10 minutos, o camisa 7 fez boa jogada individual pela direita, cortou para o meio e soltou a bomba de perna esquerda. O goleiro Jiménez pulou, mas não alcançou a bola. Golaço!

Para administrar o importante resultado e tentar explorar os contra-ataques, Milton promoveu a entrada de Alan Kardec no lugar de Pato. Pouco depois, aos 18, o interino foi obrigado a mexer novamente. Desta vez, no entanto, por lesão: Lucão, que entrara no primeiro tempo na vaga de Auro, sentiu fortes dores musculares e deixou o gramado para a entrada de Hudson.

Com uma nova formação defensiva – Hudson na direita, Paulo Miranda e Edson Silva na zaga e Alvaro na esquerda -, o São Paulo soube neutralizar os ataques do Huachipato e ainda surpreendeu nas rápidas respostas. Denilson e Osvaldo passaram perto de anotar o segundo gol do encontro, mas a bola passou rente a trave. Daí em diante, para assegurarem a vitória, os donos esfriaram a partida e seguraram o suado triunfo: 1 a 0.