ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Palmeiras cumpre obrigação e avança na Copa do Brasil

Com gols de Bruno Cesar, verdão supera os desfalques e vence duelo tecnicamente fraco.

Por Anderson Marinho
Bruno Cesar foi o destaque do triunfo alviverde no Pacaembu. Foto: Eduardo Viana / Agência Lance

Bruno Cesar foi o destaque do triunfo alviverde no Pacaembu. Foto: Eduardo Viana / Agência Lance

No primeiro jogo após a eliminação no Campeonato Paulista, o Palmeiras recebeu o Vilhena, no estádio do Pacaembu, pela partida de volta primeira fase da Copa do Brasil e mesmo jogando mal garantiu a sua classificação à próxima fase da competição nacional com uma vitória por 2 a 0, com gols do meia Bruno Cesar, evitando um novo vexame diante do seu torcedor.

O alviverde aguarda agora o seu próximo adversário que saíra do confronto entre Portuguesa e Potiguar de Mossoró – RN, que se enfrentam na próxima quarta-feira no Canindé. No primeiro jogo em Mossoró o time da casa venceu por 1 a 0.

O jogo

Com muitos desfalques o técnico Gilson Kleina mandou o verdão à campo com um time totalmente descaracterizado.  Com a bola rolando o alviverde não conseguiu se impor, errando muitos passes e pouco criou na etapa inicial.

Na melhor chance, aos 35 minutos, Marcelo Oliveira tabelou com Mendieta, invadiu a área, driblou o zagueiro Marinho e chutou cruzado para grande defesa do goleiro Dalton.

Apostando em um lance para surpreender o time da casa, o Vilhena adotou uma postura cautelosa, marcando atrás da linha da bola, sem dar espaços para o Palmeiras e saído nos contra-ataques e na base dos lançamentos, mas não ameaçou no morno primeiro tempo.

Etapa complementar.

Na volta do intervalo Gilson Kleina optou pela entrada de Serginho na vaga de Wellington, deslocando Thiago Alves para a zaga e dando mais velocidade para ao jogadas pelas pontas. O volume de jogo continuou sendo superior, mas faltava qualidade para acertar o último passe.

Aos 13 minutos, Jal ganhou a disputa no corpo a corpo com Lucio, partiu em velocidade e chutou rasteiro, assustando o torcedor palmeirense, Bruno defendeu com os pés.

Entretanto, a bolado jogo para o Vilhena veio 12 minutos depois, após cruzamento de Elsinho pela direita, na medida, Tayrão desvio de cabeça e acertou a trave esquerda do goleiro alviverde silenciando o Pacaembu.

Bruno Cesar comemora o primeiro gol do verdão. Foto: Marcos Ribolli

Bruno Cesar comemora o primeiro gol do verdão. Foto: Marcos Ribolli

A pressão da torcida e o fantasma da eliminação já perturbavam o verdão, que demonstrava nervosismo em campo, mas aos 28 minutos, Marquinhos Gabriel, que entrou na vaga de Mendieta, recebeu lindo lançamento na ponta direita, dominou no peito, avançou em velocidade, driblou dois marcadores, invadiu a área e cruzou na medida para Bruno Cesar apenas empurrar e abrir o placar.

O gol deu a tranqüilidade necessária para os comandados de Gilson Kleina e três minutos depois, a zaga do Vilhena errou a saída de bola, Bruno Cesar fez o domínio e foi derrubado por Dalton dentro da área. Na cobrança , o próprio Bruno Cesar bateu firme, em meia altura, sem chances para o arqueiro adversário.

Com a vantagem palmeirense no placar e o desgaste do adversário, o ritmo da partida caiu novamente na reta final e o árbitro apitou o fim do jogo em cima dos 45 minutos, sem acréscimos.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 0 VILHENA

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 2 de abril de 2014, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Público total: 4.897
Renda: R$ 124.950,00
Árbitro: Wanderson Alves de Sousa (MG)
Assistentes: Luciano Roggenbaum e Diego Grubba Schitkovski (ambos do PR)
Cartões amarelos: Carlinhos, Edilsinho, Júnior, Tayron e Dalton (VIL) Bruno César, Leandro e Eguren (PAL)
Gols: Bruno César, aos 27 e aos 31 minutos do 2º tempo.

PALMEIRAS: Bruno; Tiago Alves, Lúcio, Wellington (Serginho) e William Matheus; Eguren, Marcelo Oliveira (Josimar), Mendieta (Marquinhos Gabriel) e Bruno César; Leandro e Miguel
Técnico: Gilson Kleina

VILHENA: Dalton; Portela, Júnior, Alex Barcellos e Maycon (Tiago Silva); Marinho (Tayron), Carlinhos, Cucaú, e Edilsinho; Jal (Roallase) e Sandro
Técnico: Marcos Birigui