ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Palmeiras com a Corda no Pescoço!

Risco de rebaixamento do Verdão é alto, mas Santos e Corinthians não estão livres.

Por Paulo Edson Delazari

Artur é consolado por Fabio Santos no clássico diante do Corinthians.(Foto: Marcos Ribolli/ Globoesporte.com)

O Campeonato Brasileiro está chegando a sua reta final e é neste momento que começa a se criar as expectativas com relação a quem será o Campeão e quem será rebaixado. Neste caso traremos a situação de Palmeiras, Santos e Corinthians com relação a possibilidade de rebaixamento segundo cálculos do matemático Tristão Garcia, idealizador do site Infobol.

O caminho até a zona de conforto será duro principalmente para o Palmeiras. De acordo com Tristão, para uma equipe não correr qualquer risco de ser rebaixada, é preciso chegar a 46 pontos. Desde a implantação do atual formato do Brasileirão, com 20 times e quatro degolados, já houve quem se salvasse com 42 (Atlético-GO, em 2010) e também quem caísse com 45 (Coritiba, em 2009).

Com 26 pontos e em 18º lugar, o Palmeiras precisa ganhar 20 pontos em 30 para não dar sopa ao azar. Isto significa trocar o desempenho de equipe que briga para não cair por um de time que luta pelo título.

– O Palmeiras vai ter que jogar como um campeão. Precisa fazer (uma média de) dois pontos por jogo, que é o que a gente projeta no início do campeonato para quem vai levar o título. No momento, só dois times têm desempenho assim: o líder Fluminense, que tem seis pontos de folga em relação a esta meta, e o Atlético-MG, que com a goleada de sábado chegou exatamente a este aproveitamento – explicou o matemático.

A história mostra a torcedores dos integrantes do Z-4 que é possível sair de situações desesperadoras. Em 2009, ao fim da 28ª rodada, o Fluminense segurava a lanterna, com 22 pontos. Em seus últimos 10 jogos naquele ano, o Tricolor ganhou 24 de 30 pontos e conseguiu a salvação, com 46.

Mais acima na tabela Santos e Corinthians têm, se somados seus percentuais, 5% de risco de rebaixamento. Porém a média não é baseada somente num índice geral o matemático adota outras fórmulas para chegar as suas médias, como exemplo ele faz um comparativo entre Flamengo e Bahia.

– O perfil do Flamengo é mais fraco que o do Bahia no momento. O Bahia vem jogando muito mais forte que o Flamengo (reação do time no segundo turno). Não pego simplesmente a média geral, é algo ponderado, os últimos seis jogos no traçado do perfil têm peso maior.

Ano passado, a 10 rodadas do fim, o Atlético-MG abria a zona de rebaixamento, com os mesmos 27 pontos que tem hoje o Sport. O Galo ganhou 18 de 30 pontos, chegou a 45 e escapou da degola, em 15º lugar. Em 2011, o primeiro salvo foi o Cruzeiro, com 43. Então torcedor Palmeirense, ainda há esperança! Mas você torcedor Santista e Corinthiano não se sintam livres que o risco de rebaixamento é baixo, mas ainda existe.

Veja as porcentagens de rebaixamento de cada time e os próximos jogos