ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Não deu nem pro cheiro! Brasil atropela seleção da Australia

Brasil vence fácil a fraca seleção Australiana no Mané Garrincha e segue firme na preparação para a Copa.

Por Vladimir da Costa

O Brasil comemorou em grande estilo o feriado nacional de 07 de setembro. Contra a modesta seleção da Austrália, a seleção não tomou conhecimento do time da Oceania e goleou com sobra. No melhor estilo de rua brasileiro, vira três acaba seis, o Brasil simplesmente atropelou a Austrália para, infelizmente, poucos torcedores que se despuseram a pagar cara para ver o amistoso na capital federal.

No reencontro da Seleção com a capital federal, onde teve início a campanha que culminou no título da competição internacional em julho, os diversos desfalques não fizeram diferença para que foi ao Mané Garrincha.

Jogadores do Brasil comemoram gol marcado contra a seleção da Austrália Pedro Ladeira Folhapress

Jogadores do Brasil comemoram gol marcado contra a seleção da Austrália (Foto: Pedro Ladeira / Folhapress)

Sem Hulk, Daniel Alves, Fred e Oscar, lesionados, Felipão apostou em Maicon, Ramires, Bernard e Jô, e foi retribuido com boas atuações de todos que estiveram em campo. O atacante do Atlético-MG aprveitou a oportunidade mais uma vez e fez dois gols, enquanto o agora meia do Shakhtar se destacou e saiu aplaudido.

A seleção dominou o jogo todo e não deu espaços e nem chances para a seleção adversária. Com ajuda do fraco sistema dos australianos, o Brasil construiu o placar com tranquilidade. Tanto que o goleiro Julio Cesar apenas apareceu na partida para trocar camisa, após o final do jogo.

O jogo

Com calma e toque de bola refinado, a seleção controlou boa parte do jogo contra a seleção australiana. Sem fazer força, o Brasil passou a encaixar diversos contragolpes. Aos 22 minutos, Neymar recebeu passe de Bernard e passou por quatro adversários dentro da área, mas errou na hora de finalizar.

A ex-dupla do Atlétigo-MG se reencontram para brilhar pela Seleção  Bruno Domingos Mowapress

A ex-dupla do Atlétito-MG se reencontram para brilhar pela Seleção (Foto: Bruno Domingos / Mowapress)

Aos 33 minutos, começou o massacre. Bernard, agora, meia do Shakhtar foi lançado pela direita por Maicon e cruzou rasteiro, na medida, para o centroavante completar para abrir o placar. Não demorou muito o logo veio o segundo gol. Ramires lançou Neymar, que invadiu a área e, de frente para deslocar o goleiro Schwarzer e 3 a 0. Para adversários, restava segurar a bola quando tinham posse dela. Os cruzamentos para a área, que foram facilmente anulados pela defesa eram o único recurso.

O Brasil voltou para o segundo tempo somente com a entrada de Maxwell no lugar de Marcelo, que se lesionou. A mudança em nada alterou o panorama da partida. A seleção seguia soberana diante de uma Austrália sem condições de oferecer resistência.

Com tanta tranquilidade, o Brasil não demorou para transformar ampliar o placar. Como a marcação da equipe australiana não apertava, o Brasil foi pra cima e assim como no primeiro tempo, fez três gols relâmpagos que definiram o resultado. Aos 12 minutos Ramires aproveitou cruzamento de Maxwell pela esquerda e cabeceou firme para vencer Schwarzer. Dois minutos depois, o volante do Chelsea pegou a sobra e bateu firme, de fora da área, mas a bola acertou a trave.

Tranquilo na partida, Felipão resolveu mexer.  Colocou Dante, Hernanes, Lucas e Pato nos lugares de David Luiz, Paulinho, Bernard e Jô.

Aos 26 minutos, Pato aproveitou a fragilidade do adversário para balançar as redes. Neymar tabelou com Hernanes, foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para o atacante do Corinthians fazer o quarto. Aos 38 minutos, o último e mais bonito gol da partida. Luiz Gustavo, tabelou com Hernanes e acertou uma bomba, de fora da área, definindo o placar e mostrando que o Brasil, em casa, segue forte, ao menos dentro de casa.

Resumo do que foi a partida dos adversários. Muita marcação e pouca qualidade técnica Bruno DomingosMowapress

Resumo do que foi a partida dos adversários. Muita marcação e pouca qualidade técnica. Final 6 x 0. (Foto: Bruno Domingos / Mowapress)