ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Tijuana elimina o Palmeiras no Pacaembu

Com falhas individuais Palmeiras e eliminado em casa por equipe mexicana

Por Vladimir da Costa

Estava tudo pronto, estádio lotado, torcida pulando e vibrando junto com cada toque que acontecia dentro de campo, era só alegria, mas bastou um lance, uma jogada despretensiosa para a euforia dar lugar ao desespero e ao silêncio.

O recente fantasma do ano passado voltou na mente dos torcedores. Falhas individuais, nervosismo, afobação e muitos erros de passes que só eram compensados com a garra apresentada dentro de campo.

Bruno lamenta o gol que levou. O goleiro falhou no primeiro gol da partida (Foto: Ricardo Nogueira)

Com muita disposição e sem muita qualidade, o Palmeiras não conseguiu produzir uma jogada sequer que envolvesse o adversário durante todo o jogo e sofreu com os nervos. Nervosos, os jogadores renderam bem menos do que o habitual, e depois de o goleiro Bruno falhou no primeiro tempo, o desespero tomou conta e a eliminação foi questão de tempo. Apesar de assumir a culpa pelo falha na partida que acarretou no gol, o goleiro Bruno só falhou em um lance. O restante da equipe não conseguiu compensar seu companheiro e passaram quase toda a partida fazendo cruzamentos do meio campo, chutes sem direção e jogadas sem efetividade. E essas duas combinações não poderiam ter outro final.

O Tijuana venceu por 2 a 1 e agora enfrenta o Atlético-MG. Ao Palmeiras é se reerguer no campeonato Brasileiro da Serie B que começa daqui a 10 dias.

A partida

Com o técnico da seleção dos Estados Unidos, Jurgen Klinsmann nas arquibancadas, o Palmeiras tentou permanecer com a bola nos minutos finais no inicio do jogo. O time mexicano só apertava depois que o verdão passava do meio campo. A primeira boa chegada veio com Vinicius, em jogada individual, mas o verdão não conseguiu concluir a gol.

Depois de umas jogadas mais ríspidas, a partida começou a ficar tensa. Com amarelos para ambos os lados e muita reclamação, principalmente do lado do Palmeiras e de Gilson Kleina, que não parava de falar com o quarto arbitro.

Jogadores do TIjuana comemoram o gol marcado por Riascos (Foto: Nelson Almeida/AFP)

Aos 24 minutos a melhor chance do verdão. Depois que Aguilar derrubou Kleber na entrada da área, Ayrton, cobrou falta colocada no ângulo esquerdo de Saucedo. A bola passou pelo goleiro do Tijuana e explodiu no travessão.

O castigo veio rápido. Dois minutos depois, Martinez roubou a bola de Henrique no campo de ataque e tocou para Riascos. Ele bateu fraquinho no meio do gol. Bruno não conseguiu segurar e a bola foi parar no fundo do gol. Era defensável, mas o goleiro palmeirense falhou feio no lance.

O Palmeiras sentiu o gol. Passou a errar muitos passes e acelerar a partida quando não precisava. O Tijuana seguia fechado em seu campo de defesa, esperando os donos da casa atacar para sair em contra-ataque. E quase deu certo. Depois que Riascos foi lançado pela direita, o atacante estava sozinho, mas preferiu fintar o marcador e acabou perdendo a bola.

A partida seguia com muitas faltas e poucas jogadas de ataque. Os jogadores do Palmeiras preferiam reclamar a toda jogada com o árbitro do que manter a concentração no jogo que foi até o final da primeira etapa com o goleiro Saucedo fazendo muita cera e quase nenhuma defesa.

E o primeiro tempo acabou como esperado, com todos os jogadores, mais alguns integrantes da comissão técnica cercando o árbitro e reclamando das entradas duras que o time do Tijuana praticou durante boa parte do primeiro tempo.

Etapa Complementar

A partida reiniciou quente. Com ambos os lados deixando o braço no adversário a cada lance o árbitro, Juan Soto seguia distribuindo amarelo para tentar acalmar os nervos.

Os torcedores pareciam não acreditar no que viam no Pacaembu (Foto: Ricardo Nogueira)

O Palmeiras demonstrava muito nervosismo na partida. E pagou por isso. Depois que Vinicius fez falta no meio campo, Henrique afastou mal e a bola chegou nos pés de Arce, que de primeira e mandou uma pancada no canto esquerdo de Bruno que pulou na bola, mas não chegou.

O Palmeiras mudou, entrou Maikon Leite para dar velocidade ao ataque e no primeiro lance quase ajuda o verdão diminui. O camisa 7 avançou pela ponta direita e cruzou na segunda trave para Souza que livre de marcação, cabeceou firme, mas acertou a rede pelo lado de fora.

Minutos depois a explosão da torcida que estava calada. Aguilar foi cortar o cruzamento e acabou cabeceando a bola no próprio braço. Pênalti assinalado por Juan Soto. Souza cobrou forte no meio do gol e diminuiu para delírio da torcida.

Com o gol o Palmeiras cresceu na partida e passou a sufocar o adversário. Com aval de Kleina, o zagueiro Henrique virou atacante do verdão.

Aos 23 minutos, a bola foi levantada no meio da área do Tijuana, Kléber, cabeceou sozinho para o fundo do gol, mas a bandeirinha anulou o gol. O atacante estava na mesma linha no lance. A arbitragem errou no lance.

O Palmeiras seguia em cima, muito na base do chuveirinho, que começou a ser feito cedo. O verdão levantava a bola para dentro da área quase do meio do campo o que favorecia a defesa.

O jogo seguia ataque contra defesa, e numa jogada rápida, a zaga do verdão foi surpreendida. Riascos recebeu em velocidade, sozinho, entrou na área, deixou Bruno no chão e bateu, mas Mauricio Ramos tirou na em cima da linha. Era a classificação do Tijuana se fizesse.

O verdão seguia muito mais na base da vontade, sem tática, mas com muita disposição. Faltava acertar o cruzamento para encontrar um companheiro pronto para por para dentro das redes, mas estava difícil.

Em duas boas chegadas de bola parada, Souza teve a oportunidade, mas errou feio nas duas.

As bolas ainda eram alçadas na área, mas com pouco perigo e foi assim até o final da partida, que terminou com o Palmeiras eliminado da Libertadores.

Bruno não consegue segurar a bola do primeiro gol. O goleiro assumiu a culpa pela eliminação após o jogo (Foto: Ricardo Nogueira)