ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Palmeiras estreia nova Arena com derrota para o Sport.

Casa cheia, estádio bonito, mas time feio, levam verdão à derrota.

Por Paulo Edson Delazari
Diego Souza ex-palmeiras faz jogada acompanhado de perto por Nathan

Diego Souza ex-palmeiras faz jogada acompanhado de perto por Nathan

O que era para ser uma festa do torcedor palmeirense com sua nova casa, virou drama e protestos. No gramado, só houve frustração. Estreando o Allianz Parque, o time alviverde fez uma partida fraca tecnicamente e amargou uma derrota para o Sport por 2 a 0, nesta quarta-feira.

Os gols saíram apenas na parte final do confronto, sendo que o primeiro foi feito aos 33 minutos do segundo tempo por Ananias, atacante que passou pela equipe paulista em 2013 de forma discreta e sequer balançou a rede. Aos 45, Patric ampliou com golaço e deu números finais ao histórico jogo.

Com a casa cheia, o belíssimo estádio foi muito celebrado pelos torcedores, que só perderam a animação justamente com a bola rolando. Demonstrado apatia em campo, a equipe paulista viu os pernambucanos terem maior domínio territorial ao longo da partida.

Assim, o Palmeiras se torna o segundo grande clube de São Paulo a estrear seu estádio com um gosto amargo. Isso porque, antes da Copa do Mundo, o Corinthians perdeu por 1 a 0 para o Figueirense no primeiro jogo oficial da Arena Corinthians.

Sem jogar em seu estádio desde julho de 2010, quando o Palestra Itália foi fechado para se transformar na moderna arena. A próxima oportunidade de buscar sua primeira vitória no Allianz Parque será apenas na última rodada, em 7 de dezembro, quando enfrentará o Atlético-PR.

Com o resultado, o clube alviverde chega a sua terceira derrota seguida no Brasileiro, estaciona nos 39 pontos e fica em situação crítica. Isso porque, na 14ª posição, a equipe está a três pontos da zona de rebaixamento, mas pode cair para um caso a Chapecoense vença o Fluminense fora de casa na quinta.

Já o Sport completa quatro jogos de invencibilidade – três triunfos e um empate -, fica com 47 pontos e acaba com qualquer chance de rebaixamento.

Pela próxima rodada do Nacional, o Palmeiras visitará o Coritiba no Couto Pereira, no domingo, às 19h30 (de Brasília). No mesmo dia, o Sport receberá o Fluminense, na Arena Pernambuco, às 17h.

O jogo

Ananias foi o autor do primeiro gol do Alians Parque.

Ananias foi o autor do primeiro gol do Alians Parque.

Para reinaugurar o Palestra Itália, Dorival Júnior resolveu não mexer no time que perdeu do São Paulo no domingo. A estrutura tática era a mesma, mas com imposição ofensiva maior, liberando os laterais e segurando Marcelo Oliveira na marcação. Não foi surpresa a maior vontade ser insuficiente para trazer criatividade.

O time paulista entrou com garra, brigando pela bola já na saída, dada pelo Sport. Mas os pernambucanos sabiam lidar com o nervosismo e a falta de qualidade do adversário. Rapidamente, apostaram nas descidas do lateral direito Patric nas costas de Juninho, forçando por ali para chegar a acuar os anfitriões.

Os comandados de Dorival, então, usaram a vontade. O centroavante Henrique chegou a voltar ao meio de campo e arriscar lançamentos, tentando fazer o que o responsável pela função não conseguia. Felipe Menezes e Wesley despertaram xingamentos de uma torcida que veio animada por tanto arriscarem e errarem.

Posicionado para contra-atacar e bem à vontade mesmo vaiado, Diego Souza, aos 21, assustou os palmeirenses ao bater firme no ângulo direito de Fernando Prass, que se aproveitou do seu bom posicionamento para defender sem perigo.

Aos 22, na única jogada trabalhada que conseguiu executar, o Palmeiras teve Diogo amortecendo lançamento na grande área e clareando para Juninho cruzar na cabeça de Felipe Menezes, que estava na cara do gol. O substituto de Valdivia desperdiçou quase debaixo da trave.

Com o lance, o nervosismo aumentou não só nas arquibancadas que recebiam torcedores pela primeira vez, mas também no time que tinha a missão de representar o Palmeiras em data tão importante. Quem mais se sentia à vontade era Diego Souza, que aplicou chapéu, colocou a bola entre as pernas de Felipe Menezes e chutou outra em direção à torcida.

Para a sorte dos anfitriões, os pernambucanos não tinham nada além das jogadas individuais de Diego Souza e da correria de Patric para estragar a festa. Cabia ao próprio time alviverde não estragar sua própria festa. Bastava transformar o goleiro Magrão em mais do que um espectador privilegiado entre os quase 40 mil presentes.

A paciência de Dorival terminou aos 12 minutos do segundo tempo. Sem conseguir acertar quase nada, Felipe Menezes foi vaiado por praticamente todos os presentes no Palestra Itália ao ser substituído. Allione entrou em seu lugar e isso foi suficiente para, de imediato, uma movimentação maior na frente, principalmente explorando João Pedro.

Mesmo assim, foi fácil para o Sport acuar os donos da casa, com Diego Souza fazendo o que queria, explorando, principalmente, a juventude do zagueiro Nathan.

Aos 21 minutos, o time pernambucano quase marcou o primeiro gol na reabertura do Palestra Itália. Debaixo do gol vazio, Danilo conseguiu finalizar para fora, mesmo sozinho.

E a festa virou protesto contra a atual equipe e presidência do Palmeiras. (Foto: Gazeta Press).

E a festa virou protesto contra a atual equipe e presidência do Palmeiras. (Foto: Gazeta Press).

Aos 28, Dorival lançou o time à frente trocando o lateral Juninho pelo atacante Mouche. Mais uma vez, apenas alguns minutos de maior movimentação ofensiva. O Sport era o dono do jogo. Cansados, os jogadores do Palmeiras se aglomeravam na grande área para espantar a pressão dos visitantes.

Até que o próprio Sport mostrou ter elenco mais útil. Aos 33, Ananias entrou no lugar de Joéliton. O meia-atacante não fez praticamente nada em sete meses no Palmeiras no ano passado, mas precisou só de dois minutos dentro de campo com a camisa rubro-negra para aproveitar cruzamento na grande área e inaugurar as redes fechadas para jogos oficiais desde julho de 2010.

Os minutos finais serviram apenas para os revoltados torcedores direcionarem sua raiva para Wesley, trocado por Mazinho aos 36. O meia-atacante e nenhum outro dos que representavam o Palmeiras em campo puderam fazer mais do que enervar quem foi ao estádio preparado para festa. Patric, então, fechou a triste noite dos mandantes limpando quem estivesse pela frente antes de acertar belo chute, com um golaço aos 45.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 X 2 SPORT

Local: Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Data: 19 de novembro de 2014, quarta-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Marcio Eustáquio Santiago e Guilherme Dias Camilo (ambos de MG)
Assistentes adicionais: Igor Junio Benevenuto (MG) e Wagner dos Santos Rosa (RJ)
Cartões Amarelos: Marcelo Oliveira, Henrique (Palmeiras) e Joéliton (Sport)
Gols: Ananias, aos 33, e Patric, aos 45 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; João Pedro, Nathan, Tobio e Juninho (Mouche); Victor Luis, Marcelo Oliveira, Wesley (Mazinho) e Felipe Menezes (Allione); Diogo e Henrique
Técnico: Dorival Júnior

SPORT: Magrão; Patric, Ewerton Páscoa, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Rithely, Danilo (Wendel) e Diego Souza; Mike (Felipe Azevedo) e Joelinton (Ananias)
Técnico: Eduardo Baptista