ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Nem reunião entre jogadores resolveu problema Tricolor.

Desfalques do tricolor para enfrentar o Corinthians no próximo fim de semana pelo Brasileirão, problemas não acabam.

Por Luiz Soares
Jogadores e treinador tricolor reunidos antes de jogo contra Internacional. ( Foto: Rubens Chiri)

Jogadores e treinador tricolor reunidos antes de jogo contra Internacional. ( Foto: Rubens Chiri)

Após a derrota por 1 a 0 no jogo de ontem (24/07), no Morumbi, contra o Internacional, o São Paulo amarga sua oitava derrota consecutiva e é o primeiro time fora da zona de rebaixamento com oito pontos na frente de Ponte Preta, Atlético-PR, Portuguesa e Náutico. Por outro lado, um aspecto preocupa os são-paulinos ainda mais, o time tem três jogos a mais que o primeiro do Z-4 (Ponte Preta) e dois a mais que os outros. Além disso, o São Paulo não saiu apenas com a derrota, agora, o tricolor paulista tem desfalques importantes para o clássico contra o Corinthians no próximo domingo e para a viagem ao exterior onde participará de torneios e amistosos internacionais.

Um pouco mais de seis mil heroicos torcedores estavam no Morumbi ontem, para enfrentar o frio da cidade e do time, que começou bem a partida, mas com o gol de Leandro Damião esfriou de vez. A fala dos jogadores do tricolor no intervalo e após o jogo era bem parecido. Ao se encaminhar para o túnel dos vestiários, no intervalo, o volante Denílson (que no segundo tempo se lesionou) falou sobre a dificuldade para as coisas se acertarem. “É incrível que quando a fase é ruim nada dá certo. Jogamos bem o primeiro tempo, mas o gol não sai e ainda tomamos um”, afirma o jogador.

O gol mencionado pelo jogador foi o que decretou a vitória do time do Internacional em uma jogada de Jorge Henrique e Leandro Damião, aparentemente inofensiva. Mesmo com chute fraco, o atacante do time gaúcho acabou chutando no contrapé de Rogério Ceni, que não teve o que fazer.

 Inclusive, o goleiro Rogério Ceni desta vez mudou o seu discurso. Na saída do campo, ao término do jogo, o arqueiro tricolor admitiu como deve ser o ano do São Paulo. “Temos que sair o quanto antes dessa situação (proximidade com o Z-4). Tem ano que você joga para ser campeão e em outros para se salvar. Este ano teremos que jogar para salvar o São Paulo”, afirma o goleiro sobre a preocupação com o rebaixamento.

Agora, alguns fatores preocupam o são-paulinos ainda mais sobre a colocação do time na tabela. Ontem durante o jogo, o atacante Luis Fabiano teve uma lesão no músculo posterior da coxa direita e fará exames nesta quinta-feira, mas o médico do São Paulo, José Sanchez, já descarta o jogador no clássico de domingo e na viagem. Outro lesionado é o volante Denílson, que passará por uma artroscopia no joelho direito, mas também já foi descartado.

Pensando no futuro, o técnico Paulo Autuori mantem o seu discurso. Em coletiva, Autuori falou que o time continua com falta de confiança, mas que “há saída, precisamos procurar por uma, mas sempre existe saída”, afirmou o comandante do time. O técnico defendeu o time, dizendo que não faltou entrega dos jogadores, que se esforçaram para reverter o placar, fator que ficou claro durante o fim do jogo. Mesmo com vaias da torcida, era possível perceber o sacrifício de muitos deles. Paulo Miranda, por exemplo, reclamou de câimbra inúmeras vezes e pediu para colegas e adversários ajuda-lo com a dor. “O jogo hoje foi normal, situações normais como o gol do adversário, time forte, que se defendeu bem. Mas, falta confiança para saber lidar com isso e com as chances que perdemos”, afirmou Autuori.

Agora, o time pensa no clássico do próximo domingo (28/07) contra o Corinthians, no Pacaembu, para depois seguir a viagem internacional em que participará dos torneios amistosos Copa Audi e Copa Suruga, onde enfrentará Bayern de Munique e o Kashima Antlers, do Japão. Além disso, enfrentará o time português Benfica, em um amistoso em homenagem ao ídolo português Eusébio.