Rogério Ceni esconde o jogo e não divulga aposentadoria

O goleiro tricolor deixou em aberto sua renovação, mas demonstrou prazer em jogar.

Por Paulo Edson Delazari

Rogério Ceni em entrevista ao programa Bem amigos da Sportv. (Foto: Thiago Braga/Sportv.com)

Jogador que mais atuou com a camisa do São Paulo, Rogério Ceni ainda hesita ao falar do seu futuro. Com contrato se encerrando no fim de dezembro, o goleiro de 39 anos ainda não decidiu se encerra a carreira ou se renova o seu vínculo com o Tricolor Paulista.

– Eu tenho muita vontade de jogar futebol. Tem mais 70, 80 dias até chegar o fim do ano, para eu decidir. Depende muito da vontade do presidente. As pessoas têm uma visão errônea, eu não mando em nada. Não conversei com ele, mas estou tranquilo e feliz. Nunca me senti tão tranquilo quanto hoje. Quando era mais novo, não desfrutava tanto – falou o jogador no programa de TV “Bem, Amigos!” da Sportv. 

No São Paulo desde 1990, Rogério se tornou uma das legendas na história do clube. No jogo do último domingo, quando a equipe bateu o Figueirense por 2 a 0, ele completou a partida de número 500 com a camisa do São Paulo no estádio do Morumbi, casa do time.

Mesmo colocando a sequência de sua carreira em dúvida, Rogério elogiou o São Paulo e disse que vê um time forte para brigar por títulos em 2013.

– Não sei se estarei no ano que vem, mas fico feliz de, quatro anos depois, ver um São Paulo com cara de São Paulo, jogando um futebol de primeira linha e prometendo um 2013 um time forte. Isso mesmo com a ausência do seu melhor jogador, que é o Lucas. Sinto muito orgulho dos caras que jogam comigo, e talvez a torcida seja o que mais me deixa triste em deixar (o futebol). É difícil deixar essa vida para trás – finalizou o capitão tricolor.

Quando o assunto é marcas batidas Rogério Ceni fala sobre a felicidade de ver seus companheiros alcançando o feitos individuais.

– Quando eu era mais novo eu pensava muito nos meus objetivos individuais, hoje eu me realizo em ver meus companheiros alcançando objetivos. No domingo por exemplo o gol do Luis Fabiano, ele alcançou uma marca do Serginho Chulapa.

O arqueiro lamentou a distância para o Flunense e lamentou a demora na recuperação.

– É uma pena nos estarmos tão distantes do Fluminense, se nós estivéssemos mais próximos tenha certeza que nos iríamos lutar pela ponta da tabela no meu modo de ver.

Sobre o momento que passa na carreira, questionado se ele pega mais do pegava antigamente o goleiro Tricolor respondeu.

– Eu não sei se eu cato mais do pegava antes, mas eu sei que hoje eu entro muito mais tranquilo em campo do que antes, mesmo com as dores e tudo, hoje eu tenho um prazer muito grande de jogar futebol, porque no passado eu entrava e não desfrutava aquele momento quanto eu desfruto hoje. O difícil é vocês se manter bem nos treinamentos. Eu adoro jogar futebol. Eu me sinto muito bem jogando, isto é um fato.

Rogério Ceni durante participação no programa’Bem,Amigos’ (Foto: Thiago Braga/Sportv.com)

Com relação ao grupo atual, Rogério Ceni não poupou elogios e levantou a bola do elenco.

– Os caras que jogam comigo, eu tenho maior orgulho de estar fazendo parte de grupo, o ambiente de trabalho hoje e fascinante no São Paulo, Isto talvez seja o que mais me deixa triste em deixar de jogar e claro também os torcedores as homenagens, como no último jogo quando os caras abrem aquela bandeira gigantesca nas arquibancadas, sendo o jogo de número 500 com a camisa do São Paulo. É difícil você deixar tudo isso para trás.

Rogério também destacou a importância para o clube da Copa Sul-Americana, competição em que o time está nas oitavas de final. O time joga a partida de volta, contra a LDU, do Equador, no próximo dia 24. No jogo de ida, empate por 1 a 1.

– O título é muito importante. Para mim, é o grande objetivo. Claro, voltar para a Libertadores é o principal, e a gente pode conseguir pelo Brasileiro. Mas fechar o ano com o título da Sul-Americana seria um grande prêmio – finalizou.