ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Tranquilo, Neymar concedeu coletiva em Teresópolis

Na Granja Comary, o astro brasileiro fala com otimismo e se diz pronto para avançar de fase.

Por Vladimir da Costa

Diferentemente que estão fazendo as demais equipes classificadas para as quartas de final (com exceção da Holanda), que se fecham e restringem o assédio aos seus atletas, o Brasil ousou e colocou seu principal nome para falar. Em coletiva concedida em Teresópolis, Neymar respondeu a diversas perguntas dos jornalistas brasileiros e estrangeiros. Foram 34 minutos descontraídos, lúcidos e com respostas cheias de otimismo.

Ao lado de um relógio que marcava o tempo previsto para sua entrevista (o combinado eram 30 minutos), o camisa 10 respondeu a todas as perguntas sempre com aquele sorriso no rosto, bem conhecido.

Neymar atento a pergunta de jornalistas durante a entrevista coletiva.  (Foto: Gaspar Nobrega/Vipcomm)

Neymar atento a pergunta de jornalistas durante a entrevista coletiva. (Foto: Gaspar Nobrega/Vipcomm)

– É claro que existe a pressão de jogar um Mundial. Mas eu vou falar por mim: eu tiro de letra porque é um sonho. É algo que sempre busquei, desde criança, desde que vi o Ronaldo, com topete, fazer gol na final da Copa do Mundo. Eu disse: um dia quero ser igual esse cara. Não temos de ficar pensando em pressão. Estamos jogando no quintal de casa, a torcida é nossa e temos de estar felizes dentro de campo. Respondeu o atacante.

De maneira muito calma o atacante leva de forma bem tranquila e fez um comparativo como é sua gana por ganhar, seja em qualquer modalidade:

– Eu me cobro muito, porque quero vencer, quero ganhar. Mas temos de jogar como se fosse contra um amigo. Quando você jogar contra um amigo não quer perder, porque ele vai te zoar. Eu pensei assim contra o Chile. Se perdesse, o Alexis Sánchez ia me zoar. Agora eu que vou zoar. Temos de carregar a responsabilidade, sim, mas eu levo no tom da brincadeira – acrescentou Neymar.

A brincadeira da vez é com James Rodríguez. Artilheiro da Copa do Mundo, com cinco gols, um a mais do que o brasileiro. O colombiano é o grande destaque desta copa do mundo.

– É claro que a Colômbia é uma grande equipe. Venceu todas as partidas e mostrou um forte poderio. O James Rodríguez é um craque, apesar da pouca idade. Como eu, ele tem 22 anos e tem demonstrado ser um grande jogador. Mas espero que o ciclo dele acabe agora e a seleção brasileira continue. Com todo respeito, é claro – disse.

O jogador que depois que sofreu uma entrada contra o Chile, de Aranguiz, ainda no primeiro tempo e depois caiu muito de rendimento, o atleta que treinou ontem com uma proteção no joelho tratou de esclarecer qualquer dúvida ou questionamento sobre sua questão física.

– Eu estou bem. Estou recuperado. E o emocional não tem problema. Está todo mundo bem e motivados, não pelo choro nem nada, mas pelo simples fato de termos vendido o jogo, isso é o que motiva. Foi um jogo emocionante. Houve muita emoção mesmo. E cada um tem a sua. Estamos todos bem. Estou bem e preparado para enfrentar a seleção da Colômbia e passar de fase – acrescentou.

Sobre a pancada no joelho, o departamento médico da CBF revelou que Neymar está tomando analgésicos e fará um tratamento que intercala fisioterapia e estímulos elétricos para se recuperar mais rapidamente da lesão. O jogador, porém, está liberado e deve enfrentar a Colômbia normalmente na próxima sexta-feira, no Castelão.