ÚLTIMAS NOTÍCIAS
São Paulo joga bem, mas perde na estreia da Libertadores

Ronaldinho fez a diferença e o Galo venceu na estreia da Libertadores

Por Vladimir da Costa

A equipe tricampeã da Libertadores foi até Minas Gerais enfrentar a forte equipe do Atlético-MG, em jogo válido pela primeira rodada da primeira fase da competição e o que se viu, foi muita rivalidade e jogo pegado, típico daqueles que querem conquistar a América.

Num clima de libertadores e com o time definido desde o inicio da semana, o São Paulo foi a Sete Lagos para pegar o Galo de um Ronaldinho Gaucho em grande fase e motivado para disputar competição.

E não deu outra. Apesar de melhor fisicamente, o São Paulo cometeu os mesmos erros que vem comentando e acabou perdendo em sua estreia na fase de grupos. O Galo foi, apesar de levar sufoco no segundo tempo, quando esteve no ataque não desperdiçou e garantiu os três pontos.

A partida

Tardelli e Ronaldinho comemoram o gol feito no primeiro tempo (Foto: Marcus Desimoni/UOL)

Ligados nos 220 volts, São Paulo e Atlético começaram a partida com todo gás. Disputado e de marcação forte e pesada, ambas as equipes não davam espaços para que o adversário pudesse criar.

Num Lance rápido, o Atlético-MG abriu o placar. Numa falha grotesca, Ronaldinho recebeu sozinho, depois de uma cobrança de lateral na linha de fundo, o camisa 10 recebeu livre e cruzou para o meio da área, Jô chegou dividindo com Rhodolfo e empurrou para dentro. Galo na frente.

Depois do gol a partida caiu na velocidade, mas não na intensidade. Os dois times continuavam por cada pedaço de grama no estádio, mordendo, correndo em busca de bolas que pareciam perdidas, mas a vontade era grande.

Quase o Galo chegou no segundo gol. Depois de reposição rápida de Vitor, a bola chegou em Bernardo que passou por Wellington e bateu, a bola desviou no meio do caminho e foi defendida por Rogério, que não conseguiu afastar, no rebote, Tardelli não pegou bem na bola e finalizou pra fora.

A partida seguiu bem disputada, mas sem chances claras de gols. Apesar de disposição, os goleiros não tiveram trabalhos na primeira etapa. A bola sempre passava pelos pés do rápido Bernardo, quase sempre livre, mas a jogada não tinha arremate a gol. Pelo lado tricolor, Jadson era bem marcado por Pierri e não conseguia enfiar um bola para Luis Fabiano ou Osvaldo, que estava mais atuando na marcação do que participando de jogadas de ataque e assim se seguiu até o final do primeiro tempo, que apesar do placar em vantagem para o mineiros, não teve outras boas oportunidades claras.

Segunda etapa

Tardelli ajuda Rogério a se levantar depois de disputa de bola (Foto: Marcus Desimoni/UOL)

Com a mesma pegada, o segundo tempo começou com as duas equipes marcando o adversário em cima, sem dar espaço para que os meias habilidosos pudessem criar.

O São Paulo melhorou na segunda etapa, passou a jogar mais no campo adversário e criar mais chances no ataque, mas a forte marcação atleticana não permitia o tricolor de finalizar a gol. O Atlético-MG mudou a postura e passou a investir em lançamentos longos, acionando quase sempre o veloz Bernard.

Aos poucos o São Paulo ia tomando conta da partida, mas não finalizava a gol, o que aos poucos, ia irritando Luis Fabiano, que participava pouco do segundo tempo, mas quando tocou na bola, quase marcou. Aos 20 minutos, depois de jogada rápida, o Fabuloso partiu em velocidade, e bateu firme, na entrada da área, mas Vitor bem colocado fez boa defesa, salvando o galo de levar o empate.

Jadson bem marcado fez pouco na partida (Foto: Marcus Desimoni/UOL)

No momento em que o São Paulo era melhor e via o Atlético acuado no campo de defesa, levou uma ducha de água fria. Ronaldinho fez a diferença. O gaucho recebeu pela direita, fintou Gaso, Wellington e cruzou na medida para a cabeçada de Réver. O zagueiro acertou o canto direito de Rogério Ceni, sem chance de defesa. Vantagem ampliada, 2 a 0 para os donos da casa.

Aos 37 minutos o São Paulo conseguiu diminuir. Luis Fabiano fez ótimo passe para Aloísio na área e o atacante conclui na saída de Victor, deixando os minutos finais eletrizantes.

Mas Cuca resolveu esfriar. Fez as mudanças no final da partida, para parar o jogo. E mesmo mais inteiro no jogo, o São Paulo teve mais uma chance, no último lance, mas não teve sorte. Marcos Rocha afastou mal a bola, que caiu nos pés de Paulo Henrique Ganso, o meia dominou e bateu. A bola passou rente a trave direita de Vitor, que tirou com os olhos.

Agora, o São Paulo terá duas partidas seguidas em casa, o Strongest e o Arsenal, daqui a 15 dias.