ÚLTIMAS NOTÍCIAS
São Paulo perde chance de diminuir vantagem do Cruzeiro.

Com arbitragem complicada, tricolor empata com Chapecoense e vê chance de encostar desperdiçada.

Por Paulo Edson Delazari
Rogério Ceni divide bola com atacante da Chapecoense. (Foto: Gazeta Press).

Rogério Ceni divide bola com atacante da Chapecoense. (Foto: Gazeta Press).

O time tricolor desperdiçou a oportunidade e ficou no empate sem gols com a Chapecoense na Arena Índio Condá, em Chapecó, nesta quarta-feira, pela 30ª rodada. Depois de o Cruzeiro empatar e o Internacional perder, o São Paulo tinha a chance de se isolar na segunda colocação e encostar no líder do Campeonato Brasileiro.

Com o resultado, a equipe paulista, que vinha embalada por vitórias sobre Huachipato e Bahia, chega a 53 pontos, continua sete atrás do Cruzeiro e vê a distância para o Inter, que está no quinto lugar, ficar em três pontos. O clube catarinense, por sua vez, é o 15o e tem 35 pontos, quatro a mais do que o Vitória, primeiro time dentro da zona de rebaixamento.

O placar ainda confirma o retrospecto ruim do São Paulo contra equipes de Santa Catarina. Em cinco jogos, foram uma derrota e três empates. O revés ocorreu justamente diante da Chapecoense em pleno Morumbi. Mesmo sem terem feito uma grande atuação, os tricolores tiveram motivos para lamentar o empate. Isso porque, na primeira etapa, Ewandro foi atropelado por Rodrigo Biro na área, e o árbitro não marcou a penalidade. Na volta do intervalo, Paulo Miranda recebeu o cartão vermelho no fim do jogo em uma suposta falta, após a arbitragem deixar de marcar impedimento no lance que originou a expulsão.

Pela próxima rodada do Campeonato Brasileiro, a Chapecoense voltará a atuar em seu estádio, onde receberá o Santos, no sábado, às 18h30 (de Brasília). Dois dias depois, o São Paulo receberá o Goiás, no Morumbi, às 20h30 na segunda-feira.

O jogo

Bruno Silva e Ewandro disputam a bola no primeiro tempo (Foto: Márcio Fernandes / Agência estado)

Bruno Silva e Ewandro disputam a bola no primeiro tempo (Foto: Márcio Fernandes / Agência estado)

Explorando bem os avanços do uruguaio Álvaro Pereira e sem a preocupação de um atacante pelo seu lado, o lateral direito Fabiano criou boas jogadas logo no início de jogo. Aos cinco minutos, chegou à linha de fundo e atrasou para Camilo bater por cima do gol. No minuto seguinte, ele próprio recebeu bom passe ao invadir a área e finalizou com força, mas em cima do goleiro são-paulino, que agarrou a bola sem oferecer rebote.

Após passar imune à blitz alviverde, o São Paulo passou a prender mais a bola no campo de ataque, mas sempre era contragolpeado com algum perigo. Na melhor oportunidade de enfrentar a marcação adversária em vantagem, aos 38 minutos, Ewandro não aproveitou. Depois de o zagueiro Douglas Grolli perder o tempo de bola, o escolhido para substituir Pato demorou demais para definir a jogada e, na entrada da área, foi desarmado por trás.

A Chapecoense ainda construiu dois bons lances antes do intervalo. Aos 42, Tiago Luis foi acionado na entrada da área, armou o chute e, com Rogério Ceni já caído, finalizou rente à trave esquerda. Quatro minutos depois, foi a vez de Fabiano chegar cara a cara com o goleiro, mas, na tentativa de encobri-lo, bater forte demais e ver a bola passar muito longe da rede.

No intervalo, Muricy Ramalho sacou o pouco produtivo Ewandro para dar lugar a Osvaldo. A substituição tinha objetivo duplo: dar mais opção e velocidade ao ataque e também preocupar mais o lateral direito Fabiano, jogador de maior destaque da Chapecoense em toda a primeira etapa.

A alteração surtiu efeito e tornou o São Paulo bem mais perigoso na etapa final. Logo aos cinco minutos, Osvaldo recebeu na área e chutou em cima de Danilo. No rebote, Denilson finalizou por cima do travessão.

Sem converter em gol sua superioridade, o São Paulo perdeu Kaká, com dores na panturrilha, aos 23 minutos. Boschilia entrou em seu lugar, mas ficou apenas oito minutos em campo. Aos 29, Paulo Miranda cometeu falta pouco atrás da área para evitar que Fabinho Alves entrasse livre, em lance que a arbitragem deixou de marcar impedimento a favor do tricolor. O zagueiro (improvisado como lateral direito) foi expulso e obrigou Muricy a sacar seu meia para colocar Hudson na direita.

A Chapecoense partiu para cima em busca da vitória, porém o São Paulo não só se segurou, como também quase marcou com Osvaldo e Alan Kardec, este teve a chance de cabecear sozinho e ver a bola raspar a trave esquerda do goleiro da Chapecoense..

FICHA TÉCNICA:
CHAPECOENSE 0 X 0 SÃO PAULO

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data: 22 de outubro de 2014 (quarta-feira)
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Assistentes: Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Dibert Pedrosa Moises (RJ)
Cartões amarelos: Douglas Grolli, Abuda (Chapecoense); Kaká, Rafael Toloi (São Paulo)
Cartão vermelho: Paulo Miranda (São Paulo)

CHAPECOENSE: Danilo; Fabiano, Douglas Grolli, Rafael Lima e Rodrigo Biro; Bruno Silva, Diones, Abuda (Fabinho Alves) e Camilo; Tiago Luis (Bruno Rangel) e Leandro
Técnico: Jorginho

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Álvaro Pereira; Denilson, Souza, Ganso e Kaká (Boschilia)(Hudson); Ewandro (Osvaldo) e Alan Kardec
Técnico: Muricy Ramalho