Primeira prova de fogo para os Homens de Preto em 2013

Árbitro do San-São é símbolo da irregularidade da atual geração.

Por Anderson Marinho

O desempenho dos árbitros no Paulistão 2013 não mudou muito em relação às últimas temporadas nas quatro primeiras rodadas da competição, sem grandes novidades no quadro, as mesmas figuras de anos atrás continuam sendo escaladas e mantêm o baixo nível técnico das arbitragens nos gramados paulistas.

Árbitro está escalado para apitar o primeiro clássico do Paulistão 2013. (Foto Ivan Storti / Lancenet)

Entre lances polêmicos, faltas invertidas, pênaltis mal marcados, expulsões injustas e deficiências no aspecto disciplinar as reclamações continuam, seja por parte dos grandes quanto dos pequenos clubes do torneio, mas até aqui nenhum resultado gerou grande repercussão.

Entretanto, no próximo domingo, 03/02/2013, a quinta rodada reserva o primeiro clássico da temporada entre Santos x São Paulo, às 17h00, na Vila Belmiro, um duelo marcado pela tradicional rivalidade da dupla San-São, com presença confirmada de Neymar, o jogador mais cassado do campeonato e o possível reencontro de Paulo Henrique Ganso com a torcida de seu ex-clube, promessa clima quente e muito trabalho para o árbitro Flávio Rodrigues Guerra e seus assistentes.

Olho nele

Flávio Rodrigues Guerra, professor de Educação Física, é um dos árbitros mais jovens da Federação Paulista de Futebol, com apenas 33 anos, e uma das promessas do quadro de arbitragem do estado, mas encerrou a última temporada em baixa, com péssimas atuações pelo Campeonato Brasileiro e chegou a ser afastado pela comissão nacional de arbitragem, após deixar de marcar dois pênaltis claros a favor Sport Recife na partida contra o Atlético-MG, no dia 14/10/2012, em Belo Horizonte.

No Campeonato Paulista 2013 ele apitou apenas a partida entre XV de Piracicaba e Paulista, vencida pelos donos da casa por 2 a 1, com atuação discreta e agora tem a oportunidade de mostrar novamente seu valor em um grande clássico, mas precisa ficar atento para não se perder em meio à tensão que envolve a partida e acabar repetindo as más atuações.