ÚLTIMAS NOTÍCIAS
São Paulo joga mal e perde para o Atlético-PR

Tricolor vacila pelo alto, perde mais uma e fica distante dos primeiros lugares do brasileiro.

Por Vladimir da Costa

Na busca pela recuperação do competição, tricolor tropeça mais uma, perde um monte de posições e baixa e liga o sinal de alerta, principalmente na parte defensiva,que facilmente é vazada.

Na arena da baixada, o tricolor fez um bom primeiro tempo, mas novamente, não teve um placar favorável. Com mais volume de jogo, pressão ofensiva e presença no campo adversário não garantiram um bom placar no primeiro tempo. Com apenas um ataque, o bom time do Atlético-Pr fez de cabeça, com Gustavo e garantiu a vantagem nos primeiros 45 minutos.

No segundo tempo tudo mudou. O tricolor parou de jogar. Sem força ofensiva e apático no geral, a equipe paulista foi dominado pelos donos da casa, levou o segundo e podia ter levado mais, se não fosse o goleiro tricolor. Rogério fez duas importantes defesas. Do outro lado, uma lambança de Weverton fez com que o São Paulo diminuísse, mas nada que mudasse o panorama da partida, que já estava definida, com uma vitória da equipe paranaense.

Atleticanos comemoram gol sobre a equipe do São Paulo. (Foto: Joka Madruga / Futura Press)

Atleticanos comemoram gol sobre a equipe do São Paulo. (Foto: Joka Madruga / Futura Press)

Com a vitória, a equipe paranaense entrou no G4 do Brasileirão — com 19 pontos, ocupa o quarto lugar. O São Paulo, por sua vez, caiu para a sexta posição. Com 16 pontos, o time pode ser ultrapassado por Corinthians ou Ponte Preta.

A partida

Em Curitiba, o duelo começou quente. Com os times revezando no ataque, o meio campo mais criativo tinha vantagem. Com Ganso e Michel Bastos no comando tricolor, o time paulista chegava com mais força no ataque. O Atlético chegava mais pelas laterais, mas não conseguia finalizar ao gol de Rogério.

Com poucas faltas, o jogo era corrido. Aos 14 minutos, o Atlético chegou primeiro. Ytalo experimentou o arremate e exige grande defesa de Rogério. Na sequencia, Pato recebeu na entrada da área, a bola passou rente a trave.

A partida seguia em ritmo rápido e aos 25 minutos, quase o primeiro gol do jogo. Ganso aproveitou a falha de Natanael no lado direito da área e bateu rasteiro e o zagueiro Gustavo, em cima da linha, salvou o time da casa, do gol certo.

Aos  36 minutos, o gol saiu, do Atlético. Como um furacão, na cobrança de falta pela direita, Gustavo, que salvou um gol claro, marcou o gol que abriu o placar na Arena. Numa falha infantil  o zagueiro subiu sozinho e nem precisou pular para abrir o placar.

O São Paulo mantinha a posse de bola, tinha controle do meio campo, mas não conseguia chegar perto do gol adversário. A posse de bola não era revertida em jogadas perigosas. A bola era trocada no meio campo, sem que o time exercesse alguma pressão no adversário.

Goleiro tricolor fez o que pode para o desastre não ser maior.  (Foto: Joka Madruga / Futura Press)

Goleiro tricolor fez o que pode para o desastre não ser maior. (Foto: Joka Madruga / Futura Press)

O segundo tempo começou mais frio, com o São Paulo ainda com mais posse de bola, mas sem aquela força do primeiro. Tanto é que o primeiro lance de perigo foi do Furacão, com Nikão que bateu firme, mas longe do gol de Rogério.

A medida que o São Paulo não ia conseguindo chegar a frente, o Atlético foi crescendo e ganhando força ofensiva. Pouco a pouco, a partida estava equilibrada e com o apoio das arquibancadas o tricolor recuava cada vez mais.

Aos 13 minutos, o segundo gol dos donos da casa. Walter recebeu no lado direito da área, fez excelente cruzamento e Marcos Guilherme, nas costa de Lucão, completou no contrapé de Rogério para ampliar o marcador.

O segundo gol praticamente aniquilou qualquer reação paulista. Com mudanças que perderam o padrão de controle inicial feita, o São Paulo não conseguia ficar no ataque como na primeira etapa.

Com isso, Rogério passou a aparecer na partida. Toda jogada de ataque do Atlético era um sufoco. Por duas vezes seguidas, o capitão tricolor apareceu bem para salvar o time de levar o terceiro gol.

Aos 22 minutos, Walter recebeu no comando, e bateu colocado e Rogério fez defesa parcial. Na sequencia, Italo mandou por cima. Dois minutos depois, Guilherme soltou a pancada da intermediária e novamente Rogério tirou.

Aos 26 minutos, num vacilo, o São Paulo diminuiu.  O goleiro Weverton saiu mal, chute no pé de Centurión que domina, passa pelo goleiro e sem trabalho marca o primeiro para a equipe paulista.

No final de jogo, o tricolor ficava com a bola, mas não conseguia agredir o adversário. O tricolor fez o gol, mas parou nas suas próprias limitações e acabou perdendo a segunda partida seguida.