ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Trave, Goleiro e Juiz param São Paulo na Libertadores.

Três bolas na trave, inúmeras defesas de Campestrini e arbitragem incompetente seguram empate.

Por Paulo Edson Delazari

Lúcio bate boca com Campestrini que foi o destaque da partida no Pacaembu. (Foto: Rubens Chiri)

O São Paulo tentou, chutou e a bola não entrava no Pacaembu contra o Arsenal. Muitas delas por conta da trave que esteve no caminho do tricolor por três vezes. Outro obstáculo foi o goleiro argentino Campestrini que fez pelo menos oito defesas na partida, muitas delas com um grau de dificuldade grande. E para complementar a péssima atuação do Juiz Roldan que marcou um pênalti inexistente para o Arsenal  no início do segundo tempo e deixou de assinalar um pênalti claro em Luis Fabiano na mesma etapa.

Para fechar os serviços o árbitro ainda expulsou Luis Fabiano após o apito final da partida, quando o jogador foi questionar a arbitragem dele.

Ao sair de campo Rogério Ceni não amenizou a arbitragem, mesmo criticando sua equipe.

Nós não jogamos bem, mas um juiz desse. Já contra o Libertard ano passado ele nos prejudicou. Agora ele marcar o pênalti do Cortês é brincadeira, tem que ter muito pulso. Afirmou o goleiro.

O São Paulo agora vai para o clássico contra o Palmeiras no domingo e irá a Sarandi na próxima quinta disputar a quarta rodada da fase de grupos da Libertadores contra o mesmo Arsenal.

O Jogo

A proposta era clara por parte do Arsenal, catimbar e tentar encontrar um contrataque, enquanto o São Paulo buscava o jogo. Aprimeira chance da partida saiu dos pés de Carbonero que numa confusão da zaga tricolor chutou de pé esquerdo cruzado, mas longe da meta de Rogério.

O São Paulo continuava tentando achar espaço e seguia sendo parado na falta, numa destas aos 16 minutos Rogério bateu, após 2 minutos de catimba e o goleiro defendeu.

Aos 24 minutos Osvaldo cruzou da esquerda para o meio, Aloisio dominou no peito e bateu, a bola carimbou o poste esquerdo do goleiro.

Insistência tricolor em tabela entre Jadson e Luis Fabiano a bola sobrou para o meia que driblou o zagueiro e chutou cruzado, a bola passou raspando a trave esquerda.

Em bela triangulação entre Jadson, Cortês e Osvaldo o atacante levou para o meio e de fora da grande área encheu o pé, a bola bateu agora na trave direita e novamente não entrou.

Dois minutos depois nova chance com Osvaldo, em jogada semelhante o atacante levou pra perna direita e bateu no lado contrário para nova defesa do goleiro Campestrini.

Aos 44 minutos um susto, Furch recebeu sozinho frente a frente com Rogério, o atacante tentou tirar do goleiro e chutou por cima.

Jadson fez o gol Tricolor na partida. (Foto: Rubens Chiri)

De tanto insistir o São Paulo chegou ao merecido gol aos 47 minutos, Osvaldo tomou a bola na defesa, arrancou e tocou para Jadson na direita, o meia tocou para Aloísio, este chegou no fundo e devolveu de calcanhar, Jadson dominou na pequena área e encheu o pé no ângulo esquerdo de Campestrini. São Paulo 1×0.

Etapa complementar

Logo a um minuto atacante do Arsenal cruza e a bola bate na mão de Cortês, o juiz pressionado na saída de campo apita pênalti, na batida Benedeto chuta rasteira e empata.

Depois do empate a equipe do Arsenal cresceu no jogo e tentou criar algumas chances, mas sem muito perigo, mas mesmo sem se encontrar o São Paulo chegou com perigo aos 22 minutos, Jadson recebeu de Ganso e chutou o goleiro defendeu e a bola passou raspando por cima.

Cinco minutos depois lance inacreditável, Jadson recebeu de Ganso e chutou de fora e a bola bateu na trave, a terceira do tricolor no poste.

São Paulo não dava trégua, aos 29 minutos Osvaldo partiu pra cima e bateu sem ângulo para Campestrini defender.

No minuto seguinte Luis Fabiano partiu pra cima da zaga, ao sair do zagueiro, o atancante é empurrado por Cuesta dentro da área e o juiz nada marcou, pênalti claro que o juiz deixou de marcar.

O São Paulo seguia jogando contra o Arsenal e o Juiz, no minuto seguinte Ganso recebeu de fora da área e encheu o pé, para mais uma defesa do goleiro argentino, na sobra Luis Fabiano tentou, mas a bola escapou.

O juiz Roldan estava mal na partida aos 40 ele ficou na rota da bola do arsenal e armou um contra-ataque para o São Paulo, Osvaldo arrancou e bateu para nova defesa do arqueiro.

O sufoco persistia, Osvaldo fintou dois na zaga e chutou cruzado para nova defesa de Campestrini que se tornou o nome do jogo.

Depois do apito final sobrou tempo para Luis Fabiano reclamar com o juiz e novamente sendo expulso.