ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Rogério perde pênalti e Corinthians ganha o clássico

Danilo marca de novo contra o São Paulo que perdeu mais uma para o alvinegro.

Por Vladimir da Costa

Mais um clássico para a história dos clubes, com cara de filme repetido, melhor para quem criou o roteiro, que apesar das mudanças impostas pelo tempo e atores, não mudou o desfecho, pior para os donos da casa,que perderam mais uma para o rival.

Cássio vibra com pênalti defendido no clássico. (Foto: Ricardo Nogueira/Folhapress)

Cássio vibra com pênalti defendido no clássico. (Foto: Ricardo Nogueira/Folhapress)

No segundo confronto do ano, agora pelo campeonato Paulista, São Paulo e Corinthians fizeram uma partida parelha, mas nos moldes já conhecidos: o tricolor, apesar de ficar com a bola, tinha dificuldade para finalizar e o alvinegro, com pouca posse de bola, mas muita precisão no ataque, achava espaço com mais facilidade. No primeiro deles, fez o gol com Danilo. Da para a frente, o São Paulo ficou com a bola, não conseguia transformar a posse de bola em chances. Teve apenas uma, com Centurión, defendida por Cássio. O Corinthians ainda chegou com Elias e Guerrero, levando perigo ao gol defendido por Rogério.

O segundo tempo começou turbulento. Com um pênalti desperdiçado por Rogério e com Gil expulso, o jogo ficou ataque contra defesa. O melhor ataque sucumbiu diante da melhor defesa do paulistão. O Corinthians parece ter aprendido como jogar contra o São Paulo. Seguro, calmo e eficiência são a base para uma equipe que mantém uma bela vantagem nos confrontos diante do rival, que normalmente exagera nas reclamações.  Mesmo com um a menos, a equipe passou praticamente toda a segunda etapa marcando o adversário, correndo atrás da bola, mas com muita qualidade, sem sofrer com os atacantes tricolores, que tentavam de todo jeito, mas não conseguiam furar o bloqueio adversário.

Seguro na defesa, sem sofrer pressão, o Corinthians abdicou do ataque e quando tinha a bola, tocava de lado, com calma e qualidade. Diferente do São Paulo, que não tinha uma jogada de ataque definida, mesmo com dois homens de área, Luis Fabiano e Kardec, foi pouco perigoso, resultado, mais do que justo.

A Partida

Os donos da casa começaram mais afim de jogo, apertando na marcação e buscando o ataque, principalmente pela esquerda, com Centurión e Reinaldo, mas a forte marcação corinthiana conseguia interceptar sem maiores problemas.

O Corinthians estava tranquilo, sem forçar e na primeira jogada de ataque, o São Paulo marcou bobeira e o alvinegro marcou, aos 11 minutos. Guerrero recebeu livre na linha de fundo,  na direita e cruzou na medida para Danilo. O meia estava livre na entrada da área e de primeira, de pé direito, pegou de chapa para abrir o placar no Majestoso.

Danilo comemora com Jadson o único gol da partida. o gol da vitória alvinegra. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

Danilo comemora com Jadson o único gol da partida. o gol da vitória alvinegra. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

O tricolor tentava as jogadas rápidas, de infiltração, mas os atacantes estavam sempre a frente da marcação, em impedimento.

Depois do gol, o Corinthians se organizou na marcação. Ficava sem a bola, mas estava armado para agir no contra-ataque, com Guerrero e Emerson. Aos 23 minutos, quase o segundo do Corinthians. Em jogada rápida, novamente o atacante peruano de garçom, rolou para Elias pegar de primeira e exigir que Rogério fizesse a intervenção.

O São Paulo conseguiu ameaçar com mais perigo apenas aos 25 minutos. Michel Bastos cruzou da esquerda e Centurión completou de carrinho. Cássio fez ótima defesa e evitou o empate. No rebote, Luis Fabiano é desarmado e Denilson mandou para longe.

Aos 28 foi a vez de Guerrero arriscar. O atacante recebeu livre dentro da área, mas demorou e foi desarmado.

O clássico que seguia tranquilo, depois de uma falta de Emerson, teve os ânimos esquentados, e sobrou cartão para três atletas.

O Corinthians chegava pouco, mas era perigoso, com espaço e bom toque de bola, o alvinegro conseguia chegar a frente em condições de marcar. O São Paulo tinha dificuldades de achar espaço e tinha dificuldades de finalizar. Luis Fabiano se movimentava, mas não conseguia finalizar e o primeiro tempo acabou a insatisfação do torcedor são-paulino.

O lance mais discutido da partida acabou coma expulsão do zagueiro Gil. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

O lance mais discutido da partida acabou coma expulsão do zagueiro Gil. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

O segundo tempo começou com o São Paulo em cima, pressionando o adversário, mas com a mesma dificuldade do primeiro para chegar perto do gol e para isso, passou a chutar de longe. Numa delas, o lance capital, que gerou dúvidas, reclamações, cartão vermelho e pênalti.

Michel Bastos chutou, a bola pegou na mão de Gil, na linha da área. O árbitro deu pênalti e expulsou o marcador. Todos do Corinthians reclamaram, mas não adiantou.Na cobrança, Rogério perdeu. Bateu com força, mas sem direção, Cássio tocou na bola, que bateu travessão e foi para longe.

Os nervos estavam mais intensos que a partida, que seguia bem disputada. Com a vantagem numérica, o tricolor passou a jogar mais próximo do gol adversário. Muricy sacou Reinando e colocou Alan Kardec. Tite tirou Emerson e botou Cristian, para fortalecer a marcação. Com isso, o São Paulo tinha dois homens de área e o Corinthians armou um formação com meias ofensivos, principalmente com Elias, como homem surpresa.

A bola era do São Paulo, que não conseguia finalizar a gol e com o tempo passando, a paciência da torcida ia junto. Centurión era o mais acionado em campo e fazia uma boa partida. O Corinthians se fechou na defesa e não conseguia mais chegar a frente.

O jogo chegou ao fim, junto com a vontade tricolor e invencibilidade corinthiana.