ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Riquelme e arbitragem eliminam o Timão na Libertadores

Camisa dez argentino e o árbitro paraguaio Carlos Amarilla roubaram a cena no Pacaembu

Por Anderson Marinho

Em jogo marcado por muitas polêmicas com erros de arbitragem e a tradicional catimba argentina, o Corinthians ficou no empate por 1 a 1 contra o Boca Juniors, nesta quarta-feira, no estádio do Pacaembu, em partida válida pelas oitavas de final da Copa Libertadores da América 2013 e deu adeus ao sonho do bicampeonato na competição continental. Juan Román Riquelme, voltando de contusão, deixou sua marca e foi decisivo para a classificação dos xeneizez, Paulinho, em mais uma grande atuação, marcou o gol de empate do alvinegro.

Riquelme mostrou que tem estrela e comandou o Boca. Foto: AP

O jogo.

Com casa cheia e o time precisando reverter o placar do jogo de ida em Buenos Aires, vencido pelo Boca por 1 a 0, o torcedor corintiano esperava ver o timão ditando o ritmo do jogo, marcando sobre pressão, e impondo respeito ao adversário, mas foi o Boca Juniors que imprimiu a sua proposta nos primeiros 20 minutos do duelo, controlando a posse de bola no meio de campo e chegando com perigo nos contra-ataques,  sem deixar o alvinegro jogar.

Aos poucos a tensão e nervosismo foram tomando conta dos comandados de Tite, muito pela catimba e também pela arbitragem de Carlos Amarilla, que deixou de marcar um pênalti claro para a equipe aos nove minutos, quando Marín desviou um bola com a mão dentro da área, e ainda deu cartão amarelo para Emerson Sheik por reclamação.

O Corinthians ainda teve mais duas oportunidades para abrir o placar, mas não foi feliz na primeira e parou no trio de arbitragem mais uma vez em seguida.

Aos 16 minutos Paulinho fez grande jogada pelo meio e serviu Danilo que arriscou de fora da área, a bola saiu rente à trave esquerda da meta defendida por Orión.

Sete minutos depois, Romarinho recebeu belo lançamento de Emerson, em posição regular, saiu cara a cara com Orión, driblou arqueiro argentino e tocou para o fundo da rede, mas o bandeirinha marcou impedimento na jogada.

No lance seguinte brilhou a estrela de Riquelme, o craque argentino, em lance despretensioso na ponta direita, se preparou para o cruzamento, mas bateu direto e a bola encobriu Cássio, um golaço.

Craque comemora gol diante do Corinthians. Foto: AP

Depois do gol os hermanos se fecharam e o Corinthians pouco criou, chegando apenas aos 35 minutos, em chute de Danilo que desviou na zaga e saiu pela linha de fundo.

Um primeiro tempo com rendimento bem abaixo do esperado para o atual campeão mundial.

Etapa complementar

Precisando marcar três gols para superar o rival e seguir na competição, o treinador corintiano promoveu duas substituições na volta do intervalo, sacando Romarinho e Alessandro para as entradas de Alexandre Pato e Edenilson respectivamente.

O Corinthians voltou para a segunda etapa como deveria ter feito no inicio da partida, partindo pra cima do adversário em busca do resultado, marcando a saída de bola, e a pressão surtiu efeito. Aos seis minutos, após cruzamento de Emerson pela direita, Paulinho subiu mais que todo mundo e, como um centroavante, desviou de cabeça para deixar tudo igual.

Paulinho comemora o gol de empate do timão. Foto: AP

O Timão seguiu com o controle das ações, enquanto o Boca se defendia e saia apenas nos contragolpes.

Em uma dessas situações, aos 12 minutos, Riquelme arriscou de fora da área, com efeito, Cássio bateu roupa e a bola sobrou para Glandi, livre, dentro da pequena área, mas o atacante desperdiçou a oportunidade de matar o jogo.

O timão respondeu logo em seguida, mais uma vez com Paulinho, após cruzamento de Ralf o camisa oito apareceu de cara com Orión, que conseguiu o desvio e mandou para escanteio. Na cobrança a zaga afastou no primeiro lance e Edenilson cruzou novamente, após um desvio no meio da área, Paulinho balançou a rede outra vez, mas o assistente anulou e Amarilla mostrou o cartão amarelo para o volante.

Aos poucos o Boca se fechou ainda mais e o Corinthians não conseguiu manter o ritmo inicial, encontrando dificuldades para criar as jogadas. Aos 24 minutos o técnico argentino Carlos Bianchi substituiu Riquelme, com desgaste físico, por Viatri.

Tentando aprimorar a criatividade de sua equipe no meio de campo, Tite promoveu a entrada de Douglas no lugar de Danilo.

O timão chegou com perigo novamente aos 30 minutos, após lançamento de Gil, Guerrero desviou de cabeça e Alexandre Pato apareceu no meio da pequena área, fez o corte sobre Orión, mas desequilibrado se enrolou com a bola e perdeu grande oportunidade.

Seis minutos depois, Emerson fez boa jogada individual pela direita, invadiu a área e caiu reclamando mais um pênalti, mas o árbitro não viu irregularidade no lance e mandou o jogo seguir.

Arbitragem de Carlos Amarilla comprometeu o resultado. Foto: AP

Daí para frente foi ataque contra defesa, mas o alvinegro não conseguiu superar a boa marcação argentina e o relógio ajudou os rivais que seguraram a pressão e garantiram a classificação para as quartas de final da competição.

Ao contrário do que já se viu em outras edições do torneio, dessa vez a fiel torcida aplaudiu o empenho da equipe, incentivando o grupo para o restante da temporada.

O Corinthians agora se concentra para a partida decisiva do Campeonato Paulista, domingo às 16h00, contra o Santos na Vila Belmiro, jogando por um empate para se sagrar campeão estadual.

Já o Boca Juniors enfrenta na próxima fase da Libertadores o também argentino Newell’s Old Boys, que mais cedo derrotou o Vélez Sarsfield por 2 a 1 e avançou graças ao gol marcado fora de casa.

 

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 X 1 BOCA JUNIORS

Local: Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 15/5/2013 – 22h
Árbitro: Carlos Amarilla (Fifa-PAR)
Auxiliares: Rodney Aquino (PAR) e Carlos Cáceres (PAR)

Renda/Público: R$ 2.709.112,50 / 36.319 pagantes
Cartões Amarelos: Alessandro, Paulinho e Emerson Sheik (COR); Orion, Blandi e Marín (BOC)
Cartões Vermelhos:
GOLS: Riquelme, aos 24’/1ºT (0-1) e Paulinho, aos 6’/2ºT (1-1)

CORINTHIANS: Cássio; Alessandro (Edenílson, Intervalo), Gil, Paulo André e Fábio Santos; Paulinho e Ralf; Romarinho (Pato, Intervalo), Danilo (Douglas, 29’/2ºT) e Emerson Sheik; Guerrero. Técnico: Tite.

BOCA JUNIORS: Orion; Marín, Caruzzo, Burdisso e Clemente; Somoza, Erbes (Bravo, 34’/2ºT), Erviti e Sánchez Miño; Riquelme (Viatri, 22’/2ºT) e Blandi (Zárate, 38’/2ºT). Técnico: Carlos Bianchi.