ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Palmeiras respira após vitória na Bahia

Com gol de Betinho, Verdão diminui crise e fica a seis pontos do 16º colocado

Por: Mauro Ribeiro

Os revés de Palmeiras e Bahia nas duas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro transformaram o duelo entre as equipes em um verdadeiro divisor de águas na fuga pelo rebaixamento. Se por um lado o time baiano teria a oportunidade de se distanciar ainda mais da zona da degola, o Alviverde entrava em campo pensando somente na vitória.

A postura do Palmeiras na primeira metade dos 45 minutos iniciais foi de fundamental importância para o resultado final. Aguerrida, a equipe de Gilson Kleina entrou com três atacantes (Luan, Betinho e Barcos), a fim de anular a saída de bola dos baianos. A estratégia fez com que o Bahia se atrapalhasse e quase não chegasse à meta do goleiro Bruno.

Betinho marca e Palmeiras vence partida de “seis” pontos (Foto Cesar Greco-Agência Estado)

O lance chave da partida aconteceu aos 19 minutos do primeiro tempo. Barcos – que chegou a Salvador há pouco menos de uma hora e meia antes do apito inicial – recebeu dentro da área pela esquerda, passou o pé por cima da bola e cruzou de canhota, na cabeça de Betinho, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes: 1 a 0 Palmeiras.

O gol desestabilizou ainda mais o Bahia, que passou a jogar no campo de ataque, porém, sem poder algum de decisão. Mesmo recuado, o Palmeiras conseguiu superar a pressão rival e sair ileso no primeiro tempo, sem levar um chute na direção do gol.

Na segunda etapa, o técnico Jorginho substituiu a lentidão de Zé Roberto pela velocidade de Lulinha, com a intenção de incendiar a partida. O ex-corintiano até que entrou bem e forçou as jogadas nas costas de Leandro – ainda sem ritmo de jogo. Só que o nervosismo entrou novamente em cena. Os erros da equipe baiana eram incontáveis, chegando até aos passes mais simples.

E este era o cenário no qual a partida se arrastava: o Palmeiras fechando todos os espaços e o Bahia tentando furar a retranca alviverde de maneira desorganizada. E nada de chances pelos dois lados.

A prosa mudou apenas aos 29 minutos, quando Cláudio Pitbull – que havia entrado no lugar de Kleberson, vaiado pela torcida – quase empatou em cobrança de falta, obrigando Bruno a fazer uma bela defesa. O susto fez o Palmeiras se prevenir ainda mais. Um minuto depois do lance, Gilson Kleina sacou o jovem Patrick Vieira e colocou o volante Márcio Araújo para fechar de vez a equipe.

Apesar de investir a todo momento no ataque, o Bahia teria sofrido o segundo gol se Barcos não exagerasse no preciosismo. Jussandro escorregou dentro da área, deixando a bola para o Pirata, que, cara a cara com Marcelo Lomba, errou a cavadinha e apenas recuou a bola para o goleiro.

Aos 41 minutos foi a vez de Leandro escapar em velocidade pela esquerda e cruzar para Tiago Real dentro da área. O camisa 23 dominou e desperdiçou outra chance ao chutar a bola nas pernas do zagueiro Titi.

Os minutos finais da partida ainda deu oportunidade aos jogadores palmeirenses de reclamaram com o árbitro Leandro Pedro Vuaden de um suposto pênalti de Diones, que tocou a bola com a mão dentro da área.

Fim de papo. Com a excelente vitória, o Palmeiras diminuiu a distância para o Bahia em seis pontos e dorme nesta quarta-feira na 17ª colocação, com 29 pontos. Já a equipe de Salvador continua na 16ª posição – primeira fora da zona do rebaixamento –, com 35 pontos. Na próxima rodada, Palmeiras e Bahia enfrentam Cruzeiro e Corinthians, respectivamente. Ambos os jogos acontecem no estado de São Paulo.