ÚLTIMAS NOTÍCIAS
São Paulo vence Chape e vira líder no Brasileirão.

Tricolor enfim consegue sua primeira vitória fora de casa e derruba tabu de um ano.

Por Paulo Edson Delazari
Souza comemora golaço diante da Chapecoense. (Foto: Gazeta Press)

Souza comemora golaço diante da Chapecoense. (Foto: Gazeta Press)

Não foi nenhuma obra prima, mas jogando em Chapecó o São Paulo conseguiu vencer a Chapecoense por 1 a 0 com um golaço de Souza a mais de 30 metros do gol de Danilo. De quebra a equipe paulista quebrou um tabu e enfim ganhou da equipe catarinense, já que no ano de 2014 perdeu uma e empatou outra.

Assim Juan Carlos Osório conheceu a sua segunda vitória consecutiva no comando do tricolor paulista e chegou a liderança do campeonato brasileiro mesmo diante de quatro desfalques. Não jogaram Ganso contundido, Denilson e Centurion com problemas particulares e Rodrigo Caio que foi vendido ao Valencia por 12,5 milhões de euros.

A manutenção da liderança passa por um revés do Atlético PR que enfrentará o Grêmio fora de casa e a consolidação poderá ocorrer no próximo domingo quando o São Paulo enfrentará o Avaí no Morumbi, local onde o time acumula 12 vitórias seguidas este ano. A Chapecoense por sua vez encontra-se com nove pontos na nona colocação e enfrentará o Cruzeiro no Mineirão.

O jogo

Neste sábado, com quatro baixas de última hora (o zagueiro Rodrigo Caio vendido, o meia Paulo Henrique Ganso vetado pelos médicos e o volante Denilson e o meia-atacante Ricky Centurión liberados por problemas particulares), o rodízio de Juan Carlos Osorio acabou sendo facilitado. Rafael Toloi, recuperado de trauma no ombro direito, retornou à zaga, e o técnico colombiano deu chance também a Reinaldo (como lateral), Carlinhos (como ponta) e Thiago Mendes.

Jogadores tricolores comemoram com Souza o gol da vitória diante da Chapecoense. Foto: Reprodução)

Jogadores tricolores comemoram com Souza o gol da vitória diante da Chapecoense. Foto: Reprodução)

A armação do São Paulo inicialmente ficou a cargo de Michel Bastos, que mais tarde revezou com Carlinhos. Mas o gol que abriu o placar surgiu em finalização de um volante de longa distância. Souza, que não costuma arriscar tanto, experimentou de fora da área e tirou a bola do alcance do goleiro Danilo. O belo gol no canto esquerdo alto, logo aos cinco minutos, abriu o caminho para um primeiro tempo até certo ponto seguro para a equipe paulista.

O principal perigo oferecido pela Chapecoense, como já havia previsto Osorio, era pelas laterais. Apodi, mesmo tendo Carlinhos (e depois Michel Bastos) às costas, deu trabalho a Reinaldo e conseguiu levantar a bola para a área diversas vezes, todas elas rebatidas ora por Rafael Toloi, ora por Dória. Do lado direito, porém, Bruno sofreu com as investidas de Dener, que criou a melhor chance do time mandante aos 15 minutos, em cruzamento rasteiro desviado de primeira por Edmilson pela linha de fundo.

Dois minutos mais tarde, Edmilson exigiu a primeira defesa – em dois tempos – de Rogério Ceni, em arremate rasteiro em cima do goleiro. Daí em diante, apesar de ter mais a posse de bola, a Chapecoense quase não criava no ataque. O capitão são-paulino só teve trabalho novamente quase no final da etapa, em falta que o fez se preocupar mais com a formação da barreira do que com o arremate colocado de Dener em si.

Já a equipe visitante, à frente no marcador, passou a se lançar ao campo ofensivo principalmente em contra-ataques. Como aos 31 minutos, quando Michel Bastos fez desarme na defesa, partiu com velocidade para frente e tocou para Luis Fabiano. O atacante deixou a bola para Carlinhos, que disputou com a defesa e caiu. Mais tarde, o lateral, improvisado como meia ou ponta neste sábado, driblou dois jogadores à beira do campo e chutou fraco, de perna direita.

No intervalo, nem Vinícius Eutrópio nem Osorio fizeram substituições. Mas o colombiano precisou fazer a primeira com oito minutos do segundo tempo, quando Reinaldo teve lesão muscular e deu lugar a Alexandre Pato.

Mais tarde, também sacou Hudson, que já tinha cartão amarelo, para colocar Wesley. A primeira alteração da Chapecoense foi a entrada de Camilo (no lugar de Wagner), responsável por iniciar jogada que só não resultou em gol de Edmilson porque Bruno tirou a bola quase em cima da linha.

Por fim, Osorio também foi forçado a substituir Carlinhos (machucado) por Auro, que atuou no meio-campo e deslocou Michel Bastos à lateral esquerda. A Chapecoense partiu em busca do empate justamente por ali, porém o São Paulo segurou o resultado positivo, o primeiro como visitante na competição nacional, a qual ele agora passa a liderar ao menos momentaneamente.

FICHA TÉCNICA:
CHAPECOENSE 0 X 1 SÃO PAULO

Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)
Data: 13 de junho de 2015, sábado
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (Fifa-GO)
Assistentes: Cristhian Sorence (GO) e Bruno Raphael Pires (GO)
Cartões amarelos: Ananias, Gil (Chapecoense); Luis Fabiano, Bruno, Hudson, Thiago Mendes (São Paulo)
Gol: SÃO PAULO: Souza, aos cinco minutos do primeiro tempo

CHAPECOENSE: Danilo; Apodi, Rafael Lima, Neto e Dener; Elicarlos (Bruno Rangel), Gil, Bruno Silva e Wagner (Camilo); Ananias (Maranhão) e Edmilson
Técnico: Vinícius Eutrópio

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Dória e Reinaldo (Alexandre Pato); Hudson (Wesley), Souza e Michel Bastos; Thiago Mendes e Carlinhos (Auro); Luis Fabiano
Técnico: Juan Carlos Osorio