ÚLTIMAS NOTÍCIAS
São Paulo sofre, mas vence Atlético Nacional em casa

Tricolor falha feio duas vezes na defesa, mas consegue vitória merecida no último minuto

Por Vladimir da Costa

 

Depois de meses de turbulência, com time na zona de rebaixamento, time, diretoria, estrutura e tudo mais em cheque, o São Paulo parece encontrou uma motivação extra para terminar o ano de forma honrosa.

Praticamente livre do rebaixamento pelo brasileiro 2013 a equipe do Morumbi viu na, antes descartável, Copa Sul-Americana, a última chance de ganhar algo em 2013. E foi com esse pensamento que a equipe entrou em campo para defender o titulo contra o atual campeão, e líder do campeonato colombiano, Atlético Nacional de Medellín.

Autor de dois gols na partida, Antonio Carlos ajudou o São Paulo a sair com a vitória Simon PlestenjakUOL

Autor de dois gols na partida, Antonio Carlos ajudou o São Paulo a sair com a vitória (Foto: Simon Plestenjak/UOL)

A partida mostrou o porque que o time estava na situação desesperadora. Com erros (muitos) bobos, falta de atenção e sem criatividade do meio para a frente, o time penou para derrotar o Atlético Nacional em casa. Jadson inaugurou o placar com um golaço. Depois, com uma falha tremenda, o time colombiano empatou e parecia ficaria nisso.

A diferença deste São Paulo é a determinação de nunca desistir. Mesmo o time tendo “doado” mais um gol no segundo tempo, o São Paulo foi aguerrido e conseguiu, no último minuto, com Antônio Carlos o gol da vitória que dá mais tranquilidade para a partida de volta na Colômbia.

O jogo

Com apoio da torcida e jogando em casa, o São Paulo dominou o primeiro tempo quase que por completo. Na formação mais tradicional, com três zagueiros, com Rodrigo Caio mais avançado, o tricolor mantinha a bola nos pés, mas não conseguia criar chances de gols. Muito devido a forte marcação adversária que só esperava os donos da casa chegarem na intermediária para roubar a bola. Para tentar furar esse duro bloqueio o São Paulo tentava mudar de lado e as jogadas em profundidade, mas os passes errados e a disposição tática do Nacional, dificultavam a vida são-paulina que não tinha brecha para finalizar a gol.

Mas aos 14 minutos, numa rara felicidade, Jadson resolveu descomplicar tudo. O camisa 10 tricolor recebeu na intermediária, mas a bola pegou altura, e num bate pronto lindo, o meia acertou um chutaço, indefensável, no ângulo direito do goleiro Armani que nada pode fazer para evitar o golaço marcado pelo São Paulo.

O gol em nada mudou o panorama da partida, que seguia com o São Paulo com enorme posse de bola, mas sem pressionar. Os muitos erros de passe no meio campo contribuíam para que os goleiros pouco participassem do jogo. E numa saída errada do Atlético Nacional, quase o São Paulo chega ao segundo. Aos 33 minutos, Maicon roubou a bola no meio de campo e partiu em disparada, na entrada da área o volante rolou para Aloisio, o atacante tricolor ainda conseguiu ajeitar o corpo para bater, mas sem o pé de apoio e com isso o chute saiu fraco e Nájera afastou o perigo antes que a bola ultrapassasse a linha do gol.

Jadson comemora o golaço feito no Morumbi contra o Atlético Nacional Juca Varella Folhapress

Jadson comemora o golaço feito no Morumbi contra o Atlético Nacional no primeiro tempo. (Foto: Juca Varella/Folhapress)

A equipe visitante aos poucos passava a frequentar mais o campo de ataque, mas sem força para chegar ao gol, até que o São Paulo resolveu dar uma força para a equipe adversária. Depois que Paulo Miranda recuou a bola “limpa” para Rogério Ceni, que estava sozinho, o goleiro tricolor, como de costume, tentou sair jogando e tocou para Rodrigo Caio, que se atrapalhou todo com a bola, perdeu para Cárdenas, que invadiu a área e rolou para Uribe, livre de marcação empatar a partida no Morumbi.

Um balde de água fria no time que estava “soberano” na partida que não havia sofrido qualquer pressão adversária, tomar um gol infantil em casa, já no final do primeiro tempo.

A segunda etapa foi totalmente diferente da primeira. Se no primeiro tempo o São Paulo jogou como quis, apesar do empate. Já nos últimos 45 minutos, o time parece ter deixado a concentração no vestiário.

Antes dos 10 minutos, o Atlético Nacional já havia chegado duas vezes ao gol. Na segunda tentativa, Cárdenas lançou Uribe na ponta direita e o atacante chutou cruzado, a bola passou muito perto do gol, assustando a torcida e Rogério Ceni que já estava batido no lance.

Jadson, que havia marcado um lindo gol no primeiro tempo sumiu em campo. Com muitos erros de passes, o meia frequentemente aguçava a torcida para vaiá-lo. Assim como Luis Fabiano, que nas quatro vezes que foi lançado, estava em posição de impedimento.

Jogadores do Atlético Nacional comemoram seugol depois de apagão defensivo do time paulista Juca VarellaFolhapress

Jogadores do Atlético Nacional comemoram o gol depois de apagão defensivo do time paulista (Foto: Juca Varella/Folhapress)

O jogo seguia de igual para igual, até que o tricolor fez o segundo gol. Douglas cobrou escanteio pela direita, Rodrigo Caio desviou e Antônio Carlos, de peixinho, arremata para o fundo das redes para desempatar a partida. Festa da torcida no Morumbi.

Erros, ansiedade e Vitória.

Os últimos 15 minutos foram de emoções diversas para a torcida e para Muricy Ramalho. Logo após o segundo, o treinador sacou Luis Fabiano que pouco participou da partida e botou, a pedido da torcida, Ademilson. E aos 33 minutos, o autor do gol, Antonio Carlos errou no meio de campo, ao cabecear para trás e a bola sobrou livre para Duque que ganhou na corrida de Paulo Miranda e tocou com calma na saída de Rogério Ceni. Novo empate do Atlético Nacional de Medellín.

Precisando vencer Muricy sacou Jadson e botou Osvaldo em campo. Com três atacantes o São Paulo foi pra cima. Apesar de seguir errando muitos passes, o Atlético Nacional parou de atacar. Quando tinha a bola valorizava esperando o final do jogo. Já o São Paulo se lançava todo para o ataque.

E aconteceu de novo. Novo escanteio pela direita, agora cobrado por Osvaldo, Antonio Carlos subiu livre de marcação e cabeceou para o chão, sem chances de defesa para Armani que pulou quando a bola já estava balançando as redes, aos 45 minutos do segundo tempo para festa e alivio de todos presentes no estádio.

Antônio Carlos comemora seu segundo gol abraçado a Aloiso no acrescimos da partida (Foto: Simon Plestenjak/UOL)

Antônio Carlos comemora seu segundo gol abraçado a Aloiso nos acréscimos da partida (Foto: Simon Plestenjak/UOL)

Agora, na partida de volta, na quarta que vem na Colômbia, o São Paulo pode empatar que leva. Se perder por 1 a 0 ou 2 a 1. Quem passa para a semifinal é o Atlético Nacional.