ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Tudo que a França queria contra a Espanha

Time joga fora de casa e trás um empate valioso diante dos espanhóis

Por Paulo Edson Delazari

Sérgio Ramos comemora gol. (Foto Getty Imagens)

A seleção da França tinha um objetivo no jogo contra a Espanha nas eliminatórias da Copa do Mundo de 2014 e foi o que conseguiu. Jogando em Madri a seleção de Ribery e Benzema não apresentou um bom futebol no primeiro tempo, mas no segundo foi superior e arrancou um empate nos acréscimos da segunda etapa, empatando por 1 a 1, no Estádio Vicente Calderón, pela quarta rodada do Grupo I das eliminatórias europeias.

Com o resultado as duas equipes ficaram empatadas com 7 pontos cada, porém a Espanha tem maior saldo e está em primeiro no desempate, contudo, na segunda partida entre os dois no grupo será em Paris na França. Aproveitando-se deste benefício os franceses querem vencer esta partida e ficarem em primeiros do grupo, deixando a segunda vaga para a Espanha disputar a repescagem. Os outros times da Chave são: Geórgia com 4 pontos, Bielorrúsia com 3 pontos e Finlândia com 2 pontos.

O jogo teve inúmeras oportunidades, como pênalti perdido por Fabregas, gol anulado de Menes e a presença do Rei da Espanha Juan Carlos.

Hugo Lloris foi contratado pelo Tottenham por cerca de R$ 26 milhões no último mercado de transferências. O dinheiro aparentemente não impressionou o técnico André Villas-Boas, que o deixou no banco de reservas neste início de temporada para a sua revolta. Mas ele certamente irá rever os seus conceitos depois do que se passou durante o primeiro tempo no Vicente Calderón.

É válido ressaltar que não foi lá um ataque contra defesa e em poucos momentos a Fúria ensaiou uma pressão. Foi o necessário para que Lloris trabalhasse bastante, inclusive defendendo um pênalti cobrado por Fàbregas aos 42 minutos. Ele só não impediu o gol quando Sergio Ramos aproveitou um próprio rebote do francês depois de cabecear uma bola na trave, aos 25. Seria pedir demais.

Sem conseguir trabalhar a posse de bola – o que não é uma novidade contra a Espanha -, a França ainda deixou o primeiro tempo lamentando um gol mal anulado de Ménez, aos 39 minutos. O meia-atacante do Paris Saint-Germain completou de cabeça em condição legal após cruzamento de Benzema, mas viu o árbitro Felix Brych assinalar a irregularidade inexistente.

A Espanha, que àquela altura já havia perdido o meia David Silva, lesionado, também viu o lateral Arbeloa se contundir no início da etapa final. Curiosamente, a França cresceu e passou a ocupar o campo ofensivo com frequência e criou suas chances. Lloris, antes protagonista, tornou-se um mero coadjuvante torcedor. A primeira boa oportunidade para os visitantes surgiu aos 13, em bonito chute de Ribéry de fora da área. A bola chegou a deslizar pela rede do lado de fora. Aos 19, novamente em jogada do meia do Bayern de Munique, Benzema desperdiçou.

Os donos da casa não se encolheram, embora a criatividade já não fosse uma virtude. A cabeçada de Sergio Ramos, aos 24, após escanteio cobrado por Xavi, não passou de um susto. Era pouco.

Com o tempo, a Fúria tratou de alocar-se no campo defensivo. Os Bleus pressionaram, finalizaram e enfim chegaram ao empate. Mas só no último lance do jogo. Antes, aos 27, Sissoko tratou de perder nova oportunidade, enquanto Casillas apareceu bem aos 44 para salvar a pátria em cruzamento fechado de Ribéry. Aos 48, no entanto, ele centrou na cabeça de Giroud, que colocou no cantinho para selar o merecido empate.

Giround comemora gol de empate e cala Estádio. (Foto: AFP)