O protagonismo dos estrangeiros no futebol brasileiro

Estrangeiros ganham espaço no futebol brasileiro

Por Luiz Soares

Todos sabem que ao longo da história o futebol brasileiro sempre foi casa de muitos estrangeiros de todo o mundo que buscam no país do futebol – ou aquele que um dia foi, o sucesso para suas carreiras. Entre os mais famosos podemos citar Dario Pereyra, Rodolfo Rodriguez, Elias Figueroa, entre outros.

Atualmente, não é diferente, os estrangeiros continuam fazendo sucesso no Brasil, mais recentemente podemos citar os argentinos Conca e Tevez e até o sérvio Petkovic. Entre o fim de 2012 e o início de 2013 alguns estrangeiros são o foco dos holofotes da imprensa brasileira, como o peruano Guerrero e o argentino Montillo ou até a possível vinda do chileno Vargas, ao São Paulo. Com isso vem a pergunta, qual a diferença entre os estrangeiros da atualidade e aqueles que já passaram por aqui?

Os estrangeiros recém-chegados ao Brasil têm alcançado o protagonismo que antigamente era apenas visto com os jogadores nativos. Isso não quer dizer que o futebol brasileiro deva ter um nacionalismo elevado ou a proibição da entrada de jogadores estrangeiros, mas será que esse protagonismo dos estrangeiros pode atrapalhar o avanço de nossa seleção?

Trata-se da falta de bons jogadores por aqui ou isso é apenas fruto do elevado preço do jogador brasileiro no mercado, que culmina na busca por jogadores estrangeiros, principalmente latinos ou brasileiros em fim de carreira que estão no velho continente. Podemos até citar jogadores europeus já em fim de carreira.

A resposta para tantas perguntas é difícil, alguns mais otimistas até dizem que isso é a visibilidade que o Brasil alcançou por ser a próxima sede da Copa do Mundo. Ao contrário do passado, vemos jogadores estrangeiros sendo considerados os melhores do Brasil, como é o caso de Conca e Tévez que foram eleitos, jogando por Fluminense (2010) e Corinthians (2005). Outro protagonista é Montillo, que vem sido disputado por times brasileiros nos últimos anos e ainda o peruano Guerrero, autor dos dois gols que deram o título Mundial ao Corinthians em 2012. Vemos ainda outros estrangeiros, como o atacante chileno Vargas, motivo de disputa entre alguns times, como São Paulo e Grêmio.

O verdadeiro motivo para tudo isso não sabemos, mas é um tema que pode deixar nossos cartolas com a pulga atrás da orelha nos próximos anos. Afinal, agora teremos um argentino vestindo a camisa 10 de Pelé, no Santos. Isso não soa estranho?