ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Santos vence Palmeiras em tarde triste para o futebol.

Torcidas organizadas de Palmeiras e Santos se enfrentaram na Rodovia Anchieta. Saldo 1 morto e 3 feridos.

Por Paulo Edson Delazari
Jogadores do Peixe fazem coreografia para comemorar o gol de Gabriel. (Foto: GAzeta Press).

Jogadores do Peixe fazem coreografia para comemorar o gol de Gabriel. (Foto: GAzeta Press).

Para mais de 33 mil pagantes o Santos foi ao Pacaembu enfrentar o Palmeiras e se deu bem, vencendo o duelo por 3 a 1 com gols de Geuvânio e Gabriel (2) para o peixe e Henrique diminuiu para o verdão, se tornando o artilheiro da competição com 14 gol.

A se lamentar, uma briga entre torcidas organizadas de Palmeiras e Santos na via Anchieta, que liga São Paulo ao litoral paulista, na tarde deste domingo, culminou com a morte de um torcedor do clube alviverde, que foi atropelado e não resistiu.

Outro membro de uniformizada foi baleado e está em estado grave no Pronto Socorro Central de São Bernardo do Campo, na grande São Paulo. Mais três torcedores ficaram feridos e foram socorridos pelo SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

A vitória levou o Santos a 7ª colocação com 45 pontos e manteve as chances do time da Vila Belmiro buscar uma vaga pela Libertadores. Apesar do fim da série positiva de 3 vitórias, o Palmeiras segue afastado da zona do rebaixamento, em 14° lugar, com 34 pontos. O Bahia, primeiro time no grupo dos quatro piores que caem para a Série B, tem 30 pontos.

Na próxima rodada o Palmeiras vai ao Mineirão enfrentar o líder Cruzeiro às 19h30m e o Santos recebe o Fluminense às 22h na Vila Belmiro.

O JOGO

Valdivia buscou o jogo, mas foi bem anulado por Arouca. (Foto: Marcos Ribolli)

Valdivia buscou o jogo, mas foi bem anulado por Arouca. (Foto: Marcos Ribolli)

O Palmeiras começou o jogo melhor, com Valdivia solto e criando boas chances. O Mago deixou Wesley e Henrique na cara do gol, mas os companheiros não conseguiram aproveitar. O primeiro bateu por cima, e o segundo foi travado por David Braz. O Santos parecia sentir o calor. Disperso, errando passes, o Peixe estava fora do jogo. Na verdade, porém, a equipe visitante se fazia de morta e acabou surpreendendo o adversário. Ao menor sinal de cochilo do Verdão, dois golpes fatais.

Aos 38, Lucas Lima acertou grande lançamento para Geuvânio, que entrou livre às costas de João Pedro, pela esquerda, e bateu cruzado, sem chances para Prass. Com o rival atordoado, o Peixe ampliou aos 41: Lucas cobrou rápido uma falta pela esquerda. Mena foi ao fundo e achou Gabriel entrando livre para marcar.  Foram as duas únicas jogadas corretas do Santos em toda a primeira etapa.

No segundo tempo, o Verdão voltou mais adiantado, com o atacante Leandro entrando na vaga do lateral-esquerdo Juninho (Victor Luis, ala de origem que vinha atuando no meio-campo, passou para a esquerda). Com essa postura mais ofensiva, o Palmeiras deixou espaços atrás. Foi assim que o Santos chegou ao terceiro, logo a 3 minutos da etapa final. Geuvânio acertou lançamento para Gabriel, que estava em posição duvidosa. A arbitragem não viu o impedimento, e o garoto santista ampliou.

Após o terceiro gol santista, o Verdão se lançou de vez ao ataque, sempre sob o comando de Valdivia, que agradou à torcida e foi aplaudido em alguns lances. De tanto insistir, o Verdão diminuiu, com Henrique, de cabeça, aos 41. Faltava pouco tempo, mas a esperança verde reapareceu. Cansados, os jogadores santistas caíam no gramado com câimbras. O jogo passou a ser disputado todo dentro do campo do Peixe. Aranha fez duas boas defesas em chutes de Mazinho e Mouche, mas, apesar da pressão, o Palmeiras não conseguiu consolidar sua reação.